Solução para as calçadas. Chão batido!?

Chão Batido! pronto. Aí paramos de tropeçar na rua. Vamos homenagear os tropeiros, fica mais rústico, mais bonito, natural. O primeiro calçamento em São Joaquim foi feito em1950 pelo prefeito Ismael Nunes – e aquele  calçamento era bão!

Se não for de chão batido pode ser de pedra rústica, como nas trilhas do pelourinho, lá de 1800, quando faziam para receber o Dom Pedro II. Mas deixar como está não dá!

A rua Marcos Batista por exemplo, todo mundo sabe que era conhecida como a rua do sapo. Era só banhado. O paralelepido sempre oscila, com calçada crua, sem base forte, como anunciaram agora no projeto Acorde – deve ficar uma beleza.

E construir para abrir depois então. É colocar a carroça na frente dos bois. Ta aí ó? Carroça, boi, vai voltar tudo!

E calçamento com cimento puro, sem o tal ‘paver’, parece, cozinha de chão nova, mas com data pra se acabar.

A cidade era mais bonita no tempo do tropeirismo.

Não se conversa com uma pessoa na rua rua hoje sem falar da indignação do ‘baixismo’, do descaso da obra.

Tão nem aí

Por vezes, no início do mês tentei contato com a Engevix e o Deinfra (Departamento de Infraestrutura do Estadao) . Na Engevix, empresa que tem os projetos aqui em São Joaquim, disseram que só liberariam os dados dos projetos da obra com autorização do Deinfra, e lá, não houve resposta para os e-mail na assessoria de imprensa feitos por este blog. Na calçada da avenida que dá acesso a Lages, o projeto previa que a metade seria ciclovia, conforme anunciado pelo governo na imprensa, mas mudaram todos os projetos, nãoinformaram – nada sobre custos.

Aí fica um empurrando pro outro – e a obra…. anda.

Volta 1950!cavalgada

 

Turismo de Bom Jardim da Serra em alta

Skywalk01gTurismo em Bom Jardim da Serra em alta. Sônia, do Mensageiro da Montanha, restaurante e café, conta que o perfil do turista mudou nos últimos anos. Além dos turistas que sempre frequentam o local, em finais de semana, o mirante da Serra do Rio do Rastro agora recebe centenas de motociclistas, como neste final de semana – todos de Harley-Davidson. Ciclistas também são visitas constantes que se vê ao longo da extensão da subida da serra e depois no restaurante do Mensageiro.

Mas Sônia está feliz mesmo com o possibilidade do projeto do Skywalk sair em breve. Falta apenas alguns trâmites burocráticos, e o projeto, que é da iniciativa privada deve começar logo. O Skywalk do Bom Jardim deve ser maior que o dos cânions do EUA (foto), terá 25 metros de avanço sobre o precipício.

Gustavo, também do Mensageiro, lembra que a obra será uma referência para o Brasil. Turistas do Brasil e do mundo irão colocar a Serra Catarinense no roteiro de visitas do nosso país.

Cidade Limpa

Os Bom Jardinenses entraram de vez no clima turístico. A prefeitura fez uma varredura com caminhão pipa pela cidade e encheu as calçadas de floreiras: simples, baratas e harmônicas. O problema ainda é a falta de mão de obra, mas isto é um problema em qualquer lugar do país, em todos os setores.

Perfil do Turista

Pessoal da Tribo da Serra, que tinha empreendimento em São Joaquim e hoje está em Bom Jardim da Serra, conta que o perfil do turista de Bom Jardim é diferente de São Joaquim, o de lá é mais voltado para o ecoturismo, diferentemente de quem procura São Joaquim. A Tribo da Serra é uma empresa que faz roteiros de 4×4 pelos cânions da regiões com turistas.

Semana em alta

Início de dezembro foi de casa cheia em todos os restaurantes e pousadas em ‘Bom Jardas’. Mais de 100 pessoas estiveram hospedadas para a gravação do comercial da Citroen: helicóptero, 4×4 da Tribo da Serra, e todo o aparato para fazer o filme de deve ser rodado noínnício de 2015. Serra Catarinense novamente em toda a mídia brasileira gratuítamente.

Contagio

O que se espera é que os bons ventos não parem de soprar. Envolvimente da comunidade local, apoio do poder público para novos empreendimentos se os que já existem. Poque não tá fácil em muitos municípios da serra.

