PREVISÃO DO TEMPO, 14 A 17 DE ABRIL DE 2016 E OUTONO 2016.

PREVISÃO DO TEMPO, 14 A 17 DE ABRIL DE 2016 E OUTONO 2016.

 

QUINTA-FEIRA;  Ar quente e úmido em SC. Alterna céu claro a sol e nuvens a intervalos de quase nublado a nublado. Chuva e trovoada isolada, pancadas, no decorrer da tarde/noite. Risco de temporal bem isolado. Muitas cidades podem passar sem chuva.

 

Temperatura bem alta. Mínimas 17/23°C na maior parte do Estado, entre 19/24°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre 13/16°C em pontos do topo da serra, máximas entre 25/30°C na maior parte SC, 22/25°C/no topo da serra/+ de 1300 m, 26/29°C nas praias (faixa de areia) e 31/34°C  em algumas cidades no extremo oeste, vale do Itajaí e litoral.

 

Vento de oeste/noroeste a nordeste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km, períodos de fraco a calmo. Ondas com picos acima dos 0,5/1,0 m nas praias de mar grosso e acima ou em torno dos 2,5 m no alto mar. Vento mais de nordeste/noroeste a sudoeste/nordeste no interior com rajadas ocasionais acima dos 30/50 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições; algum risco de tarde/noite.

 

Temperatura em algumas cidades/SC.

 

*Chapecó; 20/22°C a 29/31°C.

Itapiranga; 22/24°C a 32/34°C.

Fraibugo;  16/18°C a 27/29°C.

*S.Joaquim;  14/16°C a 23/25°C.

Urupema; 13/15°C a 23/25°C.

Bom Jardim;  13/15°C a 23/25°C.

*Lages; 16/18°C a 26/28°C.

*Campo Novos;  17/19°C a 27/29°C.

Mafra; 17/19°C a 27/29°C.

Itaiópolis;  16/18°C a 27/29°C.

Ituporanga;  20/22°C a 28/30°C.

Rio do Sul;  20/22°C a 29/31°C.

Blumenau;  22/24°C a 32/34°C.

Joinville; 22/24°C  a 31/33°C.

Itajaí;  22/24°C a 30/32°C.

Jaraguá do Sul;  22/24°C a 31/33°C.

Florianópolis; 22/24°C a 29/31°C.

*Rancho Queimado;  18/20°C a 26/28°C .

Criciúma; 20/22°C a 32/34°C.

Araranguá;  21/23°C a 30/32°C.

Jacinto Machado;  20/22°C a 30/32°C.

G; Geada.

*Na maioria das cidades a mínima (maior partes das vezes) ficará nas baixadas e fundo de vales, em geral nos topos será de 3 a 7°C mais quente, somente em noites de céu limpo com pouco ou nenhum vento.

 

SEXTA-FEIRA;  Massa de ar quente e seca ganha força sobre SC ganhando força. Predomina o céu claro a sol e algumas nuvens. Pode ter períodos curtos de mais nuvens a nublado em pontos isolados com chance pequena de chuva e trovoada bem isolada de tarde/noite.

 

Temperatura bem alta. Mínimas 16/23°C na maior parte do Estado, entre 18/24°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre 10/13°C em pontos do topo da serra, máximas entre 27/32°C na maior parte SC, 25/28°C/no topo da serra/+ de 1300 m, 27/30°C nas praias (faixa de areia) e 33/36°C  algumas cidades no litoral, baixo vale do Itajaí e, mas chances, extremo oeste. Pode chegar perto ou passar do recorde de máxima de abril em algumas cidades.

 

Vento de sudoeste/noroeste a nordeste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km (mais forte na região do Cabo de Santa Marta e alhures), períodos de calmo a fraco. Ondas com picos acima dos 0,5 m nas praias de mar grosso e acima ou em torno dos 2,0/2,5 m no alto mar.  Vento mais de nordeste/noroeste a sudoeste/nordeste no interior com rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições;  boa. O calor incomoda de tarde.

 

SÁBADO; Fortíssima massa de ar quente e seca sobre SC. Predomina o céu claro a sol e algumas nuvens. Pode ter períodos curtos de mais nuvens.

