Produtividade da maçã – Dia de campo na EESJ demonstrou o Adensamento de plantio em Macieira

por Scarlleti Silveira Matias 1.215 views0

Visando mostrar resultados de pesquisa e trocar experiências entre os participantes, foi realizado um dia de campo na Estação Experimental da Epagri de São Joaquim dia 08/02/17, sobre Adensamento de plantio como estratégia para incrementar a produtividade de macieiras, contou com a participação de cerca de 40 pessoas entre estudantes, técnicos e fruticultores. O gerente da estação Eng. agr. Marcelo Cruz de Liz  cumprimentou  dando as boas vindas a todos e logo após o pesquisador da EESJ da área de Fitotecnia Eng. agr. Dr. Mateus Silveira Pasa repassou algumas informações dos resultados de pesquisa  em sala, em seguida os participantes se dirigiram ao experimento onde foram mostrados a realidade da área experimental. A densidade de plantio está diretamente relacionada com aumento da produtividade, a precocidade da produção, a escassez  e a maior eficiência de mão de obra, a qualidade da fruta, o aumento da rentabilidade do pomar, a eficiência na interceptação da luz solar entre outros fatores importantes. O plantio desta área foi realizado em 2006 com as cultivares Maxi Gala e Fuji Suprema  sobre o porta enxerto M-9  nas densidade de plantio de  1.562 plantas a 3.125 plantas por hectare , com espaçamento que vão  de 0,8 m a 1,6 m entre plantas por 4 m entre as fileiras. Na área experimental  foram mostrados os tratamentos, onde  os participantes puderam discutir e realizar perguntas sobre o experimento e suas particularidades,  como a  técnica de adensamento de plantas com porta enxerto, qualidade de frutos, produtividade, custo de implantação,  entre outras. Nesta safra as frutas estão apresentando uma boa qualidade em termos de coloração e tamanho, conforme visto no campo, com a produtividade podendo chegar tranquilamente a  50,0  toneladas/ha.

  Os sistemas adensados( mais de 2.500 plantas /ha) são uma realidade em outros  pólos de produção de maçã no  Brasil, bem  como em outras partes do mundo. Na região de São Joaquim ainda predomina a baixa e média densidade ( 500- 2.000 plantas/ha) com uso de porta enxertos vigorosos  como Marubakaido, entretanto pela diminuição da mão de obra,  facilidade dos tratos culturas e ganhos de eficiência técnica, os fruticultores e o setor da região  devem pensar em sistemas que possam facilitar  a produção com uso de porta enxertos menos vigorosos,  entre os quais, podemos citar o Marubakaido com filtro, a linha de porta enxertos da Universidade de   Cornell da  série CG, o  M-9 e  o M-26. Todos estes podem ser utilizados, desde que verificado bem a escolha do local, solos mais profundos e usando toda  tecnologia disponível, com uma boa correção , tutoramento das plantas, qualidade das mudas e principalmente  mudança de atitude  do fruticultor, para um novo sistema de plantio, de condução e de  poda das plantas.

Todas estas tecnologias estão a disposição dos fruticultores e do setor  para que tenhamos pomares mais produtivos, com frutas de melhor qualidade e que possam ser melhor manejados, com maior eficiência de mão-de-obra e a importância de técnicos e fruticultores bem informados e capacitados, com a realidade da nossa região,  proporcionando  uma maior competitividade e evolução do setor.

Salvar

Salvar

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>