Agricultura

Governo do Estado investiu mais de R$ 4 milhões no setor agropecuário da região de São Joaquim

02

Assessoria de Imprensa para Agência São Joaquim Online

No último ano, a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca por meio dos Programas Juro Zero Agricultura/Piscicultura, Armazenar, Seguro Agrícola, de Desenvolvimento da Pecuária de Corte Catarinense e de Fomento Geral investiu R$ 4.271.286,00 na agropecuária da região de São Joaquim. Os números foram divulgados pelo secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, nesta quinta-feira (4) durante a Reunião Regional sobre Políticas Agrícolas em São Joaquim.

Os agricultores que participaram do evento conheceram os valores aplicados pelo Governo do Estado em 2014 na área agrícola dos seis municípios que integram a Secretaria de Desenvolvimento Regional e as perspectivas para o setor em 2015. Segundo o secretário Airton Spies, o ano que está terminando foi bom para a agropecuária brasileira, em especial para a catarinense. “Tivemos uma safra cheia resultante de investimentos em tecnologia de alta produção combinados com um clima favorável. A comercialização dos produtos agrícolas foi realizada com preços bons que permitiram uma boa renda para o produtor rural, com destaque para os preços pagos pela carne suína, de aves e bovina que receberam valores a cima da média histórica”.

Spies lembrou ainda que até o momento as chuvas foram suficientes para maioria das regiões do estado e as perspectivas são de boa produtividade. O secretário afirmou que a produção animal continua com bons resultados e as preocupações são em torno do preço do leite que no período de verão sofre uma queda sazonal. “Ano após ano, a agricultura e pecuária de Santa Catarina investem em mais tecnologias o que contribui para o aumento da produtividade e rentabilidade do setor”.

A parceria entre o Governo do Estado e o setor privado também foi destacada pelo secretário Airton Spies. “O trabalho em parceria dos setores público e privado nas áreas de pesquisa, extensão rural, defesa e qualidade agropecuária e fomento é um fator determinante para o sucesso do agronegócio catarinense e merecerá ainda mais apoio em 2015”.

01O diretor de Cooperativismo e Agronegócios da Secretaria da Agricultura, Paulo Von Dokonal, apresentou aos agricultores e autoridades presentes os investimentos do Governo do Estado, por meio de alguns programas da Secretaria, no setor agrícola da região de São Joaquim. Com o Programa Juro Zero Agricultura/ Piscicultura, 64 produtores rurais da região de São Joaquim foram beneficiados com financiamento de R$ 2.135.000,00, sendo que o Governo do Estado subvenciona o valor total dos juros num montante de R$ 217.000,00. O Programa Juro Zero incentiva investimentos tanto em captação, armazenagem e utilização da água como para aumentar a renda e criar oportunidades de trabalho para as famílias rurais e pesqueiras.

Para incentivar o produtor rural a contratar o Seguro Agrícola para suas atividades, a Secretaria da Agricultura subvenciona parte do prêmio do Seguro para os produtores de maçã de Santa Catarina. Na região de São Joaquim foram atendidos 1.241 produtores com subvenção de R$2.517.100,00.  O Programa atende também Seguro Agrícola para as frutas de caroço (ameixa, nectarina e pêssego), além das culturas já incluídas de arroz, cebola, feijão, milho, soja, trigo e uva.

O Programa de Fomento da Secretaria da Agricultura consiste basicamente em financiamento, destinados à aquisição de bens ou de serviços, para a melhoria do processo produtivo ou de agregação de valor, excetuando-se animais. Na região de São Joaquim o valor repassado pelo Programa foi de R$ 48.000,00.

Já o Programa Terra-Boa forneceu para os produtores rurais da região 138 kits forrageira, 1.677 sacos de milho e 17.732 toneladas de calcário. O kit forrageira consiste em insumos para melhoria e implementação de um hectare de pastagem. Cada kit é formado por mais de 80 produtos que são selecionados pelo agricultor e fornecidos a partir de um projeto técnico elaborado pela Epagri. O valor do kit forrageira é de R$ 1,8 mil que pode ser pago em duas parcelas anuais ou em uma parcela com desconto de 60% incidente sobre a segunda. O calcário é fornecido de duas formas: via cooperativas, em que o produto é disponibilizado para ser retirado próximo à sua propriedade, ou direto das minas, sendo o produtor responsável pelo transporte do produto do local de origem (mina) à sua propriedade. E o milho adquirido é devolvido na próxima safra seguindo uma relação de troca que varia de acordo com o tipo de semente de milho escolhida pelo produtor.

Para diminuir o déficit de carne bovina no estado e aumentar a renda do produtor rural, a Secretaria da Agricultura criou o Programa de Desenvolvimento da Pecuária de Corte Catarinense. O Programa incentiva investimentos que aumentem a produção e a qualidade de forragens, o manejo correto do pasto e a genética animal. Para isso, concede bônus para pagamento de juros previstos para as operações de crédito do Programa para Agricultura de Baixo Carbono (ABC). Os agricultores podem financiar até R$ 1 milhão para ser pago em até oito anos , com três anos de carência. No último ano, 48 projetos foram atendidos na região de São Joaquim num valor de R$7.246.000,00. Desse total, a subvenção do Governo do Estado será de R$ 1.456.000,00, sendo que R$ 350.000,00 já foram pagos.

A Secretaria da Agricultura trabalha ainda para diminuir o déficit de armazenagem de grãos em Santa Catarina com o Programa Armazenar. As cooperativas, produtores rurais, suas associações recebem subvenção de 50% dos juros, até um limite de 3,5%, referentes a financiamentos para construção e ampliação de armazéns. Em São Joaquim foram dois projetos beneficiados com subvenção de R$ R$ 33.186,00.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close