in

Rota Caminhos da Neve completa 26 anos – A ligação entre as Serras Gaúchas e Catarinense

Numa reunião ocorrida em Bom Jesus – RS, em 12/02/1993 com a presença de lideranças dos dois estados foi criado o Caminhos da Neve, projeto que foi idealizado pelo Jornalista Rogério Martorano, inspirado num voo que fez sobre a Região Serrana com Assis Chateaubriand. Várias ações foram feitas para motivar o Governo dos dois estados para criarem a rodovia encurtando distancia entre Gramado e Florianópolis, cruzando pelos municípios de Bom Jesus e São Joaquim.

Documento de criação do projeto

 

LINHA DE TEMPO

 

Em 12/02/1993 foi criado o Caminhos da Neve através de uma Ata com assinatura de lideranças do RS e SC;

Em 26/04/1996 na IX Abertura da Festa Nacional da Maçã, Prefeitos da Região pediram ao Ministro dos Transportes a pavimentação da rodovia;

Em Jan/1997 o Governo do RS fez um Estudo de Traçados;

 

Em 04/08/1998 os dois estados lavraram uma ata definindo o traçado pelas comunidades de São Francisco Xavier e Santo Inácio;

Em 29/09/2004 o Governo de SC licitou o projeto de engenharia e projetou a rodovia até a Ponte das Goiabeiras;

Em 10/09/2006 o Batalhão do Exercito iniciou a pavimentação do trecho catarinense;

Em Nov/2008 o Dnit implementou trevo de interseção e sinalização na localidade de Rondinha na BR285;

Em 15/12/2011 o Governo do RS inaugurou o penúltimo trecho da Rota Caminhos da Neve que uniu Campos de Cima da Serra a Região das Hortências;

Em 01/09/2016 o Governo do RS contratou o Estudo Ambiental e Econômico cumprindo novas instruções do Tribunal de Contas;

Em 26/10/2017 o Governador de SC sancionou a Lei 17295 de autoria do Deputado Estadual Milton Hobus que institucionalizou a Rota Caminhos da Neve em SC;

Em 24/04/2018 o Governador do RS sancionou a Lei 15155 de autoria do Deputado Estadual Gabriel Souza que institucionalizou a Rota Caminhos da Neve no RS;

Em 05/07/2018 o Presidente da Republica promulgou a Lei 13689 de autoria do Deputado Federal Alceu Moreira para incluir a rodovia no SNV (malha federal);

Em 06/11/2018 Deputados e Senadores Catarinense aprovaram R$ 40 Milhões para a conclusão do trecho Catarinense.

Em 21/11/2018 o Dnit criou o número BR-438 como rodovia planejada, até que RS e SC entreguem a documentação.

 

Em Santa Catarina

Em SC desde a criação do projeto, foram pavimentados 18 km, foi feito a terraplanagem de 1 km, ainda restam 10,4 km até a divisa com o RS na Ponte das Goiabeiras. A expectativa agora é que o Governo de SC entregue para o Dnit toda a documentação da rodovia para que sejam aplicados os R$ 40 milhões aprovados pela Bancada Catarinense. E até que isso se concretize que o Deinfra faça as manutenções adequadas para que o escoamento de safra, fluxo turístico e transporte escolar possam fluir adequadamente.

 

No Rio Grande do Sul

No RS são aproximadamente 43 km que ainda estrada de terra e tem um rio que ainda não tem ponte. A expectativa é que o Governo do RS pague o restante do contrato do Estudo Ambiental e Econômico e doe para o Dnit. E até que isso se concretize que a Prefeitura faça as manutenções adequadas para que o escoamento de safra, fluxo turístico e transporte escolar possam fluir.

 

A Ponte das Goiabeiras

A Ponte das Goiabeiras que é uma das portas de entrada dos dois estados, apesar de serem estados de economia pujante, onde poderia ser uma obra atraente e bela, no entanto o que se vê é uma um ponte banguela, que já caiu várias vezes, encontra-se amarrada e cheia de remendos. As reformas tem sido feitas pelos próprios produtores, que nos últimos anos não tem recebido apoio nenhum.

 

A Parte mais complicada da Rodovia para a Safra da Maçã

Chegando a Safra da Maçã  chega também o pesadelo dos Produtores: “As Estradas” no Caminhos da Neve… Mesmo com dois tratores o produtor não conseguiu tirar o caminhão carregado com a maçã.

_____________

O Futuro

A conclusão dessa rodovia é fundamental para integrar a Serra Catarinense, Campos de Cima da Serra no RS; Vale do Araranguá em SC; Extremo Sul de SC e a Serra Gaúcha, pois proporcionará redução imediata nos custos logísticos da Maçã; Madeira; Pecuária; Café; Arroz; Cerâmica e principalmente com o desenvolvimento integrado do Turismo Regional. Pois além de melhoria na qualidade de vida do povo serrano a rodovia deverá gerar centenas de empregos diretos e indiretos em Câmaras Frias; Indústrias de Madeira; Agroindústrias; Turismo Rural; Pousadas; Hotéis; Agências; Condutores Locais; Postos de Serviços e o Comercio em Geral que terão impulsão imediata nas vendas, com o aumento do fluxo turístico regional.

Turistas no Caminhos da Neve no ponto mais frio do Brasil com mais de 100 geadas por ano…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Polícia Militar reforça segurança durante a colheita da maçã na operação Altos da Serra

Caminhão pega fogo na Serra do Rio do Rastro