 

Temperatura extremamente alta de tarde. Mínimas 17/24°C na maior parte do Estado, entre 19/25°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre 12/15°C em pontos do topo da serra, máximas entre 29/34°C na maior parte SC, 26/29°C/no topo da serra/+ de 1300 m, 28/31°C nas praias (faixa de areia) e 35/38°C  algumas cidades no litoral, baixo vale do Itajaí e extremo oeste (mas chances, extremo oeste e litoral sul). Pode chegar perto ou passar do recorde de máxima de abril em várias cidades.

 

Vento de sudoeste/noroeste a nordeste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km (mais forte na região do Cabo de Santa Marta e alhures), períodos de calmo a fraco. Ondas com picos acima dos 0,5 m nas praias de mar grosso e acima ou em torno dos 2,0/2,5 m no alto mar.  Vento mais de nordeste/noroeste a sudoeste/nordeste no interior com rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições;  boa. O calor incomoda de tarde.

 

DOMINGO; Fortíssima massa de ar quente e seca sobre SC. Predomina o céu claro a sol e algumas nuvens. Pode ter períodos curtos de mais nuvens.

 

Temperatura extremamente alta de tarde. Mínimas 17/24°C na maior parte do Estado, entre 19/25°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre 11/14°C em pontos do topo da serra, máximas entre 29/34°C na maior parte SC, 26/29°C/no topo da serra/+ de 1300 m, 28/31°C nas praias (faixa de areia) e 35/38°C  algumas cidades no litoral, baixo vale do Itajaí e extremo oeste (mas chances, extremo oeste e litoral sul). Pode chegar perto ou passar do recorde de máxima de abril em várias cidades.

 

Vento de sudoeste/noroeste a nordeste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km (mais forte na região do Cabo de Santa Marta e alhures), períodos de calmo a fraco. Ondas com picos acima dos 0,5 m nas praias de mar grosso e acima ou em torno dos 2,0/2,5 m no alto mar.  Vento mais de nordeste/noroeste a sudoeste/nordeste no interior com rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições;  boa. O calor incomoda de tarde.

 

OBS: Dentro do possível vamos atualizando a projeção de chuva e temperatura para os próximos 45 dias (13 de abril a 28 de maio) para SC;

Precipitação;  frequente, porém já com dias seguidos sem chuva, raramente passando de mais de 5/7 dias seguidos completamente seco nesta segunda quinzena de abril e maio. Sai a chuva de verão  (ainda pode ter alguns dias em abril) e volta a chuva oriunda de frente fria, áreas de instabilidade e baixas pressões.

Neste período (45 dias) o sol aparece na maioria dos dias. Predomínio maior do sol e algumas nuvens a intervalos de nublado, vários dias poderão ser ensolarados em abril/maio. Neste período, 13 de abril a 28 de maio, acumulados entre 190/240 mm no Estado como um todo (alguns pontos bem acima ou bem abaixo deste valor), chuva na média. Maior parte desta chuva já virá de frentes frias. Risco de temporais, alguns bem fortes.  

Na agricultura a colheita poderá ter mais dificuldade que um outono normal devido à frequência maior da chuva.  Na segunda quinzena de abril e maio a chuva poderá atrapalhar na colheita em vários períodos.   

Temperatura (outono); bem acima da média em abril (abril mais quente já registrado em SC) e abaixo ou em torno da média em maio e risco maior de máximas e mínimas mais extremadas (fora do padrão).  Ocorreram três dias com geada fraca no topo da serra (1 em fevereiro),aumenta o  risco em abril em mais áreas do Estado acima dos 700/900 m, mais nas baixadas.  Na maioria destes 45 dias,  alguns dias bem frios para época (risco de 1 a 3 massas frias mais intensas no período, especialmente em maio, uma em abril), mais dias de calor forte a intenso (acima dos 32/35°C , picos  de 35/38°C, nas cidades mais quentes de SC e acima dos 26/29°C no topo da serra,  em abril com recordes de máxima, pode ter mais calor forte na segunda quinzena) e  vários dias agradáveis, especialmente nas cidades altas, em abril o risco de geada (isolada e fraca) fica para o fim do mês nas regiões acima dos 1000/1200 m e  amplia para outras áreas do Estado acima dos 500/700 m em maio.

Dados de hoje.

Aviso aos agricultores!

