in ,

Vinhos: aprecie com moderação

O inverno pede alimentos mais encorpados, que combinam com um bom vinho. Estudos comprovam os benefícios de seu consumo moderado que pode, inclusive, reduzir o risco de câncer. O colaborador da Unimed Chapecó e coordenador do setor de TI, Glauber de Bortoli, é um apreciador assumido da bebida. Como ele mesmo se define, é um aventureiro do mundo dos vinhos, sendo que costuma pesquisar e promover workshops e confrarias com os amigos, que reúnem boas conversas e, é claro, ensinamentos sobre os mais variados tipos de vinho. A seguir, ele dá dicas de como harmonizar a bebida.

“Quando falamos em harmonização para os pratos típicos de inverno, os vinhos tintos encorpados são uma excelente pedida, além disso, estrutura, acidez e taninos presentes no vinho devem ser considerados. Minha sugestão é procurar vinhos com as uvas: Malbec, Cabernet Sauvignon, Sangiovese, Syrah, Tannat e Tempranillo. Se a preferência for o vinho branco, escolha Chardonnays mais untuosos com boa acidez. A harmonia que buscamos entre comida e vinho pode ser conseguida seguindo algumas dicas simples:

Cor da carne = cor do vinho;

Molhos e recheios leves = vinhos leves;

Molhos e recheios fortes = vinhos encorpados;

Sobremesa = vinhos doces;

Na dúvida = Espumante!

Nada impede que um vinho seja degustado sem acompanhamento de uma refeição, neste caso, ouse, teste e seja feliz! Em minha aventura no mundo dos vinhos, aprendi que o pré-conceito atrapalha nossa vida, então, pesquise e experimente, só assim saberá se um determinado estilo de vinho é agradável ao seu paladar.

Apreciador de vinhos, Glauber tem o hábito de reunir os amigos para workshops e cursos sobre a bebida.

Estudos comprovam os benefícios de seu consumo moderado que pode, inclusive, reduzir o risco de câncer

VOCÊ SABIA?

*Um estudo desenvolvido pela Universidade Yamanashi, no Japão, descobriu compostos no vinho que inibem uma enzima responsável pelo aparecimento do mal de Alzheimer. Mas, não é somente este o benefício do consumo de vinho por quem já passou dos 60 anos. Especialistas afirmam que se o vinho for apreciado em doses moderadas, pode blindar o corpo também de doenças cardíacas e a demência da velhice.

*O vinho é considerado alimento por fornecer ao organismo alguns elementos que contribuem para sua formação, manutenção e desenvolvimento. Na lista de mais de 200 substâncias presentes na bebida-alimento, estão o cálcio, o fósforo, ferro e vitaminas do complexo B.

*Outra característica boa do consumo do destilado de uvas é a proteção do sistema cardiovascular, isto porque o vinho é rico em antioxidantes que ajudam a controlar uma proteína que está envolvida na formação de sinais precoces de doenças arteriais, como as camadas de gordura nas paredes das artérias.

Texto: Andressa Recchia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ministro libera recursos para turismo de Urubici

PREVISÃO DO TEMPO NOS DIAS 31 A 3 DE SETEMBRO DE 2018.