Inverno começa hoje e traz nosso maior patrimônio – o frio!

Foi a 1h 23min que o inverno chegou. Trouxe o nosso maior patrimônio, origem da nossa única fonte de renda.

Maçã precisa de 700 horas de frio abaixo de 7ºC – ela representa 80% da economia da cidade –  uvas viníferas 400 horas de frio, também goiaba serrana, ameixa e a araucária. O gado é de origem europeia, o melhor, devido ao ‘marmoreio’, que é a gordura distribuída na carne.

Aí vem os produtos; vinho fino de altitude, a torta de maçã, paçoca de pinhão, queijo serrano gordo e churrasco.

Depois a estética do frio – com roupas elegantes praticamente o ano inteiro.

E o turismo e enoturismo com ecoturismo, despertando a cada dia – um gigante adormecido.

E o inverno despertou com temperatura abaixo de zero trazendo o nosso maior patrimônio a partir  das 1h 23min da manhã. Bem vindo!

Boulevard é inaugurado em São Joaquim

Inverno no Boulevard oferecerá diversas atrações durante seis diasPasseio público de cara nova. Agora dá gosto andar pelo centro de São Joaquim. O projeto proporcionou um visual leve, com menos automóveis e que destacou a arquitetura e fachadas das residências, estimulou o passeio público e a convivência entre moradores e turistas.

Com os bancos agora mais locais para ‘bater uns dedos de prosa’ e chimarrear.

Faltaram alguns ajustes pontais, que, devem sim, serem melhor debatidos com a população.

A obra foi executada pelo Governo do Estado em nove ruas da cidade e teve um investimento de R$ 7,2 milhões.

A secretária executiva da ADR, Solange Scortegagna Pagani, explica que a intenção do evento é mostrar o verdadeiro propósito do Boulevard, que possui um conceito diferenciado de outras vias de trânsito. “O boulevard, construído nas ruas Manoel Joaquim Pinto e Major Jacinto Goulart, é um espaço de negócios, de convivência humana e interação entre as pessoas, o que tornará o lugar agradável aos moradores e turistas”, destacou.

Inverno no Boulevard oferecerá diversas atrações durante seis dias de junho (clique aqui) e confira a programação.

Primeira neve de 2017.

Nada como contemplar a neve no interior de São Joaquim em meio aos pinheiros centenários. A primeira neve do ano chegou hoje no início da tarde dando seu espetáculo. Desde 2013 não dava uma neve tão prolongada na cidade de S.Joaquim. Nevou das 13:00 até as 13:47 totalizando 0,6mm de neve na sede da Climaterra. (Fotos. Ilton Carvalho SJ e Miria Oliveira Bom Jardim da Serra e Hamilton/Climaterra SJ)


Neve deve aparecer novamente entre julho e agosto de 2017

A chamada janela da neve abriu por aqui. Agora, para quem deseja conferir novamente o fenômeno, a previsão é que entre o final de julho e início de agosto a probabilidade é maior, é o que apontam alguns modelos.

Teremos extremos moderados a fortes de frio em vários momentos do inverno (maio a setembro), podendo ter 2 a 3 ondas bem fortes (boa chance em julho/agosto), podendo ser mais fortes que 2016. Alguns modelos sugerem um frio mais forte em julho e agosto, chuva abaixo da média no primeiro semestre de 2017 e acima a bem acima no segundo semestre de 2017. São informações da Climaterra.

Outro centro de meteorologia, este do Governo do Estado, o Ciram, aponta que a previsão é de valores próximos à média climatológica, no trimestre. Especialmente nos meses de inverno são esperadas as ondas de frio mais intensas e duradouras em SC.

São caraterísticas do outono e inverno: veranicos, nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, geada ampla e episódios de neve nas áreas mais altas do Estado. São informações do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da Epagri, órgão do Governo do Estado de SC. (A foto acima é de 2008)

Chance de neve no topo da Serra Catarinense

Sexta-feira com intensa  massa polar sobre SC. Nublado com garoa e chuva fraca: extremamente gelado, sensação térmica média entre 0ºC e -5°C, no topo da serra cerca de -8°C. Nas atividades ao ar livre, nas lavouras e pomares paracolheita e tratamento, as condições são ruins para o homem do campo.

É assim que começa o nosso inverno, ainda que tardio na Serra Catarinense.

