Forte temporal atinge Abertura Oficial da Colheita do Arroz no Rio Grande do Sul

Fotos: Irga

Uma tempestade atingiu nesta quarta-feira, 10,  a região de Capão do Leão (RS), onde é realizada a Abertura Oficial da Colheita do Arroz. Os ventos derrubaram estandes e forçou a organização a encerrar a programação desta tarde. Felizmente, ninguém se feriu.

Segundo o Instituto Rio Grandense do Arroz,  a programação será retomada normalmente nesta quinta, 11. Confira as imagens:

Fotos: Irga

Área semeada

Pouco antes da tempestade, o Irga divulgou os números da semeadura da safra 2020/2021. Segundo a entidade, totalizou 944.841 hectares no Rio Grande do Sul. Participaram  do anúncio o presidente do Irga, Ivan Bonetti; o diretor técnico, Ricardo Kroeff; e o diretor comercial, João Batista Gomes. A coletiva foi transmitida, a partir das 10h, pela plataforma Zoom direto da Sala de Imprensa da AOCA, com apoio da AgroEffective, assessoria de imprensa que divulga o evento.

A área semeada representa um crescimento de 1,2% em relação à área colhida na safra passada (933.168). Entre as cultivares mais utilizadas, 64,75% foram desenvolvidas pela Divisão de Pesquisa da autarquia. A IRGA 424 RI foi a mais utilizada, representando 51,42% deste total: mais de 485 mil hectares no RS. Em relação à soja em áreas de rotação com arroz, o crescimento foi de 7,4%, totalizando 366.409 ha semeados nesta safra.

O presidente do Irga destacou os esforços da sua gestão para aprimorar o corpo técnico. “Cerca de 65% das cultivares utilizadas pelos produtores gaúchos nesta safra foram desenvolvidas pelo Irga. Isso mostra a importância da nossa instituição para a lavoura arrozeira. Esse é um número impressionante e bastante representativo, na minha opinião. E nossa meta é aumentarmos ainda mais essa participação. Porque temos condições, temos um excelente corpo técnico, profissionais de primeira linha. E vamos trabalhar para não perder esses profissionais e ainda tentar trazer outros bons profissionais para o corpo técnico do Irga, dentro de um Plano de Negócios, um programa inédito que ainda estamos elaborando”, comentou Bonetti.

O diretor técnico apresentou os números da safra 2020/2021, detalhando a sistemática utilizada na apuração e tabulação dos dados. “O levantamento do Irga é muito minucioso e confiamos muito nesses números. Temos 38 núcleos espalhados pelas seis regionais, com pessoal que fica responsável por apurar os dados em cada um dos municípios. Esse é um trabalho feito a várias mãos, com as equipes do campo levantando dados, nossa gerência técnica ajudando a fechar esses apontamentos e pessoal da informática também auxiliando na apuração. Temos muita certeza sobre esses números”, explicou Kroeff.

O diretor comercial enfocou as possibilidades do mercado. “Sobre esses dados da safra, com uma leve alta em relação ao ano passado em relação à área, podemos dizer que não teremos uma supersafra. Levando em conta uma produtividade semelhante à do ano passado, isso nos dá uma tranquilidade na questão do abastecimento do mercado. Muitos fatores irão influenciar no mercado durante o ano, como exportações, consumo, câmbio. E até a produção do mercado asiático. Isso pode gerar oportunidades para o Brasil exportar e temos que estar preparados”, completou Gomes.

Com informações Canal Rural

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.