Serra Catarinense

Lages, um bom negócio: Echosis teve acréscimo de 87% em seu faturamento entre 2013 e 2014

01

Artur Hugen para Agência São Joaquim Online

“O sonho, coragem e determinação destes rapazes fazem com que a acomodação seja palavra inexistente em seu dicionário. A Echosis tem uma história motivadora de trabalho”. Juliano Chiodelli

A Echosis Design & Sistemas engloba o universo de 50 negócios catarinenses selecionados para terem sede na Flórida até o fim de agosto por iniciativa do Programa Exporta SC, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). É um projeto-piloto da entidade, exclusivo no país, por enquanto. Por meio de um sistema de incubadora, as empresas irão estabelecer uma sede em Fort Lauderdale, na Flórida, Estados Unidos da América (EUA), próximo a Miami, e receberão consultoria da Duvekot Corporation, mesma empresa que internacionalizou a Embraer. O objetivo é ampliar as fronteiras comerciais e oferecer produtos no exterior a partir de sua comercialização.

As selecionadas irão receber todo o suporte do Sebrae em Santa Catarina, incluindo treinamentos, assistência jurídica, administrativa, fiscal, logística e de marketing, além da análise e adaptação do modelo de negócio para o mercado norte-americano. Também oferecerá infraestrutura física para o início das operações nos Estados Unidos para que as empresas alcancem a autossuficiência para atuar no mercado internacional. De Lages, mais três empresas foram selecionadas: Softecsul (tecnologia), J de Souza e Potenza Equipamentos Hidráulicos (ambas metalmecânico).

Missões internacionais

Em março e abril, as selecionadas irão realizar quatro missões internacionais para cursos sobre vendas. Ainda no primeiro semestre serão realizadas consultorias e capacitações à distância sobre o mercado norte-americano e exportação. A previsão é de que, até o fim de agosto, as 50 empresas estejam com a filial nos Estados Unidos. Entre as 50 empresas totais, oito são de software, sete de moda, 11 do setor metalmecânico, 12 de alimentos, quatro de tecnologia, três de moda e acessórios, duas de móveis e decoração, uma de cosméticos e duas de revestimentos. “É algo muito grande. Jamais teríamos condições de custear uma consultoria destas. Foi uma grande surpresa. A ideia é levar produtos daqui para o exterior e, é claro, trazer novas tecnologias, numa via de mão-dupla, um verdadeiro intercâmbio empresarial”, afirmam os empresários Leonardo Guzatti Dengo e Juliano Vaz Cervi.

É um dos projetos do Sebrae que receberam mais capital nos últimos anos. “Passamos por quatro etapas no processo seletivo. Levaremos o nome de Lages aos Estados Unidos através do nosso trabalho”, atestam. Por três anos, a Echosis detectará produtos e mercados, comercializar e terá consultorias jurídica, fiscal e tributária. Estudos de mercado já foram feitos por consultores da Duvekot na sede da Echosis, em Lages. Leonardo e Juliano viajarão para a Flórida ainda em março, onde abrirão a empresa, participarão de visita técnica e feira, e cursarão comércio exterior, via projeto. Serão oito meses de planejamento. O trabalho, inicialmente presencial, posteriormente será realizado de forma digital.

O lucro do mundo virtual

O Brasil tem presenciado a ascensão empresarial de pessoas com idade cada vez mais precoce. Lages está sendo fiel a este panorama. Leonardo Guzatti Dengo, de 27 anos, e Juliano Vaz Cervi, de 29, são os “pilotos” da Echosis Design & Sistemas, surgida há cinco anos em Lages, com perfil para clientes corporativos, empresa de desenvolvimento de sistemas web com oferecimento de soluções completas com total adequação às necessidades de seus clientes, paralelamente às tendências de mercado.

A Echosis conta com dez tipos de produtos em seu portfólio: sistemas web; criação de websites; backup empresarial voltado à manutenção de documentos e para relatório frequente de operações, com gestão otimizada; loja virtual (E-commerce) integrada com o sistema de fluxo de caixa com sistema Enterprise Resource Planning (ERP) para geração de nota fiscal e controle de estoque e contato com fornecedores; registro de domínio; hospedagem de sites; e-mail personalizado; otimização em SEO (Search Engine Optimization); gerenciamento em Facebook, e site acessível em libras.

