Sofreguidão – Por Henrique Córdova

 

As colmeias agitadas,
Núncias precoces do primaveril conúbio
– Promessa da frutificação estival –
Esvaziar-se-ão brevemente,
Ao despontar das primeiras flores
De macieiras apressadas.
Então, árvores e insetos cumprirão, servis,
Vertiginosamente,
O imperativo desenhado em suas essências,
Pela fonte inexorável de todos os instintos
Que rege, sem desvios, o universo inteiro.
Alheias às estações e ao tempo inventados,
Abelhas e flores se encontram:
As primeiras, bem armadas e sedutoras,
Defensivas e ferozes contra invasores;
As segundas, delicadas, semostradeiras, belas
E disponíveis para os fecundantes amores.
Do beijo fecundo, começa a germinação do fruto
E a prelibação ansiosa de seu desfrute.
O silêncio, que substitui a zoada da aproximação,
Denuncia a presença indesejada dos ávidos,
Que buscam, em cada ato, adivinhar a parição
De esferas vivas, em pencas generosas,
Que, entremeadas de folhas verdes, amadurecem
E, avermelhadas, atraem inumeráveis comensais
Para fartos banquetes vestibulares e intermediários,
Que se findam no recomeço da mesma história…

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.