Por gravidade e não mais por ordem de chegada – Hospital de São Joaquim modifica formato de atendimento

por São Joaquim Online 538 views2

O Hospital Sagrado de Coração de Jesus, em São Joaquim, informou nesta semana que modificou seu formato de atendimento durante o período da manhã tarde e noite, tal mudança se justifica pela assimilação do protocolo de atendimento nacional evidenciado pelo Ministério da Saúde que garante um atendimento prioritário aos devidos graus de risco das pessoas e não mais por ordem de chegada. Para isso o hospital adotará um critério de cores que variam do vermelho (prioridade máxima) ao azul (prioridade mínima) como padrão de identificação do risco por tempo de atendimento. A classificação de risco se dará nos seguintes níveis: ____________

Prioridade Nome Cor Tempo Alvo
1 Prioridade Máxima Vermelho 0min
2 Prioridade Alta Laranja 15min
3 Prioridade Média Amarelo 60min
4 Prioridade Baixa Verde 120min
5 Prioridade Mínima Azul 240min ou mais…

____________ Para o Gerente de Enfermagem Roberto Zanchi, o protocolo de acolhimento com classificação de risco o será implantado a partir do dia 15 de março e o objetivo é classificar os pacientes conforme o risco, para que se evite que pessoas com mais necessidade de saúde tenham que esperar os demais com menos risco ou risco algum. -“A classificação é por prioridades e não mais por ordem de chegada.E agora todo os que chegaram serão classificação pelo grau de risco à saúde. Esse protocolo é exigência parado SUS para todo o Brasil” Informou Roberto Zanchi O protocolo passará a funcionar 24 horas por dia. Todo o paciente que chegar será avaliado e classificados de acordo com a necessidade. Todos os enfermeiros do hospital Sagrado Coração de Jesus em São Joaquim já receberam treinamentos intensivos para esta classificação. -“O que se quer é evitar que um paciente com infarto tenha que aguardar alguém com gripe” Concluiu Roberto Zanchi. Idosos e crianças continuam tendo prioridade no atendimento sobre os demais, porém terão também quer classificados com o grau de risco de acordo com o protocolo nacional.

————

Prioridade Nome
Emergência:  Caso gravíssimo, com necessidade de atendimento imediato e risco de morte.
Muito urgente: Caso grave e risco significativo de evoluir para morte. Atendimento urgente.
Urgente: Caso de gravidade moderada, necessidade
de atendimento médico, sem risco imediato.
Pouco urgente Caso para atendimento preferencial nas unidades de atenção básica.
Não urgente: Caso para atendimento na unidade de saúde mais próxima da residência. Atendimento de acordo com o horário de chegada ou serão direcionado às Estratégias de Saúde da Família ou Unidades Básicas de Saúde. Queixas crônicas: resfriados; contusões; escoriações; dor de garganta; ferimentos que não requerem fechamento e outros.

Comentários (2)

  1. “Doutora” Gisele um dos casos em que procurei a unidade foi para fazer pontos cirúrgicos a onde tive que me deslocar a Lages e fazer lá,foram 4 pontos em um dos dedos da mão.Creio que isso não seria consulta e muito menos algo a se fazer em postos de saúde,unidade básica de saúde,centro de saúde e afins(Viu, eu conheço o sistema também,não estas dialogando com pessoas sem estudos a onde vocês adoram passar a lábia e possar de gente boa).No tempo em que morei ai sempre tinha vários relados(dos moradores locais e não locais) de cobranças indevidas quando se falava em Hospital em São Joaquim,o engraçado de tudo é que o meu caso a onde quase perdi o dedo não foi de urgência nem emergia,creio que o café do atendente não estava em dia ou o medico de plantão deveria estar dormindo ganhando hora extras e adicional noturno.Da minha parte não retornarei mais a essa reportagem visto que vim parar aqui por acaso pesquisando algo para fins de estudos da Faculdade e achei irônico fazerem essa mudança,os médicos que o governo petista trouxe para essa cidade creio que elevou a qualidade do atendimento assim como a agilidade com a burocracia e a atenção dos médicos com o paciente tenha sido maior.Obrigada pela informação desinformada.

  2. O Hospital é sim particular, apenas tem convênio com SUS. Hospital público é aquele que pertence ao Governo que não é o caso do hospital de São Joaquim, sendo assim, ele atende convênios, se não é Emergência é consulta e consulta pelo SUS se faz na unidade de saúde, o SUS, não paga consulta para o hospital. Enquanto o cidadão não enter a diferença de Urgência, Emergência e consulta, vão continuar falando besteira e acusando as pessoas que lá trabalham.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>