Destaque

Curso do Senai reaproveita madeira e estimula alunos na produção de artefatos

Curso do Senai reaproveita madeira e estimula alunos na produção de artefatos

Diferente do público atendido pelo serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que é justamente aquele que busca uma qualificação profissional, os alunos do curso de confeccionador de móveis e artefatos em madeira são profissionais de diversas áreas. A novidade da instituição teve um resultado bastante interessante, uma vez que possibilitou aos participantes conhecer ferramentas e técnicas para produzir diversas peças com matéria-prima reaproveitada da indústria.

Desde criança o policial militar Clóvis Madruga da Rosa admirou o trabalho e as peças em madeira. Com as 80 horas de curso, ele e outras 13 pessoas tiveram a oportunidade de conhecer todos os equipamentos da oficina de marcenaria, tipos de madeiras e técnicas para fazer com as próprias mãos objetos decorativos e úteis numa casa.

Clóvis uniu a necessidade à criatividade e fez um cabideiro mancebo para guardar sua farda, botas e acessórios. “Essa foi minha primeira peça. Tinha uma madeira nobre de canela que veio da demolição. A ideia inicial era fazer uma tábua para cortar carne, mas a madeira era tão boa que resolvi arriscar em algo maior e com mais utilidade para mim. Deu certo”. A esposa Nadir de Jesus também aprovou. “Agora as coisas vão ficar mais organizadas”.

O advogado José Levi Cruz faz questão de dizer que antes do curso nunca havia pegado num martelo. “Sempre tive vontade de aprender. Aqui fiz coisas que jamais imagina”, destaca. Tanto para Clóvis quanto para José Levi e os demais participantes, transformar e dar outro significado às madeiras será uma atividade praticada por prazer nos tempos livres ou até mesmo como uma segunda fonte de renda.

Cursos devem continuar sendo oferecidos pelo Senai

O diretor do Senai em Lages, Telmo Coelho, reforça que o resultado da experiência superou as expectativas. “Essa era uma demanda não atendida, mas depois do feedback dessa primeira turma, vamos sim continuar ofertando esse tipo de curso”.

Para receber bem, o Senai conta com um corpo docente qualificado e parcerias sólidas como as que tem com os sindicatos filiados à Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) na Serra Catarinense, a exemplo do Sindimadeira que buscou junto às empresas matéria-prima para confecção das peças.

Catarinas Comunicação

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close