Leonardo atua nas funções de diretor e no departamento comercial e Juliano Vaz Cervi, como gerente de projetos e de departamento pessoal. “A Echosis nasceu bem antes de ter um CNPJ, isto é, quando eu tinha 12 anos desenvolvi meu primeiro site. Mais tarde cursei sistemas de informação na Uniplac”, relembra, ao narrar seus passos iniciais na carreira promissora. Ele passou em um processo seletivo para ser professor na unidade lageana do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), fato que contribuiu para a decisão de montar o empreendimento.

Juliano ministra aulas no curso de informática para internet, no Senai. “Depois de dois anos o Juliano entrou como sócio da ideia nos gerenciamentos fundamentais”, conta Leonardo, que atua como coordenador do Núcleo Jovem da Associação Empresarial de Lages (Acil) há quatro anos, o que, segundo ele, o capacitou ainda mais para apostar em suas ideias, ampliação de contatos e troca de experiências com empreendedores veteranos. “O associativismo me ajudou a expandir os horizontes”, garante. Ele compõe também o núcleo de Tecnologia da Informação (T.I.).

Mais funcionários

Inicialmente a Echosis estava instalada na rua Fausto de Souza, próximo à Via Gastronômica, com quatro funcionários. Hoje o corpo funcional é formado por 11 colaboradores (todos com idade abaixo dos 18) em uma sala comercial com capacidade de 28 funcionários, na rua Frei Rogério, 58, perto da Lagetur. Três engenheiros de software fazem parte da equipe, destes, Leonardo e Juliano, além de profissionais universitários de ciências contábeis e de cursos técnicos.

Eles acreditam que o espaço seja totalmente ocupado dentro de dois anos. “Estamos procurando pessoas com aptidão em design. Somos uma referência para os jovens que moram fora de Lages e desejam aprendizado, principalmente com nossas condições de estágio. Basta querer entender o processo que a gente está se dispõe a ajudar”, afirma. Aproximadamente 150 clientes utilizam os serviços da empresa lageana, entre indústria e comércio, com uma gama de produtos com software sob demanda.

Os clientes são dos três Estados do Sul e de São Paulo. Em torno de 30% são de Santa Catarina. Entre eles, Primaz, Rex Destilaria, Banco Planalto Norte, Wizard e Ekomposit. Entre 2013 e 2014, a Echosis teve acréscimo de 87% em seu faturamento. “Estamos realizando um estudo de mercado e lançaremos novos produtos, ocasionando um foco em um determinado nicho de mercado, gerando diminuição dos nossos custos. À medida que a empresa cresce, apontamos para algumas soluções perceptíveis como mais rentáveis do que as outras”, frisa Leonardo.

De mãos dadas com as redes sociais

Sobre a sobrevivência perante tantas possibilidades virtuais gratuitas, Leonardo rebate dizendo que as redes sociais, por exemplo, acabam complementando o trabalho da Echosis. “Nosso grande diferencial é que conseguimos repassar informações essenciais ao nosso cliente: quantas pessoas acessaram seu site, idade, suas predileções, suas rejeições. No Facebook não há como fazer algo sob demanda. Ou seja, o sistema RP permite controlar estoque e financeiro, com integração de sistemas e divulgação via web. O site complementa a empresa, mas não é o que atribui maior lucratividade, não se pode concorrer somente com isso”, pontua. “Na verdade o site é a porta de entrada para o cliente descobrir o restante de produtos que podemos oferecer. Temos foco voltado inclusive ao Facebook que, mesmo sendo gratuito, é um grande produto para nós”, emenda Juliano Vaz Cervi.

Quando se trabalha com tecnologia, sob o ponto de vista dos dois empreendedores, acaba-se englobando o Brasil e o restante do mundo. “Em Lages existem grandes oportunidades e grandes ideias. A mão de obra daqui é muito boa e viável. Os jovens que estão vindo do ProUni parecem ter um empenho maior, um entusiasmo diferenciado. Alunos do Pronatec também tem esse perfil”, avaliam. A marca da empresa está passando por modificações sob seus preceitos de adaptabilidade.

A empresa recebeu a visita do secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Juliano Chiodelli, nesta semana, que destaca o papel da juventude sobre o empreendedorismo lageano. “Os jovens se espelharam nos cases dos próprios familiares. São talentos em expansão. O sonho, coragem e determinação destes rapazes fazem com que a acomodação seja palavra inexistente em seu dicionário. A Echosis tem uma história motivadora de trabalho executado noite e dia, uma história rica que servirá de inspiração para nossas atuais e futuras gerações”, assegura o secretário.

02

Legenda: Os clientes são dos três Estados do Sul e de São Paulo. Em torno de 30% são de Santa Catarina (Foto: Marcio Avila)

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close