Lava de vulcão nas Canárias pode gerar gases tóxicos se chegar ao mar

Emilio Morenatti/AP

Encontro do magma com o Oceano Atlântico pode gerar explosões, ondas de água fervente e até nuvens tóxicas. Cumbre Vieja entrou em erupção no domingo e registrou sua 9ª fissura eruptiva.

As colunas de lava do vulcão Cumbre Vieja continuam engolindo tudo o que encontram em seu caminho, na lenta descida para a costa das Ilhas Canárias, na Espanha, e agora geram preocupações pela possível emissão de gases tóxicos quando atingir o Oceano Atlântico.

O encontro do magma ardente com o mar pode gerar explosões, ondas de água fervente e até nuvens tóxicas, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês).

“As nuvens criadas pela interação entre a água do mar e a lava são ácidas”, explica Patrick Allard, diretor de pesquisa do instituto francês de Geofísica do Globo, em Paris, à agência de notícias France Presse.

Esse “encontro” estava inicialmente previsto para a noite de segunda-feira (20), mas ainda não ocorreu devido ao avanço mais lento da lava na ilha de La Palma, no arquipélago em frente à costa da África.

O magma está a cerca de 2 km do mar e avança por volta dos 200 metros por hora, mas autoridades agora evitam fazer uma nova previsão de quando as colunas de lava podem atingir a água.

O Cumbre Vieja entrou em erupção no domingo (18) e registrou a sua nona fissura eruptiva na noite desta segunda, após um novo terremoto, o que obrigou a remoção de mais 500 pessoas e elevou para 6 mil os deslocados (veja mais abaixo).

Sua erupção pode durar “várias semanas ou alguns meses”, segundo o Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias (Involcan), e o vulcão está expelindo colunas de fumaça que alcançam centenas de metros de altura e entre 8 mil e 10,5 mil toneladas de dióxido de enxofre por dia.

Até o momento, a erupção do Cumbre Vieja destruiu 166 construções e atingiu 103 hectares da ilha, segundo o sistema europeu de observação espacial Copernicus.

Apesar da destruição, nenhuma morte foi registrada até o momento e o espaço aéreo permanece aberto. Há 48 voos programados para hoje no aeroporto da ilha.

O surgimento de uma nova fissura eruptiva na noite da segunda (a nona desde domingo) obrigou a remoção de mais 500 pessoas em El Paso, elevando o total de deslocados para 6 mil. A ilha de La Palma tem quase 85 mil habitantes.

Com informações G1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.