Maçã poderá ser vendida na Rússia em 2015

maçãE m janeiro começa a safra da maçã. Em março e abril é o pico da colheita. Em junho as exportações costumam estar praticamente finalizadas. Mas até comecinho de 2015, no mais tardar, as negociações externas têm que estar concluídas.
Diante desse calendário os exportadores brasileiros estão tentando encaixar maiores quantidades à Rússia, aproveitando-se do embargo do país aos fornecedores do Hemisfério Norte, em especial os vizinhos poloneses.
A rigor trata-se da única fruta do Brasil que poderia se beneficiar das restrições de comércio que o Kremlin impôs a europeus e americanos, vis-à-vis às restrições que estes impuseram ao país. As outras variedades exportadas para esse mercado são mais tropicais e não têm concorrentes na Europa – com certa exceção do melão, igualmente produzido pela Espanha – e já apresentam crescimento ao longo de 2014, em torno de 75%.
Não será uma tarefa fácil para os produtores maçãs, em razão dos preços que as empresas necessitam praticar no mercado externo na próxima temporada e do tamanho (calibre) menor da maçã, mas não custa tentar, segundo Pierre Nicolas Pérès, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Maçã (ABPM). Afinal, qualquer coisa que saia das 296,3 toneladas de 2014 (US$ 197,5 mil) de vendas deste ano à Rússia – valor irrisório como irrisória ainda é a participação geral da fruticultura nacional entre os russos, importadores líquidos de frutas – é considerado lucro. (Leia Mais)

Grupo de Turismo da Serra Catarinense em missão no RS

Trinta empreendedores de São Joaquim, Urubici, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro e Urupema estão na Serra Gaúcha para o 1º Benchmarking Empresarial – missão técnica. No roteiro, está a visita técnica a empreendimentos como a vinícola Casa Valduga, Casa da Ovelha e roteiro Caminhos de Pedra em Bento Gonçalves, entre outros.

A rota faz parte do projeto Turismo de Experiência, uma iniciativa do Sebrae SC na Serra Catarinense e Grande Florianópolis (Sabores da Serra Catarinense e Vida Açoriana) que iniciou este mês e se estende até o final de 2015. Na programação está capacitações e consultorias, Sebraetec, planos estratégicos de marketing entre outros.

(Leia mais)

hosteria

São Joaquim e a nova Ministra da Agricultura

Em campanha na última Expointer (RS) no mês de setembro, Dilma sinalizou para a ampliação de programas de acesso ao crédito e subsídios no ano que vem. É o mínimo que se espera da nova Ministra da Agricultura, entre outras ações. Ela deve ser anunciada amanhã (28) ou segunda.

Com um vasto currículo empresarial , Kátia Abreu era “o” nome esperado pelo agronegócio, setor responsável por 20% do PIB e por 44% das exportações do País. Há seis anos à frente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e há 8 no Senado, Kátia Abreu se consolidou como a maior voz deste grupo econômico no Brasil.

Dominado pelo PMDB, o Ministério da Agricultura teve seis ministros filiados ao partido nos últimos oito anos, sendo que apenas um tinha alguma formação em agronomia. Sem um nome recente de peso, a pasta ficou enfraquecida nos últimos anos e enfrentou sucessivas greves de funcionários em 2012 e 2013. O último ministro, Neri Geller, ex-deputado-federal pelo PMDB, que esteve em São Joaquim este ano é um exemplo deste quadro. Chegou ao cargo em março deste ano, ficou menos de dez meses. Das reivindicações que partiram daqui, pouco se sabe.

 

O MAPA é, atualmente, um ministério esvaziado, sem recursos, voltado apenas a aspectos burocráticos e regulatórios. Sua pedras da coroa são Embrapa e CONAB que, apesar dos percalços, ainda fazem um bom trabalho. Quando a última não o faz, o IBGE duplica.

No mais, é um apêndice do ministério da Fazenda para anunciar os Planos Anuais de Safra, monocórdios e, ultimamente, sempre com recursos crescentes de financiamentos e de seguro rural a juros subsidiados.

Há décadas, feudo do PMDB que, invariavelmente, indica para o cargo ministros sem qualquer conhecimento da agropecuária. Kátia Abreu é um avanço, segundo alguns analistas neste setor. A exceção foi Roberto Rodrigues, no primeiro mandato de Lula.

