Um método brilhante e simples para evitar ataques de pânico

A publicação de uma usuária do Tumblr chamou a atenção de muitas pessoas. Seu namorado encontrou uma solução simples enquanto ela passava por um ataque de pânico. Ela conta que estava prestes a começar a viver a situação quando ele disse para colocar um cubo de gelo na boca. A princípio ela achou graça da sugestão e não soube de onde ele tirou essa ideia mas, como houve insistência, fez o que o namorado sugeriu. Para sua surpresa, a tática funcionou.

Depois o namorado explicou o motivo da sugestão. Em primeiro lugar iria distraí-la da ansiedade. Depois o gelo causaria um choque em seu sistema levando o foco para o que ocorria no mundo físico com o gelo, isso evitaria que ficasse pensando que estava em pânico. Em terceiro lugar, ele pensou que ela não havia bebido muita água naquele dia e queria mantê-la hidratada.

Uma usuária comentou estar usando a mesma técnica e obtendo resultado positivo. Outras pessoas comentaram que também ajuda comer limão ou coisas muito apimentadas.

O namorado da usuária do tumblr não é o único a pensar no uso do gelo. A psiquiatra Indra Cidami sugeriu como uma das dicas para reduzir a ansiedade durante viagens mastigar cubos de gelo, para ajudar a focar a energia e aliviar a tensão. Já o psicoterapeuta John Tsilimparis compartilhou algumas técnicas que usa com seus pacientes para controlar a ansiedade. Entre elas está segurar um cubo de gelo, que pode estar enrolado em papel toalha, com uma mão e depois com a outra. A técnica pode ajudar a tirar a atenção do ataque de pânico, o foco passa para o desconforto e os sintomas diminuem.

Além do gelo

Essa não é a única medida a ser tomada e não é um método padrão. Os especialistas recomendam uma série de ações para que o ataque de pânico seja controlado. Entre as medidas estão exercícios de respiração; foco em um objeto ou sensação (como cheiro ou textura); relaxamento muscular; procurar um local mais tranquilo, com menos estímulos; exercício leve; pensar em um lugar feliz; repetir um mantra; conversar com alguém e uso de medicação. Além disso, é recomendado aprender a gerenciar ou evitar gatilhos para tentar diminuir frequência e intensidade dos ataques de pânico. Reconhecimento e aceitação também são importantes.

O ataque de pânico pode causar sintomas físicos e emocionais, como suor frio, batimentos cardíacos e respiração acelerados, náusea, falta de ar, medo e preocupação intensa. Os sintomas do transtorno de pânico podem ser confundidos com sinais característicos de infarto. O Ministério da Saúde indica como tratamento a combinação de medicamentos com psicoterapia, que deve ser conduzido por psiquiatra.

A ansiedade normal é importante para enfrentar perigos que colocam a sobrevivência em riso. Por isso precisamos diferenciá-la do transtorno de ansiedade que é uma reação desproporcional ao estímulo. No transtorno do pânico o “alarme” cerebral responsável por preparar o corpo para fugir ou lutar durante situação de perigo, dispara sem a existência de uma ameaça real.

Procurar assistência médica é essencial e medicamentos não devem ser tomados sem orientação profissional. [Bored PandaMedical News TodayTumblrMinistério da Saúde]

 

Por 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.