Um novo Polo de Enoturismo: Vinhos de Altitude são destaques em grandes jornais do Brasil

Quem se destacou nos principais jornais do Brasil foi os Vinhos de Altitude das Vinícolas de São Joaquim demonstrando a máxima excelência dos vinhos produzidos na Serra Catarinense.

As irmãs Carolina Ferraz e Patrícia Ferraz mostraram ao Brasil, através da reportagem do Jornal O Globo, todo o trabalho que a Vinícola Monte Agudo tem desenvolvido em relação a preparação de seus vinhos e a diversificação da enogastronomia que a vinícola oferece a seus visitantes.

O Jornal o Globo também destacou a Vinícola Leone di Venezia que reúne nada menos do que quatro uvas de regiões diferentes da Itália.

Já a Vinícola Villagio Conti, foi uma das aclamadas do Jornal que citou o vinho Arancione (Vinho Laranja) como o vinho que conquistou o público presente no evento Vinhos do Brasil, um evento dedicado ao melhor dos vinhedos brasileiros que ocorreu nos dias 28, 29 e 30 de junho no Rio de Janeiro e que reuniu 50 produtores e cerca de 300 rótulos de diversos estados entre eles a vinícolas da Altitude: Hiragami, Leone di Venezia, Pericó, Serra do Sol, Suzin, Thera, Villa Francioni, Villagio Basset, Villagio Conti, Vinhedos Monte Agudo

Imagens Reprodução O Globo
Imagem reprodução O Globo

Já o Estadão, um dos principais jornais de São Paulo, classificou que os vinhos de qualidade atraem o Turismo na Serra Catarinense e que a região vem se destacando como um novo polo de enoturismo, com pousadas de charme, vinhos finos de altitude e mesa farta.

Destacando principalmente a vanguarda do enoturismo da Villa Francioni, a imersão voltada à vitivinicultura da Vinícola Thera, O Bike Tour pelos vinhedos da Villagio Bassetti em parceria com a agência de viagens Na Trilha Certa e o charmoso piquenique da vinícola Leone di Venezia.

“A cidade de São Joaquim, em Santa Catarina, foi a aposta de muitos desses entusiastas. Conhecida pelas temperaturas negativas e por ser um dos poucos lugares do Brasil onde é possível ver neve, o município está situado acima de 1.300 metros de altitude e reúne um conjunto de características, como solo pobre e amplitude térmica, que favorece a produção de vinhos de qualidade com potencial de guarda. ” Publicou o Jornal O Estadão.

Imagens Reprodução do “Estadão”

Veja as reportagens completas:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.