Serra Catarinense

No aniversário da Amures prefeitos conheceram triagem do lixo em Urupema

Assembleia de prefeitos visita a unidade de compostagem d eresíduos (1)

Por Oneris Lopes


A assembleia de prefeitos da Amures em Urupema na manhã desta segunda-feira (11), em comemoração aos 46 anos de fundação da associação de municípios serviu para os prefeitos conheceram o processo de destinação de resíduos sólidos que é considerado modelo para a Serra Catarinense. Os prefeitos discutiram também, as oscilações do movimento econômico que nos últimos anos se mostra em queda na região.
Único município com gestão plena de resíduos sólidos, desde a orientação da população para separar lixo úmido de lixo seco até a o aproveitamento de compostagem para produção de flores, hortaliças e plantas medicinais que são distribuídas para população, Urupema passou a ser modelo com tendência de ser copiado para outros municípios. Inclusive está recebendo apoio de um grupo de professores do departamento de Engenharia Ambiental da Udesc/Lages para aprimorar ainda mais o trabalho de destinação sustentável dos resíduos.
O que explicou o prefeito Amarildo Gaio é que em Urupema, o maior capital são as pessoas. “Nossos projetos contemplam as crianças porque dependeremos delas amanhã. Não quero dizer que os municípios têm de fazer o que estamos fazendo em Urupema em termos de triagem e reciclagem de lixo. Mas aqui não administramos por decreto e sim com o comprometimento da comunidade. Nosso princípio é a educação”, declarou o prefeito.
Para o presidente da Amures prefeito de Bom Jardim da Serra Edelvânio Topanoti, o que conheceram em Urupema se enquadra perfeitamente no que buscam os pequenos municípios. “Só a partir de experiências bem sucedidas como estas construiremos propostas sustentáveis de destinação de resíduos sólidos. Urupema é um modelo”, elogiou Topanoti.
Sobre as quedas no retorno do movimento econômico registrada nos últimos anos, o Assessor de Movimento Econômico da Amures, Adilson de Oliveira Branco explicou que a região não tem conseguido acompanhar a evolução do Estado. E defendeu a criação de um Colegiado Regional para dar mais atenção aos setores de arrecadação, estar atento a tributação fiscal, acompanhar as unidades conveniadas a cerca dos blocos de nota fiscal e estimular a emissão de nota fiscal mesmo nas relações de trocas.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close