Força-tarefa será lançada em São Joaquim para erradicar cancro europeu dos Pomares de Maçã

por São Joaquim Online 0

Um arrojado plano de ações destinadas a erradicação do cancro europeu dos pomares de maçã do território barriga-verde será lançado nesta quarta-feira (14 de junho), em São Joaquim, unindo esforços da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola (CIDASC), da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI), da Associação dos Produtores de Maçã e Pera de SC (AMAP) e de milhares de produtores rurais. O ato de lançamento está programado para as 14 horas na sede do Sindicato Rural.

Santa Catarina é o maior produtor do Brasil. Por isso, a ameaça dessa nova doença, ainda sem cura e capaz de destruir pomares, é uma grande preocupação para os produtores e as entidades do agronegócio, alerta o vice-presidente da FAESC, Antônio Marcos Pagani de Souza.

O Estado catarinense possui 6,5% dos pomares de maçãs com ocorrência da doença, índice considerado baixo. Entretanto a crescente detecção de pomares com a praga (mais de 2% nos últimos dois anos) revela a necessidade de manutenção da vigilância e adoção de normas rígidas de controle e a implantação de um programa catarinense de prevenção e erradicação do cancro europeu das pomáceas.

Em território catarinense, 3.017 produtores dedicam-se ao cultivo da maçã. Isso representa 41% da produção da fruticultura barriga-verde e 51% do valor bruto de produção (VBP) estadual do setor frutícola. O Estado participa com mais de 50% da produção brasileira e 48% da área em produção dessa cultura no Brasil. Dois terços dos produtores nacionais cultivam a fruta em Santa Catarina, o maior estado produtor da fruta, com 610.000 toneladas/ano produzidas. São cultivados 16.500 hectares de macieiras. Os principais centros produtivos: São Joaquim, Fraiburgo, Bom Retiro, Monte Carlo, Lebon Régis, Bom Jardim da Serra e Urupema.

O engenheiro agronômo Ricardo Miotto Ternus, gestor estadual de Defesa Sanitária Vegetal da CIDASC, explica que o cancro europeu das pomáceas, causado pelo fungo Neonectria ditissima (sin. Neonectria galligena) é uma doença que afeta as partes lenhosas das plantas. A principal característica da doença é a formação dos cancros que prejudicam a translocação de seiva e o crescimento vegetativo. A praga é considerada quarentenária presente no Brasil, tendo critérios e procedimentos para sua contenção estabelecidos pelo Ministério da Agricultura.

ACOMPANHAMENTO

Em serviço de monitoramento à campo, a CIDASC constatou que, na safra 2015/2016, 42 novos pomares estavam infestados com a doença em Santa Catarina, totalizando, 117 pomares com ocorrência da doença em 10 municípios catarinenses. A infestação ocorreu, provavelmente, pelo transito de mudas contaminadas oriundas de outros países.

Ternus avalia que a erradicação é uma tarefa árdua, principalmente pelo nível de incidência e pela dificuldade de identificação de todos os focos, porém, “se não for implementada, a médio e longo prazo irá inviabilizar o cultivo de maçãs nas pequenas propriedades da serra catarinense, não restando outra alternativa de renda a estes agricultores”.

O esforço de erradicação será intensificado – no período de junho a agosto – com reuniões para conscientizar os agricultores sobre os riscos da doença e sobre a importância da eliminação das plantas com sintomas. A meta é levar informação técnica para mais de 2000 fruticultores da região serrana.

Participarão dessa força-tarefa os profissionais da CIDASC, EPAGRI, Secretarias de Agricultura dos municípios, FAESC, Associações de engenheiros agrônomos e de técnicos agrícolas, Associação de produtores e os próprios agricultores. A CIDASC dará suporte técnico para a condução das reuniões, a FAESC suporte logístico e alimentação aos participantes e os produtores de maçã terão participação ativa para defender seus interesses sabendo da importância do seu papel dentro do sistema de defesa sanitária vegetal.

SERVIÇO

O QUE: Reunião para erradicar o cancro da maçã.

QUANDO: quarta-feira (14/06/2017), às 14 horas.

ONDE: Sindicato Rural de São Joaquim (SC).

FONTES: José Zeferino Pedrozo (presidente da Faesc), Antônio Marcos Pagani de Souza (vice da Faesc), técnicos e dirigentes da Epagri e Cidasc, produtores de maçã.

 

 

Foto  – Macieira com cancro europeu (Foto – Ricardo Miotto Ternus – Departamento Estadual de Defesa Sanitária Vegetal da Cidasc)

 

Deixe uma resposta