Tem pequena possibilidade de neve isolada no decorrer da tarde ou noite de sexta e madrugada de sábado nas áreas acima dos 1300 e 1400m com pequena chance de chuva congelada e isolada e rápida acima dos 1.100 e 1.300m.

Terá um ‘calorzinho’  a tarde com máximas entre 6 e 12°C na maior parte de Santa Catarina.

Informações da Climaterra.

 

Produtores de Maçã na expectativa de bom preço, superior a R$ 2,00

Matéria sobre o preço da maçã foi publicada no Portal G1 e também no na Rede Globo

Produtores de maçã do sul do Brasil estão apreensivos com o anúncio do preço da maçã que deve acontecer nos próximos dias. É que nesta cultura, o vendedor fica sabendo do preço da sua fruta após a venda, e ainda assim é ditada pelo comprador. Em matéria publicada pela Rede Globo através do programa Globo Rural neste mês, o valor anunciado, a expectativa é de R$ 2,00 o quilo.

Os produtores acreditam que este preço mínimo é suficiente para continuar a produção no ano que vem sem se endividar, já que os custos com mão de obra, insumos, transporte, combustível, alimentação, etc, subiram. A inflação oficial em 2016 foi de 6,19%. A qualidade da fruta é uma das melhores dos últimos anos. A maçã é a segunda fruta mais consumida do Brasil, depois da laranja, e a excelência é produzida em São Joaquim. É muito exportada.

Dados da Epagri apontam que a cultura da maçã é responsável por 70% da economia dos municípios de Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Rio Rufino, São Joaquim, Urubici e Urupema, que compõem a região de altitude da Serra Catarinense e somam 11,4 mil hectares, 368 mil toneladas e 2,2 mil fruticultores.

Confira a matéria da Globo na íntegra (Clique aqui)

Produtores de Maçã na expectativa de bom preço, superior a R$ 2,00.

Produtores de maçã do sul do Brasil estão apreensivos com o anúncio do preço da maçã que deve acontecer nos próximos dias. É que nesta cultura, o vendedor fica sabendo do preço da sua fruta após a venda, e ainda assim é ditada pelo comprador. Em matéria publicada pela Rede Globo através do programa Globo Rural neste mês, o valor anunciado, a expectativa é de R$ 2,00 o quilo.

Os produtores acreditam que este preço mínimo é suficiente para continuar a produção no ano que vem sem se endividar, já que os custos com mão de obra, insumos, transporte, combustível, alimentação, etc, subiram. A inflação oficial em 2016 foi de 6,19%. A qualidade da fruta é uma das melhores dos últimos anos. A maçã é a segunda fruta mais consumida do Brasil, depois da laranja, e a excelência é produzida em São Joaquim. É muito exportada.

Dados da Epagri apontam que a cultura da maçã é responsável por 70% da economia dos municípios de Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Rio Rufino, São Joaquim, Urubici e Urupema, que compõem a região de altitude da Serra Catarinense e somam 11,4 mil hectares, 368 mil toneladas e 2,2 mil fruticultores.

Confira a matéria da Globo na íntegra (Clique aqui)

Mangueira Velha: 50 anos

Aqui é assim: 2.000 quilos de carreteiro e 30 cordeiros no espeto para 3.000 pessoas na quinta feira; 800 laçadores; 200 equipes; 35 estandes de comércio; 10 shows;. 30.000 visitantes; 370.000 metros quadrados de parque; ; 300 colaboradores; 2.000 barracas; 10 cidades participaram das cavalgadas até o rodeio e depois muita festa. São Joaquim SC.Mangueira-Velha_2017-29Mangueira-Velha_2017-9

Feriadões darão fôlego para o turismo em SJ

Este ano teremos oito feriadões. Expectativa boa para o turismo, principalmente na região de São Joaquim, que depende dessas datas. Ainda sofremos com a sazonalidade. O turismo de eventos de porte médio precisa ser intensificado, já que esse segmento ainda representa pouco menos de 10% na cidade. Até abril a previsão é de pouca chuva e já com geada a partir de março. Bom pra passear.
Também está cada vez mais difícil encontrar mão de obra qualificada, e ainda, trabalhadores que queiram se dedicar ao turismo nos finais de semana. Coisa da nossa cultura. No segundo semestre inaugura em São Joaquim o novo SENAC, com diversos cursos técnicos e também eventos agregados, o que pode começar a mudar a concepção de turismo da cidade.

feriadao