Lembranças: A bela e valente picape da Chevrolet. Sua história e mais detalhes da C10.

Ter uma visão mais “wide” sobre a situação atual do mundo e, ao mesmo tempo, lançar nosso olhar experiente para os tempos idos, em que as coisas simples como um mero passeio de carro com a família, realmente importavam. Nas lembranças da minha infância/adolescência existem coisas impensáveis para os dias atuais e sentimentos que os jovens de hoje, nunca vão vivenciar.

Clássico da Chevrolet C10, a clássica das picapes. O Brasileiro é apaixonado por picapes. Esta relação íntima começou nos anos 60, quando Chevrolet e Ford dividiam as atenções vendendo modelos originalmente projetados para os Estados Unidos.

 Em 1964, o estilo era modificado, assim como o nome, agora a picape chamava-se C14, com faróis duplos, linhas mais retas e capô em formato de cunha, a picape conquistou o gosto do consumidor e conseguiu folego para enfrentar a concorrente da Ford, mais moderna até então. Além da C14 com caçamba comum, havia a C15 com caçamba alongada e a C1416, a nossa conhecida Veraneio que foi utiliza por décadas como viatura policial.

  Em 1973, outra denominação, agora a picape chama-se C10, que nada mais era do que a C14 e C15 unificadas, tendo como opção o chassi alongado. A C10 com estilo mais marcante é o primeiro modelo, grade cromada com faróis redondos integrados, piscas abaixo da grade combinavam muito com suas linhas, mesmo que já fossem velhas conhecidas do brasileiro, nessa época ela já convivia com o Opala e seu estilo era baseado no mesmo, além de todas as versões citadas acima, existia ainda a versão sem caçamba da picape, até hoje muito utilizada como caminhão de uso urbano.

A camionete chevrolet c 10 cabine dupla emplacou, tanto né beleza como na utilidade, uma camionete linda, meu pai possuiu uma destas e ficou na história, foi a camionete mas bonita que a chevrolet fez, mas este modelo da C 10 ficou para sempre insubistituivel lamentavel que não se fabrica mais!!

A linha C-10 da Chevrolet nasceu no final dos anos 1960 cheia de opções: com ou sem caçamba, cabine dupla (duas portas e capacidade para seis ocupantes), além das séries destinadas ao Exército e à Marinha — sem teto rígido, com para-brisa basculante.

Entre uma das principais picapes já lançadas pela Chevrolet está a C10, picape que ficou bastante conhecida devido a grande qualidade e durabilidade, para a época seu desenho também era bastante diferenciado, além disso, era uma picape muito espaçosa, conseguindo acomodar três pessoas tranquilamente.

O conforto é outro fator que deve ser ressaltado, tendo como diferencial o banco único, ou seja, o banco que acomodava as três pessoas era único, o que também melhorava muito o conforto, até mesmo porque era um banco bem acolchoado.

A C10 foi criada com a finalidade de ser confortável e também ser muito resistente, e a Chevrolet conseguiu cumprir esses pré-requisitos, fazendo a picape com um material bem mais resistente do que se comparado com as picapes da atualidade, além disso, sua suspensão trabalhava muito bem, oferecendo bastante resistência e amortecimento.

A Chevrolet C10 surgiu no ano de 1974, substituindo a linha C14 e C15 que na época também conseguiram imprimir um bom ritmo de vendas, sendo que desde o início a C10 conseguiu atender os pré-requisitos impostos pelos brasileiros, mas devido a seu alto custo, poucas pessoas na época conseguiam adquirir uma Chevrolet C10 zero quilômetro.

Logo de inicio, a Chevrolet investiu pesado na picape, pois percebeu que ela poderia trazer bons frutos e realmente foi o que aconteceu. Diferente do que muitas pessoas imaginam, a Chevrolet C10 não foi lançada somente na versão de 3 passageiros, logo no ano de seu lançamento, também foi apresentada uma versão cabine dupla que conseguia acomodar 6 passageiros. Foram lançadas algumas versões da picape que foram destinados ao exercito e marinha do Brasil, nessas versões a picape não contava com teto fixo e os para-brisas eram basculantes, visando dessa forma criar uma picape resistente e com múltiplas funções.

Como dito acima, a picape contava com uma suspensão que oferecia bastante conforto, isso acontece porque a suspensão contava com um sistema independente, tanto na traseira quanto na dianteira, o que melhorava na resistência e também no amortecimento, essas características são muito elogiadas até hoje, por mecânicos experientes que afirmam que esse sistema deveria ser implementado nas picapes atuais. De baixo do capô a picape conta com um motor de 4.3 litros, conseguindo render 151 cavalos de potência, tendo como principal diferencial o torque, que oferecia uma boa autonomia e também não sentia tanto quando a picape está carregando algum peso, sendo um fator bastante interessante.

