Especial

Pesquisadores Europeus Visitam São Joaquim para Acompanhar Projetos de Pesquisa Desenvolvidos pela Epagri e Universidade Federal de Santa Catarina

Entre os dias 29 de janeiro e 01 de fevereiro estiveram no estado de Santa Catarina os pesquisadores Marco Stefanini e Duilio Porro (Fundação Edmund Mach – Trento, Itália), Oliver Trapp e Ludger Hausmann (Instituto Julius Kühn – Siebeldingen, Alemanha) para acompanhar o desenvolvimento das atividades de um projeto de pesquisa estuda o comportamento de variedades de videira resistentes ao míldio nas condições de Santa Catarina.

O presente projeto é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC) em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina – Epagri (Estações Experimentais de Videira, São Joaquim e Urussanga), Universidade Federal de Santa Catarina e duas das instituições mais importantes do mundo na área do melhoramento genético da videira, a Fundação Edmund Mach e o Instituto Julius Kühn. Ele está sendo conduzido em duas etapas, a primeira delas consiste na avaliação de diferentes variedades de videira resistentes a doenças (PIWI) em cinco regiões diferentes de Santa Catarina (Urussanga, São Joaquim, Curitibanos, Água Doce e Videira), nessa etapa são avaliados o grau de resistência ao míldio das plantas, o desempenho agronômico, a qualidade das uvas produzidas e a qualidade dos vinhos. Já a segunda etapa compreende a realização de cruzamentos entre diferentes genótipos portadores de genes de resistência a doenças com o objetivo de criar novas variedades adaptadas às condições de cultivo do Sul do Brasil.

Europeus no Ristorante Toscano em São Joaquim

Na visita a São Joaquim, a equipe do projeto visitou os vinhedos da Vinícola Suzin, onde as variedades de videira estão sendo avaliadas e degustou vinhos originados de microvinificações produzidas pela Estação Experimental de São de Joaquim. De acordo com o pesquisador da Epagri, Alberto Fontanella Brighenti, os técnicos estrangeiros ficaram muito satisfeitos com o desempenho das plantas a campo e muito surpresos com a elevada qualidade dos vinhos produzidos em São Joaquim.

Ao final do período da visita foi possível degustar e avaliar os vinhos originados das variedades resistentes e produzidos pela Estação Experimental de Videira em um evento que reuniu mais 20 pessoas, entre técnicos, empresários e pesquisadores. Segundo o pesquisador da Epagri André Luiz Kulkamp de Souza, entre os vinhos avaliados, destacaram-se pela elevada qualidade as variedades Felicia, Calardis Blanc, Aromera e Regent. Tais variedades combinam a resistência ao míldio com a elevada qualidade dos vinhos, visto que possuem uma porcentagem significativa (mais de 90%) de Vitis vinifera em seu pedigree.

O plantio das variedades PIWI (do termo alemão Pilzwiderstandsfähigen, que significa resistente a doenças fúngicas) está em expansão em diversos países da Europa e América do Norte, onde se busca uma viticultura com uso menos intenso de fungicidas e mais sustentável do ponto de vista ambiental e econômico. Atentos a este cenário, é importante destacar que hoje no Brasil a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina e a Universidade Federal de Santa Catarina são as grandes protagonistas na pesquisa com variedades PIWI, trabalhando em cooperação com Instituições de renome mundial, para fornecer aos viticultores brasileiros informações a respeito da adaptação de variedades de videira que combinam resistência a doenças e alta qualidade dos vinhos.

Para maiores informações é possível entrar em contato com os pesquisadores da Epagri,

Alberto Fontanella Brighenti (albertobrighenti@epagri.sc.gov.br) e André Luiz Kulkamp de Souza (andresouza@epagri.sc.gov.br)

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close