Famílias de São Joaquim recebem benefícios do Programa Banho de Energia

por Fabiana Legnaghi 0

O Programa Banho de Energia, lançado pelo Governo do Estado e Celesc em setembro, já chegou em 337 moradias da Serra catarinense. As casas receberam o sistema de aproveitamento de calor gerado por fogão à lenha para o aquecimento de água. Ainda está prevista a instalação de mil equipamentos nos municípios de Bom Jardim da Serra, São Joaquim, Urubici, Urupema, Lages, Cerro Negro e Painel.

A localidade de Vacas Gordas, no município de Urubici, é um exemplo de comunidade contemplada com o sistema. Há dois meses, a residência da dona de casa Valdisa Maria da Silva recebeu a instalação do sistema. Ela comemora os resultados. “Minha fatura de energia chegou nessa semana e, para minha alegria, reduziu de aproximadamente R$ 150 para R$ 52, uma economia muito boa, principalmente nessa época do ano. Aqui, na localidade, chamamos o sistema de “papai noel”, por ser vermelho e a posição do equipamento na casa lembrar o papai noel. Com o resultado na conta de luz, dá para dizer mesmo que é um presente de Natal, além do banho ser muito mais quente”, comentou Valdisa.

O programa envolve o investimento de R$ 7,2 milhões do Programa de Eficiência Energética Celesc/Aneel. A secretária executiva da Agência de Desenvolvimento Regional de São Joaquim, Solange Scortegagna Pagani, destaca o conforto que a iniciativa proporciona às famílias em localidades onde as temperaturas são muito baixas no inverno.

Previsto para ser executado até o mês de setembro de 2017, o programa beneficia residências de comunidades empobrecidas nos municípios de Bom Jardim da Serra (125 unidades), Cerro Negro (40), Lages (100), Painel (85), São Joaquim (330), Urubici (230) e Urupema (90). Foram priorizadas residências em comunidades localizadas nas regiões mais altas de cada cidade. De acordo com dados da Celesc, há uma previsão da instalação de mil sistemas, mas o número pode alterar de acordo com os critérios técnicos. Dos mil, já foram instalados 337 equipamentos.

Como funciona

A invenção é adotada desde 2012 pela Assessoria de Responsabilidade Social da Celesc como iniciativa para promover o uso eficiente da energia e a qualidade de vida. Desde então, o sistema foi implantado com o apoio de extensionistas da Epagri em 200 residências nos municípios de Caçador, Videira, Canoinhas, Mafra, São Joaquim e Lages. O calor gerado pela chaminé do fogão à lenha aquece um reservatório de água. A água quente é canalizada para torneiras e chuveiros, permitindo economia de até 30% na conta de luz. No equipamento, criado pelo catarinense José Alcino Alano, é aproveitado o calor que seria desperdiçado na chaminé, tornando o processo mais eficiente do que a tradicional serpentina, que não retira calor da câmara de combustão. Nesta edição do programa, será usado um sistema que também reduz o uso de lenha em 40%.

Informações adicionais para a imprensa

Elenise Melo Nunes – Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de São Joaquim

Deixe uma resposta