Variedades

Secreções vaginais durante a gestação: Fique alesta alguns sintomas

Secreções vaginais durante a gestação

Suenia Moraes para Agência São Joaquim Online

A saúde ginecológica deve ser uma preocupação de toda gestante

gravidez é um período de grandes transformações físicas e psicológicas na vida de uma mulher, afinal, serão nove meses de grandes descobertas. Todas essas novidades e mudanças acabam preocupando as futuras mamães e podem gerar diversas dúvidas. Durante os meses de desenvolvimento do futuro bebê, mudanças como alteração de peso, manchas na pele, varizes, variações de humor e no padrão de sono, dentre outras, são naturais. Entretanto, há de se ressaltar outra alteração que também ocorre neste período: o aumento ou aparecimento das secreções vaginais.

De acordo com o ginecologista especialista em Reprodução Humana da Criogênesis, Dr. Renato de Oliveira, as secreções na gravidez é algo que pode estar presente. “O aumento das secreções vaginais é comum durante a gestação e, na maioria das vezes, trata-se de algo benigno e fisiológico, decorrente do maior fluxo de sangue na região vaginal. Essa secreção não apresenta riscos à mãe ou ao bebê. Seu aspecto é transparente ou levemente esbranquiçado, não possui cheiro e não causa coceira ou irritação”, explica o médico.

Ainda, de acordo com o especialista, próximo ao parto, a secreção torna-se mais volumosa e pode adquirir uma coloração avermelhada ou amarronzada. “Esse é um sinal de que o corpo da mulher está se preparando para o nascimento do bebê, o que não significa que o parto será logo, pois isso varia conforme cada mulher”, ressalta.

 

SECREÇÃO X CORRIMENTO

 

Durante a gestação, as futuras mamães devem ficar atentas, pois algumas secreções funcionam como sinais de alerta e devem ser observadas. Devido às alterações hormonais, a vagina está mais suscetível a apresentar infecções, o que pode gerar a dúvida: é um corrimento ou uma secreção normal? Embora, às vezes parecidos, eles apontam problemas diferentes, podendo ter várias causas.

 

Secreção vaginal normal não apresenta cheiro, coceira e tem coloração clara, semelhante à secreção do período fértil, podendo ser esbranquiçada ou transparente. “Esse tipo de corrimento é uma secreção fisiológica que tem como principal função umedecer e lubrificar a vagina. Durante a gravidez, tende a se intensificar devido à estimulação hormonal, sendo considerado extremamente normal”, esclarece Dr. Renato.

 

Já o corrimento pode apresentar desconforto, coceira, cheiro desagradável, ou seja, fatores relacionados a um desequilíbrio da flora vaginal que podem ser decorrentes da infecção por fungos, bactérias e/ou protozoários. “Os corrimentos de caráter infecciosos, se não forem devidamente tratados durante a gravidez, podem prejudicar tanto a mãe quanto a criança, considerando um aumento na chance de trabalho de parto prematuro. Além disso, podem ser sinais de doenças como candidíase, vaginose bacteriana, tricomoníase e gonorréia, por exemplo”, alerta o médico.

 

Como forma de prevenção, a grávida deve evitar o uso de roupas apertadas, preferir o uso de calcinhas de algodão, dormir sem as mesmas e lavá-las com sabão de coco ou sabão neutro, não utilizar absorventes diários e não realizar duchas vaginais. Alimentação saudável e atividade física também são importantes para manter o equilíbrio da flora vaginal. “O acompanhamento durante o pré-natal também é essencial. No surgimento de qualquer secreção ou sintoma inesperado, procure seu obstetra a fim de evitar consequências indesejáveis para a gestante e para o bebê”, finaliza.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close