in ,

O empresário e músico blumenauense Carlos Schrubbe, afirma: “Lages tem um incrível potencial cultural”

Carlos Schrubbe, músico e empresário blumenauense foi convidado para tocar jazz na Vinícola Dalture na semana passada. Schrubbe aproveitou para conhecer a região da Serra Catarinense e conta um pouco da sua história para o saojoaquim.com. Confira.

Acredito que a música é uma forma de comunicação como a fala. Posso pegar meu violão, tocar algumas notas e você entender igualmente, com o mesmo sentido semântico que as palavras, relata Carlos Schrubbe.

Iniciei os meus estudos de violão na igreja aos oito anos de idade na Vila Itoupava, distrito da cidade de Blumenau em Santa Catarina. Com 14 anos, comecei a estudar música brasileira e jazz. Ao mesmo tempo, tocava em bandas de baile, música gaúcha e alemã. Conheci a música barroca no curso de música da FURB – Universidade Regional de Blumenau. Lá, me apaixonei pelo gênio da música Johann Sebastian Bach – compositor alemão do período barroco. Ao mesmo tempo, nascia em mim um lado de empreendedor, de tentar mudar a realidade das coisas aqui na minha Vila Itoupava. Nasceu então a Vila EnCantos Produções. Hoje uma produtora executiva e comercial de artistas, que iniciou suas atividades em setembro de 2013. Primeiramente, a ideia foi abrir um grupo de musicalização para adultos, o Grupo Vila EnCantos. Depois, de maneira atrevida comecei a produzir um concerto de alto nível por mês na Vila Itoupava. O distrito tem aproximadamente oito mil habitantes. Pela distância do centro de Blumenau (25km), não há muitas opções culturais além da alemã. Então, de 2013 até 2016 foram realizados 32 concertos, distribuídos gratuitamente para a comunidade. A experiência foi impressionante. Mudou a vida de todas as pessoas que participaram! Até me rendeu um prêmio da Academia Catarinense de Letras e Artes – ACLA – de personalidade musical do ano de 2014. No mesmo ano fui convidado a trabalhar como diretor de cultura da Fundação Cultural de Blumenau. Foi uma decisão difícil, pois ainda tinha o hábito de estudar violão várias horas por dia. Pensei comigo: “devo aproveitar meu tino empreendedor, a fim de ampliar minha atuação em prol de resolver problemas dos artistas; vou aceitar!” Nos dois anos seguintes trabalhei de forma integral com gestão cultural, deixando meu violão de lado definitivamente. Em paralelo, eu comandava minha a empresa produzindo concertos mensais gratuitos nos bairros da cidade.

A Vila EnCantos Produções também atua na área de educação musical e formação de plateia, por meio de aulas de musicalização para bebês a partir de seis meses, crianças e adultos. Temos polos educacionais espalhados pelos bairros da cidade oferecendo uma proposta pedagógica inovadora: ouvir com outros ouvidos. Aprender a ouvir música, tocar vários instrumentos, conversar musicalmente, improvisar, produzir um concerto, exercitar o respeito, conhecer da história da música, entre outras atividades.

De maneira simples, um músico que viveu as dores de três intensas experiências profissionais na área da música: violonista (músico), gestor de governo e empresário, pode afirmar com segurança que atualmente, o grande desafio da cadeia produtiva da música é a autogestão dos artistas. Nosso mercado é desorganizado, desvalorizado e desprestigiado. Hoje a minha empresa existe infelizmente por uma necessidade, que do ponto de vista empresarial é elementar: a organização, a gestão, a união, o se entender como uma classe, um ecossistema econômico. A maioria dos artistas não têm inclinação para este pensamento, por isso existe a Vila EnCantos Produções. Hoje, todos os meus esforços estão concentrados em criar soluções práticas para os artistas, contratantes e todos os atores que participam do mercado da música e da economia criativa.

Conhecer a cidade de Lages foi uma experiência incrível! Minha primeira visão da cidade foi a linda catedral. Fiquei estupefato! Arquitetura, decoração e claro: o incrível órgão de tubos. Conheci o teatro, o SESC, praças, pessoas, enfim, a cidade como um turista. Afirmo com segurança que Lages tem um incrível potencial cultural, pelos artistas, equipamentos culturais, por sua importante representação no estado, por meio da sua história, economia e turismo. Terei sempre o maior prazer em voltar, tocar, cantar, produzir, turistar, enfim, qualquer coisa que Lages precisar de mim (risos).

Por Sandra Rosa

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pedofilia: Relatos de Joana sobre a História de Lúcia, pedófila, estupradora e assassina

Governador anuncia que Serra do Rio do Rastro terá duas balanças para o controle e liberação de cargas