Aos agricultores do oeste de SC que fizeram uma segunda safra de milho/soja, mais na encosta para baixada e as faces sul e oeste poderá ter  o risco de  formação das primeiras geadas com potencial de danos em maio em diante. O inverno deve começar no período normal, ou seja, no topo da serra no começo/meio de maio em diante, no oeste e planalto de SC em meados/fins  de maio para frente e fins de maio e começo de junho nas demais áreas de SC abaixo dos  600 m. Indica um inverno bem mais frio que 2014/2015 e de normal a frio em relação à média, maior número de geadas moderadas a fortes e poderá terminar mais tarde.

 

Extremas de SC registrados ontem. 12/4/2016 e mínimas de hoje, 13/4/2016.

 

MÁXIMA, ONTEM; 23,3°C/ 31,9°C EM BLUMENAU/FURB.

MÁXIMA, HOJE; –°C/ –°C EM –/–.

MÍNIMA ONTEM;  13,6°C/ 19,6°C EM B.JARDIM/M.IGREJA/INMET.

HOJE; 13,7°C/ –°C EM B.JARDIM/M.IGREJA/INMET.

CAPITAL/INMET ONTEM; 22,2°C/ 28,1°C /INMET.

CAPITAL HOJE; 23,2°C/ –°C /INMET.

CAPITAL HOJE; 23,2°C/ –°C /EPAGRI/ITACORUBÍ.

CAPITAL HOJE; 22,9°C/ –°C /EPAGRI/NORTE DA ILHA.

CLIMATERRA/SÃO JOAQUIM ONTEM;  16,3°C/ 24,2°C.

SÃO JOAQUIM/INMET/ONTEM; 16,0°C/ 22,7°C.

CLIMATERRA/SÃO JOAQUIM HOJE; 15,1°C/ –°C.

SÃO JOAQUIM/INMET; 16,3°C/ –°C.

* GEADA FORA DA ESTAÇÃO.

 

 

 

OBS; EM 2013 FORAM 123 DIAS COM GEADA NA REGIÃO DE S.JOAQUIM, NOVO RECORDE (103 DIAS EM 1999 O ANTERIOR) E 40 DIAS ACIMA DA MÉDIA (83 DIAS/ANO).

EM 2016; 3 DIAS COM GEADA NO TOPO DA SERRA.

 

SÃO JOAQUIM;

 NA QUINTA-FEIRA;

NASCER DO SOL; 06h: 36.

PÔR DO SOL; 18h: 03.

 

 

 OUTONO 2016.

Tivemos um verão quente e muito úmido, o mês com calor mais acentuado foi fevereiro, também foi um verão bem úmido, apenas em janeiro é que tivemos um períodos de quase 2 semanas de pouca ou nenhuma chuva. Porém terminou bruscamente em março, fato não muito comum, apesar de ter alguns dias de calor forte, março teve mais dias agradáveis que quentes e até algumas madrugadas frias para época, já teve formação de geada bem fraca nos dia 29 de fevereiro, 1 e 23 de março no topo da serra.

O outono (abril a meados de maio) em 2016 começou cedo, já no início/meio de março, que ficará abaixo da média em boa parte de SC, só o litoral é que deve ficar em torno da média.

A chuva tende a ficar entre a média a acima da média e mais frequente que um outono normal, raramente terá mais de 7/9 dias seguidos de tempo seco. As frentes frias, baixas pressões e áreas de instabilidade serão os sistemas mais atuantes, a chuva de verão some ao longo do outono e começa a ter maior frequência de nevoeiro na madrugada/começo da manhã e as primeiras geadas mais abrangentes (em abril/começo de maio em diante). Mantém o risco de períodos de chuva intensa em alguns dias com risco de temporais (granizo, ventania e chuva intensa), por isso é importante acompanhar os boletins diários. Atividades que necessitem de vários dias (mais de 8/10 dias) seguidos sem chuva alguma é que terão maior dificuldade.

