Caminhoneiros avaliam paralisação a partir de domingo

Foto Divulgação

Não se sabe se dessa vez a coisa vai, mas o movimento dos caminhoneiros fez uma nova ameaça de greve contra o governo Bolsonaro. Na pauta de reivindicações estariam: redução no preço dos combustíveis, implantação efetiva do piso mínimo, liberação de pedágio para veículos sem carga e uma infinidade de outras coisas.

Está prevista para domingo (25), uma paralisação dos caminhoneiros do país. A categoria está insatisfeita com promessas não cumpridas do presidente Jair Bolsonaro e pela alta do diesel. O grupo também cita a insatisfação com o fim da isenção do PIS/Cofins sobre o diesel, os preços elevados dos insumos para o transporte de cargas, maior fiscalização nas estradas para cumprimento do piso mínimo de frete e a aposentadoria especial para os motoristas. Essa é a mesma pauta da paralisação do início de 2021.


De acordo com o presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), Plínio Dias, a mobilização começa no dia 25 e a adesão pode crescer na segunda-feira (26) e nos dias subsequentes. 
Segundo o Estadão Broadcast, a Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava) vai decidir sobre a adesão no movimento em reunião com seus associados amanhã (22). Já a Associação Nacional de Transporte do Brasil (ANTB), afirma apoiar a decisão. 

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.