in

Reações de um Presidente enredado – Por Henrique Córdova

Durante a tramitação, na Câmara dos Deputados, da proposta de emenda constitucional, que reforma o sistema previdenciário brasileiro, constatamos atritos injustificáveis entre o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, de cujo pai fui colega no Congresso Nacional, e o Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Convém, primeiramente, anotarmos que os dois Presidentes são matriculados no mesmo Colégio Eleitoral – Rio de Janeiro. Lá, Bolsonaro e Rodrigo, se elegeram e reelegeram Deputados Federais. O primeiro, na Câmara, sempre integrou o denominado baixo clero e o segundo a elite cupular, embora o Capitão Bolsonaro sempre obtivesse muito mais votos que Rodrigo. Eis que de repente, “não mais que de repente”, o Capitão se elege Presidente da República e Rodrigo se reelege Deputado Federal com votação apertada… Com a aprovação de Bolsonaro, Rodrigo volta à Presidência da Câmara.

No desenrolar dos mandatos, Bolsonaro passa a sofrer oposição de alguns dos mais expressivos meios de comunicação social do País, por haver, basicamente, restringido as verbas de publicidade do governo vitais para a sobrevivência de grandes órgãos da imprensa, em geral. Enquanto isso, Rodrigo é alçado ao ápice do protagonismo político nacional e demonstra empolgar-se com os inusitados afagos da mídia. Sente que, para continuar em exposição, convenhamos que fundamental para qualquer político, precisa confrontar Bolsonaro.

É desse confronto que nascem os holofotes acesos sobre a figura do Presidente da Câmara… Ele gosta e aprofunda o confronto. Acusa o Presidente da República de incapaz de formar e manter uma base de apoio parlamentar sólida e permanente no Congresso, essencial a um governo democrático. A mídia, saudosa das verbas públicas, aplaude Rodrigo e suas lanças pouco cavalheirescas… Bolsonaro, enfiado em reluzente armadura, mostra-se resiliente e obtém quase tudo o de que precisa:… reformar a previdência.

Mas, o embate entre os dois Presidentes começa a criar obstáculos à administração e a alimentar a hostilidade de certa imprensa, que se está tornando odiosa pela mediocridade e parcialidade explicita de seus mais conhecidos representantes… Rodrigo Maia, se for experto, muda ou o usam e o mudam logo,logo… O seu mandato na Presidência da Camara é de dois anos e não é permitida a reeleição… O de Bolsonaro é de quatro e pode virar oito.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Vacinas de H1N1 se esgotam em São Joaquim – Fique atento na chegada de mais doses

Saúde confirma mais 3 mil doses e vacinação contra a H1N1 continua em São Joaquim