Por outro lado, ela tem o repúdio de movimentos sociais, lideres do MST, quilombolas, indígenas, agroecologistas e da agricultura familiar – este último emprega 70% da mão de obra no campo e é responsável pela maior parte dos alimentos que chegam a mesa dos brasileiros. Para estes setores, ministérios do Desenvolvimento Agrário e do Meio Ambiente é que a esquerda deverá exigir comando comprometido com tais causas.

Mas, com uma nova equipe econômica com perfil ortodoxo, ainda é cedo para saber o que vem para a agricultura.

Turismo de Experiência para a Serra Catarinense

Oficina de Sabores para realçar a ‘memória de sabores’ foi o primeiro seminário realizado com 30 empreendedores de São Joaquim durante todo o dia de ontem e dia 13 em Urubici.

Com foco em gastronomia, com os prazeres da mesa, o grupo assistiu apresentação de teatro com histórias e causos além de uma roda de viola e gaita. Estiveram lá Tanea Romão (Kitanda Brasil) e Rejane Cunha (Casa Azul Bistrô Latino) – chefes de cozinha especialistas em gastronomia dos cinco sentidos; gastronomia de raiz; gastronomia intuitiva e integrantes do Movimento Slow Food; Grillo Seco e Testa de Lampião e o gaiteiro Zé da Serra (Matakiterani – Associação Cultural) – Vivência em grupo e Roda de Causos.

O projeto pretende impulsionar os negócios do setor turístico e a identidade regional com base nos valores culturais e de tipicidade local da Serra Catarinense e da Grande Florianópolis.

Os eventos, consultorias, em parceria com o Sebrae, terão prazo de 14 meses com foco no desenvolvimento empresarial, Sebraetec e benchmarching empresarial, entre outros.


PT de São Joaquim elege Presidente da Câmara e pensa em 2016

São Joaquim tem um novo presidente da Câmara de Vereadores. A chapa vencedora de Túlio Mattos (PT) teve como vice o vereador do (PR )Antônio Carlos da Rosa e na composição Diomar Antunes do (PPS) como 1° Secretário e Maurício Yamashiro do (PV) como 2° Secretário. Foram seis votos contra três na votação nominal e cinco a três na contagem por cédulas, com um voto, estranhamente, nulo, “Do tipo: eu tanto apóio como repóio”.

Mas o certo é que o PT de São Joaquim sai fortalecido. Nunca antes na história deste município a cidade teve tantos recursos garantidos pelo governo federal. Poucos ainda falam sobre o assunto, mas com um Vice Prefeito e o Presidente da Câmara de Vereadores, o que se espera é mais avanços, e o PT da cidade da neve se cacifa agora para lançar um candidato a prefeito em 2016. Nova composição da Câmara de Vereadores de São Joaquim - Da direita para a esquerda: Diomar Antunes, Tulinho Mattos, Antônio Baduí, Maurício Yamashiro

Governo Federal anuncia crédito para máquinas agrícolas. Três anos de carência e 10 para pagar

colheitaFoi liberado nessa semana pela Caixa Econômica Federal, o financiamento para a compra de maquinários agrícolas, pela linha de investimentos voltada ao Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro).

A linha de financiamento poderá ser solicitada nas agências da Caixa Econômica Federal, que realizam operações de crédito rural. Segundo o BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social , o programa Inovagro tem um orçamento de 300 milhões, com vigência até junho de 2015.

O produtor rural individual poderá buscar créditos de até R$ 1 milhão para aquisição de maquinários e equipamentos, com prazo de pagamento de até 10 anos e a carência de até 3 anos.

 

Mais de 100 candidatos na Serra Catarinense

Mais de 100 candidatos ao legislativo levarão votos em São Joaquim, Urubici, Urupema e Bom Jardim da Serra nessas eleições. Foi assim em 2000, cerca de 120. Agora, apenas uns cinco tem berço nestas cidades. Outros, com a campanha estadualizada, base política e com féis escudeiros vão garantir uma boa parte da fatia, tem gente boa e gente ruim.

A Serra Catarinense, nesta época está sempre vulnerável ao ataque de muitas pestes. Com a politização distante, alguns eleitores sequer sabem o passado de alguns desses ditos, políticos. Gente com a ficha mais suja que pau de galinheiro. E não é só suja na política não – é coisa braba mesmo. E é impressionante como essa gente se atrai – em qualquer lugar. E terão muitos votos aqui.

Mas tem muita gente boa também. Podem até não serem tão presentes nesta terra, mas quando são não mentem, e nem fazem acordo com o diabo.