Para a época era considerado um motor de alta qualidade, mas para atualidade é um motor que consome muito, porém uma viagem na picape não deixa de ser bastante prazerosa. O sistema de freios é a tambor nas quatro rodas, não contando com sistema de hidro vácuo, por isso requer bastante atenção, principalmente se estiverem desregulados, pois pode acontecer de os freios falharem ou até mesmo de travar as rodas traseiras devido ao baixo peso. A picape conta com capacidade de 750 quilos, sendo uma característica de se admirar, até mesmo porque, na época a picape era utilizada para vários fins e não somente para passeio como acontece na maioria das vezes na atualidade.

Acompanhando seu motor de 151 cavalos de potência, a picape contava com uma transmissão de 3 velocidades, sendo considerada uma transmissão de pouca eficácia, mas que para época conseguia cumprir os pré-requisitos impostos pelos consumidores brasileiros. Uma qualidade suprema da C10 era o seu motor, pois tinha dois quesitos dos sonhos, a potência e o silêncio, mesmo não sendo bem aproveitado com seu câmbio de 3 velocidades, mas que encaixava muito bem as marchas, facilitando na pilotagem e deixando a mesma mais confortável.

Assim que a Chevrolet C10 foi lançada, rapidamente se tornou uma líder de vendas dentro do mercado nacional, ficou muitos anos à frente de suas concorrentes, também conseguindo manter a Chevrolet à frente no segmento de picapes, sendo considerada por muitos como umas das principais picapes já produzidas dentro do mercado nacional. Seu desenho era bastante diferente e conseguia atender os pré-requisitos impostos pelos consumidores brasileiros, mas o que derrubou a C10 foi a crise do petróleo, pois a picape utilizava gasolina como combustível e os motores a diesel sempre ofereceram melhor consumo e também melhor custo benefício.

Como forma de reagir aos consumidores, a Chevrolet resolveu aplicar alguns itens na picape, como no caso de freios a disco, câmbio de quatro marchas, capacidade de carga de 1 mil quilos e vários outros itens que não conseguiram manter o fluxo de vendas da picape. Na época, a disputa era muito grande e a crise acabou conseguindo vencer a qualidade oferecida pela picape, sendo assim a C10 foi descontinuada no ano de 1981.

As lembranças de Antigamente

Você não precisava de uma perua de sete lugares. Não precisava nem de Kombi ou microônibus, na verdade. Com jeitinho cabia todo mundo na caçamba da picape. Nossa tolerância para desconforto era maior, sim. Mas era compensada por uma capacidade de se divertir com coisas mais simples, uma alegria perene sem motivo aparente algum.
Onde as pessoas se divertiam muito mais, sem bugigangas eletrônicas que hoje, irônica e paradoxalmente, mais as afastam do que aproximam — basta observar como se comportam como autômatos nos restaurantes e locais públicos: todos com seus mega smartphones a tira-colo a tudo fotografar e digitar…. Cadê o velho e bom bate-papo? Cadê o almoço de domingo, mesa cheia e todos conversando? Hoje temos uma legião dos sem-paciência: tudo para eles parece “so boring”, tedioso, posto que não tiveram aquele tipo de vivência desde a mais tenra idade.

Dizem que o melhor tempo é o agora. Mas sinto sim — e muita — falta dos tais velhos tempos. E, mesmo estando próximo dos quarenta, considero-me de certa forma privilegiado por ter tido em minha infância e adolescência, momentos despretensiosos, memoráveis e deliciosos como andar de picape com a família e amigos em direção a um almoço de domingo.

Era uma época que, vista de hoje, parece de uma liberdade tão deliciosa que chega a chocar. E não existe maneira melhor de ilustrar isso, coisas que eram totalmente aceitáveis, que hoje são tabu completo.

Com informações Salão de Carro

3 COMENTÁRIOS

  1. Magnífica matéria, relembrando um passado que parece que foi ontem, eu vivi esse tempo que hj recordo-me com certa nostálgia. tenho na minha memória vários relatos sobre essa linda pickup. nós anos 80 tem vê uma 74 bordô, era destinado ao meu trabalho e como me serviu essa camionete. Pau pra toda obra! outra breve passagem em retorno a mãe nhã terra natal nos idos anos de 1974, fomos recepcionados por meu avô e vários tios, na presença de um belo exemplar c14 verde ano 72 de luxo em estado d zero. Até hj tenho guardado c migo essas inesquecíveis recordações…!!

  2. Excelente matéria, lembro me de todas essas versões, e não haviam concorrentes à altura.
    Lembro me tbm das versões C60, com belos caminhões de cartoceirias de madeira.
    Meu pai era motorista de um deles..
    Saudades….

Deixe uma resposta para Manuel Florindo Cavalcante Neto Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.