Agricultura

Estação experimental de São Joaquim Recebe Visita Técnica de Fruticultores Italianos

Italianos em São Joaquim (1)

Por Marcelo Cruz de Liz

 

35 fruticultores italianos da Cooperativa Agrintesa da região da Emilia-Romagna estiveram em São Joaquim
Italianos em São Joaquim (2)No dia 1 de dezembro, um grupo de 35 fruticultores italianos da Cooperativa Agrintesa da região da Emilia-Romagna, coordenados pelo pesquisador Giovam Battista Sorrenti da Universidade de Bologna e pelo Diretor Técnico da Agrintesa Sr. Ugo Palara, visitaram a Estação Experimental de São Joaquim com intuito de conhecer a produção de maçãs e uvas da região de São Joaquim.
A Cooperativa Agrintesa que é uma das maiores da Europa no setor de frutas e vegetais, possui quase 7.000 fruticultores no país, trabalha com várias espécies de frutas, utilizam alta tecnologia nos pomares e nos Packing House. O grupo de fruticultores era composto de produtores da maçã, pêra, kiwi, uva e ameixa.
Italianos em São Joaquim (3)Durante a visita na estação de São Joaquim o grupo foi recebido pelos pesquisadores, que explicaram todas as linhas de pesquisa desenvolvidas na Fruticultura de Clima Temperado para os fruticultores da região de São Joaquim, visitando a coleção de cultivares da estação. Em seguida, os fruticultores da Agrintesa visitaram o Packinhg House da Cooperativa Sanjo, onde ficaram muito impressionados com a organização e a qualidade da maçã, principalmente da variedade Fuji.
No período da tarde as visitas ocorreram nos pomares de maçã e kiwi da Empresa Hiragami´s, onde eles puderam observar como ocorrem o manejo e as principais práticas agronômicas de pomares enxertados sobre Marubakaido com ou sem uso de M-9 como filtro, os pomares de Kiwi, pois sua região na Itália é grande produtora desta fruta. No fim da tarde as atividades finalizaram na Vinícola Villa Francioni com uma visita a cantina e degustação de vinhos.
Foi possível perceber que o grupo ficou impressionado com a qualidade dos frutos de maçã produzidos na região, a organização e o nível tecnológico dos produtores, o crescimento e o desenvolvimento da fruticultura de clima temperado na região. De acordo com os mesmos, o sistema Cooperativista na fruticultura italiana é muito forte e organizado da produção até o mercado final , dessa forma, eles acreditam que a região teria muito a ganhar se seguisse pelo mesmo caminho, já que temos material humano, condições climáticas e produto de qualidade.

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close