Preparação de bovinos para exposições e leilões é o novo treinamento do Senar/SC

Uma turma-piloto ocorreu no município de São Joaquim

Com o objetivo de ensinar técnicas para ressaltar as características e as qualidades dos bovinos que participam de feiras agropecuárias, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), disponibiliza novo curso a partir deste mês de outubro.

O treinamento de preparação de bovinos (corte e leite) para exposições e leilões é voltado para maiores de 18 anos e tem duração de 16 horas, divididos em dois dias, com parte teórica e prática. O intuito é abordar técnicas para deixar os animais em suas melhores condições estéticas e enaltecer os atributos de cada raça. Até o momento foram realizadas duas turmas-piloto nos municípios de São Joaquim e Campos Novos.

Novo treinamento do Senar/SC ensina técnicas para preparar bovinos para exposições e leilões

“Da parte estética trabalha-se a preparação do pelo, a importância do cuidado nutricional e a preparação para doma, no caso de exposições, que é uma demanda que está em crescimento nos últimos anos. Para os animais que participarão de leilões também é fundamental destacar as qualidades para chamar a atenção dos compradores”, observa o prestador de serviço em instrutoria, Ricardo Becker.

Para o coordenador do programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) em pecuária de corte e vice-presidente da FAESC, Antônio Marcos Pagani, os bovinos devem estar impecáveis para o julgamento morfológico ou para o arremate. “O trabalho inicia meses antes e requer dedicação e investimentos, pois os animais avaliados precisam ter boa genética e equilíbrio. Cada título conquistado em exposição contribui para ampliar a valorização da propriedade rural e também para elevar o valor comercial do animal”, analisa.

De acordo com o superintendente do SENAR/SC, Gilmar Antônio Zanluchi, o novo treinamento instrumentaliza os produtores rurais catarinenses para que tenham conhecimentos sobre os critérios observados pelos jurados e pelos compradores, tornando seus animais mais atrativos e competitivos. “O trabalho inicia com a preparação de uma alimentação adequada para que tenham bom desenvolvimento conforme o que preconiza a raça para não sobrecarregar com proteína e para não acumular gordura, o que futuramente pode prejudicar a produtividade do animal, além de apresentar técnicas para deixá-los confortáveis e seguros na pista de julgamento e as medidas para ressaltar os atributos dos animais”, comenta.

 

POR MARCOS A. BEDIN

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.