Temperatura em torno ou abaixo da média na maioria dos dias. Em relação ao outono de 2014/2015 tende ser mais frio, mais dias com madrugadas com temperatura amena a baixa e algumas bem frias (perto ou abaixo de 0°C no topo da serra e abaixo dos 10/12°C nas cidades quentes). Como é estação de transição teremos chance de alguns períodos de calor forte (4 a 7 dias seguidos) tanto de tarde (acima dos 32/35°C nas cidades mais quentes e 23/26°C no topo da serra) como madrugadas abafadas (acima dos 20/23°C no litoral e acima dos 14/17°C topo da serra). Entre abril/maio espera-se 1 ou 2 períodos de calor forte e 2 a 3 períodos de frio mais significativo, trazendo as primeiras geadas mais abrangentes, no geral fracas, para partes de SC acima dos 700/900 m, mais nas baixadas. Tem um risco pequeno de geada moderada na segunda quinzena de abril  e maior risco de maio para frente nas áreas acima dos 800/1000 m.  Os  extremos poderão ser mais  significativos neste outono. O inverno de 2016 tende a começar dentro do normal ou um pouco mais cedo, decorrer de maio em diante na maior parte de SC, fins de maio/começo de junho no litoral e baixo vale do Itajaí com indicativo de ser bem mais frio que 2014/2015 e de normal a frio em relação ao inverno normal, com chuva em torno da média.

Extremos do outono/2016 (abril/maio) podem ficar entre;

Máxima absoluta esperada; 32/36°C em algumas cidades do litoral, vale do Itajaí e vale do rio Uruguai. Na maioria das cidades os valores máximos esperados devem oscilar entre 28/32°C, nas cidades acima dos 900/1000 m entre 27/31°C e  no topo da serra (dos 1300 m para mais) entre 23/27°C.

Mínima absoluta esperada; -5/-1°C em alguns pontos do topo da serra ( com  geada forte, mais em maio). Na maioria das cidades os valores mínimos esperados devem oscilar entre -1/4°C, nas cidades do litoral e boa parte do vale do Itajaí entre 5/10°C e  nas praias e áreas próximas  entre 8/12°C.

Valores extremos já registrados durante o outono climático, abril/maio.

Máxima;  39,6°C Itá/Epagri.

Mínima; -7,0°C São Joaquim/Inmet em maio de 1960.

 

Agricultura

Em relação ao verão melhora as condições do campo, mais dias de tempo seco, na colheita da safra de verão ainda pode incomodar um pouco. Para quem arriscou numa safrinha de feijão/milho ou soja o frio em abril e maio poderá trazer um alongamento do ciclo e maior incidência de doenças relacionadas ao frio. Da segunda quinzena de abril em diante começará a ter risco de geada, inicialmente nas baixadas (acima dos 800/1000 m) e de maio em diante o risco aumenta para toda região dos 700/800 m ou mais. O risco será bem mais alto da segunda quinzena de maio em diante quando a chance de geada mais ampla e mais intensa aumenta. Não indica a ocorrência de estiagem forte (acima dos 18/20 dias ou mais sem chuva), o excesso de umidade ainda  será o maior problema. No milho safrinha/Brasil, risco alto de ter formação de geada com potencial de danos entre a segunda quinzena de maio em diante, em maio mais no oeste do PR e em junho em toda a área do milho safrinha, além de chuva acima da média durante o ciclo que poderá afetar na colheita.

Turismo

Períodos maiores de sol, volta dos dias mais frios favorece ao turismo da serra, neste ano será mais frequente os dias frios, alguns dias de calor um pouco mais forte em maio ainda podem acontecer, poucos no geral. A chance de neve em maio não é muito grande e fica mais restrita ao topo da serra, normalmente da segunda quinzena de maio em diante. Em relação aos anos anteriores (14/15) o frio estará mais presente neste outono/inverno.

Nas vendas de produtos relacionados ao inverno como roupas, eletrodomésticos e alimentos, o clima estará bem mais favorável em relação aos dois últimos outonos/ invernos, novamente  custo da energia (valores altos da conta de luz) e a crise serão os principais obstáculos as boas vendas.

 

http://twitter.com/climaterra

https://www.facebook.com/pages/Climaterra-Meteorologia-e-Agronomia/619930311412125

 

Bruno Maon Fernandes/Meteorologista.

Ronaldo Coutinho/Agrônomo

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia Sr. Ronaldo, poderias nos dizer, quando a temperatura irá amenizar aqui e Santa Catarina e se existem previsões sobre o nosso inverno? Muito Obrigada!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.