in

Sísifo, o contemporâneo – Por Henrique Córdova

No mundo político, a natural atração pelo poder é tão intensa e forte que os candidatos a cargos públicos, em sua pertinas busca, não vislumbram ou subestimam as tarefas que, no exercício das funções administrativas terão que enfrentar…

Vejamos um pequeno mas significativo exemplo: o de Giovani Nunes, Prefeito de São Joaquim. Este jovem idealista suspendeu suas atividades profissionais, ou as reduziu ao mínimo, para disputar uma eleição e servir ao povo.

 

Foi vitorioso, em uma eleição bravamente disputada e difícil. Os desafios da administração municipal, numerosos e imensos, em face da exiguidade dos recursos financeiros locais, mesmo quando a eles se agregam estaduais e federais, impuseram a Giovani a opção de manter e conservar as rodovias municipais, com mais de dois mil quilômetros, indispensáveis para o escoamento da produção agrícola do Município.

Nessa tarefa, o seu trabalho tem sido incansável e ingrato. Cuida de um trecho de estrada, vem uma forte chuva e lava e leva , água a baixo, o seu trabalho. Refá-lo e, novamente, a intempérie o desfaz, numa sequência interminável e punitiva…É como um intrigante castigo para quem quer servir. Parece que os deuses têm ciume dos homens que ousam tocar em seu dispensário… Só eles podem beneficiar ou afligir aos homens… Só a eles pertence o poder e quem quer participar dele deve sujeitar-se, inclusive, às penas de Sísifo, mito grego, que foi condenado por Zeus a levar ao pico de um monte uma pesada pedra… Quando Sísifo estava com a pedra quase no cume do monte, faltava-lhe a força para o impulso final e a pedra descia ladeira abaixo… E o trabalho continuou pela eternidade, a pedra sendo levada e a gravidade trazendo-a de volta às planuras… Qual a diferença entre o Prefeito de São Joaquim e Sísifo? Este pagou a pena de seus pecados e o Prefeito sofre penas semelhantes por suas virtudes… Sísifo nunca, com sua astúcia e esperteza procurou a pena… O Prefeito com seu ideal não só a abraçou como imaginou enfrentar outras… Tal a atração do poder e o comportamento dos homens… … .

Na mitologia Grega, Sísifo foi condenado a empurrar uma montanha acima… Só que cada vez que se aproximava do cume da montanha a pedra ficava cada vez mais pesada e rolava novamente para o ponto de partida. E assim Sísifo reiniciava o seu trabalho de novo e de novo por toda a eternidade...

One Comment

Leave a Reply
  1. Conheci dois homens verdadeiramente inteligentes, muito superiores ao seu tempo, além é claro do meu estimado pai, Luciano Goulart da Silva, que me premiou com a sua sabedoria.

    Henrique Córdova, cujo brilhantismo é igual ao que representou na política catarinense e brasileira, e oxalá tivesse sido o que pretendia na política joaquinense. São Joaquim seria outro município.

    E Antonio de Pádua Martins, erudito, que passou por Roma (Itália), a mais de 60 anos, e hoje de encontra nos rincões de Ribeirão Preto, com 89 anos, mas com as lembranças em São Joaquim, cujo destino, fará com que retorne espiritualmente e financeiramente a esta terra, sendo o benfeitor da Associação dos Deficientes Visuais de São Joaquim – Adeve.

    O Prefeito Giovane, jovem surpresa positiva da política joaquinense, esta carregando a sua pedra, mas precisamos ajudar, para que consiga carregar a pedra até o topo, e esta não volte igual a de Sísifo, ladeira abaixo, senão corremos o risco de também despencarmos, ao invés de progredirmos.

    Obrigado Dr. Henrique Córdova, por nos premiar com um pouco de seu conhecimento. Não devemos deixar para agradecer somente depois da passagem, que virá para todos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veículos colidem em esquina da Igreja Matriz em São Joaquim

FENATRUTA aguarda milhares de Turistas na Serra Catarinense na próxima semana