in

Santa Catarina tem novos casos e mais uma morte pela forma mais letal da meningite

Hospital – Foto: Pixabay/Divulgação

Nova vítima fatal da doença foi um bebê de sete meses, em Criciúma. Já são 39 casos de meningite meningocócica, com oito mortes em 2019.  O novo boletim da Dive-SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina), divulgado na segunda-feira (7), confirmou que houve sete novos casos e uma morte confirmada no Estado por meningite meningocócica. As informações foram atualizadas até 4 de outubro. A morte registrada em relação ao último boletim aconteceu no dia 23 de setembro. A vítima foi um bebê de sete meses, residente em Criciúma, no Sul do Estado.

 

Com as confirmações, Santa Catarina já soma 39 casos de meningite meningocócica, forma mais letal da doença. São oito mortes em 2019.

Os sete novos casos registrados em relação ao último boletim foram em Palhoça, Três Barras, Lages, Joinville, Concórdia e Criciúma (dois).

Os municípios que registraram a maior incidência de meningite meningocócica em Santa Catarina foram Criciúma e Lages, com quatro casos cada. Criciúma teve dois casos, apenas no mês de setembro.

Subtipos da doença

Em relação ao sorogrupo da doença, o maior número de casos foi do tipo C e do tipo W, com 12 casos cada.

Os outros 15 casos confirmados de meningite meningocócica estão divididos da seguinte maneira: sete do sorogrupo B, seis não identificados, e outros dois do subtipo Y.

Em relação à letalidade da doença, o sorogrupo que causou o maior número de mortes foi o W – foram quatro no total. Ainda houve duas mortes provocadas pelo sorogrupo C, uma pelo B e outra pelo Y.

Distribuição de casos e óbitos por Doença Meningocócica segundo Sorogrupo – Foto: Dive-SC/Reprodução

Mortes por meningite bacteriana, causada pela bactéria Neisseria meningitidis:

  • Mulher, 18 anos, residente em Lages
  • Bebê, 9 meses, residente em Jaraguá do Sul
  • Mulher, 12 anos, residente em Imbituba
  • Mulher, 70 anos, residente em São José
  • Homem, 22 anos, residente em Criciúma
  • Homem, 17 anos, residente em Brusque
  • Bebê, 7 meses, residente em Água Doce
  • Bebê, 7 meses, residente em Criciúma.

A meningite meningocócica é a forma mais letal da doença e é causada pela bactéria Neisseria Meningitides.

A doença pode ser transmitida pelas vias respiratórias e por gotículas e secreções do paciente, contato íntimo (residente da mesma casa, pessoas que compartilham o mesmo dormitório ou alojamento). A propagação também é facilitada  em ambientes fechados e/ou sem ventilação.

Na população, encontramos um grande número de pessoas que tem o causador deste tipo de meningite na garganta, mesmo sem ficar doente ou apresentar sintomas.

Essas pessoas são chamadas de “portadores sãos” e transmitem a bactéria para outras pessoas pelo contato próximo (moradores da mesma casa, pessoas que compartilham o quarto ou que ficam diretamente expostas às secreções) e essas pessoas podem acabar desenvolvendo a doença.

Atenção: 

E na segunda feira dia 8 iniciou-se. a Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo. A primeira fase da mobilização segue até 25 de outubro e serão imunizadas crianças de seis meses a menores de cinco anos . A segunda fase será entre os dias 18 e 30 de novembro com a aplicação de doses em adultos entre 20 e 29 anos de idade.

Com informações ndmais

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Em evento nacional, Carmen Zanotto alerta sobre cortes na saúde

PREVISÃO DO TEMPO PARA OS DIAS 9 E 10 DE OUTUBRO DE 2019.