Epagri realiza reunião técnica sobre a cultura da batata

por Sheila Godinho 0

Epagri realiza reunião técnica sobre a cultura da batata

No dia 23/03/2016 foi realizada uma REUNIÃO TÉCNICA SOBRE A CULTURA DA BATATA na Estação Experimental de São Joaquim com a presença de produtores e técnicos. O principal objetivo da reunião foi apresentar os resultados das avaliações dos clones de batata selecionados, desenvolvidos na Estação Experimental de São Joaquim, e também definir, com a colaboração dos produtores a possibilidade de lançamento destes clones como novas cultivares de batata para a região de São Joaquim e Santa Catarina.

culturabatataepagri (2)A participação dos produtores e de outros segmentos da cadeia produtiva é importante neste momento de definição para o lançamento de novas cultivares de batata, considerando os aspectos agronômicos, produtivos e mercadológicos. Este trabalho de melhoramento genético da batata contou com a colaboração de técnicos e produtores da região na forma participativa, em algumas fases da avaliação e seleção dos clones. Também contou com o apoio de outras estações experimentais da Epagri, como as Estações

Experimentais de Ituporanga, Lages e Itajaí para viabilizar a realização dos testes de VCU – Valor de Cultivo e Usos, normatizados pelo MAPA, e na obtenção de tubérculos-semente livre de vírus. A reunião técnica foi realizada com dois momentos: inicialmente foram apresentados os resultados de quatro clones selecionados candidatos a novas cultivares de batata, e após os mesmos foram apresentados no campo para avaliação da produtividade e as características dos tubérculos. No início da reunião o Gerente da Estação

Experimental de São Joaquim Marcelo Cruz de Liz destacou a importância da cultura da batata para região, considerando as condições climáticas amplamente favoráveis para produção e qualidade, se constituindo numa alternativa de renda para os produtores, a exemplo de outras atividades agrícolas como a fruticultura de clima temperado, pecuária e outras oportunidades. Na sequência, o pesquisador Zilmar da Silva Souza apresentou os resultados obtidos até o momento, de quatro clones selecionados, quando os participantes tiveram a oportunidade opinar, principalmente aqueles que haviam avaliado algum destes clones em suas propriedades, fornecendo importantes informações.
Entre o material selecionado, o Clone 407 apresenta alto potencial produtivo e com boa resistência de campo a requeima (Phytophthora infestans), o qual poderá ser direcionado para a produção orgânica de batata em vista da carência de cultivares para este segmento de mercado. Outro material promissor, o Clone 410, muito similar a cultivar Ágata em relação à arquitetura da planta, folhagem e o ciclo vegetativo, mas as plantas apresentam maior resistência de campo a requeima e a canela preta (Erwinia carotovora (Pectobacterium spp)), também maior teor de massa seca nos tubérculos culturabatataepagri (1)e com formato mais alongado. Este clone responde muito bem a adubação e a irrigação em relação à padronização dos tubérculos para o mercado e que deverá ser direcionado para cultivo convencional.

Também foi apresentado o Clone 311, muito produtivo e com ótima
aparência dos tubérculos, o qual está ainda em fase intermediária de avaliação. O Clone 308, outro material promissor, foi selecionado de um grupo de clones desenvolvidos na Epagri e enviados à Embrapa Clima Temperado de Pelotas, RS, mediante parceria tecnológica, o qual está em fase de realização de testes de VCU. O foco atual da Estação

Experimental de São Joaquim é trabalhar para o lançamento de duas novas cultivares de batata, originadas dos clones 407 e 410. Para atingir este objetivo faltam apenas algumas poucas avaliações exigidas para o lançamento e realizar a validação de tecnologias básicas. Estes dois clones já foram avaliados nos ensaio de VCU – Valor de Cultivo e Uso normatizados pelo MAPA para o registro e proteção de novas cultivares de batata no Brasil.


 

Estação Experimental de São Joaquim, Epagri.
zilmar@epagri.sc.gov.br
049.3233.8435

Deixe uma resposta