PREVISÃO DO TEMPO, 18 A 21 DE NOVEMBRO DE 2016 E RESUMO PARA O FIM DA PRIMAVERA/VERÃO 2017/18.

PREVISÃO DO TEMPO, 18 A 21 DE NOVEMBRO DE 2016 E RESUMO PARA O FIM DA PRIMAVERA/VERÃO 2017/18.

 

SEXTA-FEIRA; Massa de ar polar, forte, sobre SC. Céu nublado passando a sol e nuvens a céu claro no decorrer da manhã ou tarde em diante. Chance de chuva a garoa isolada de madrugada/manhã, mais do centro ao litoral do Estado (muitas áreas já podendo ter sol no decorrer da manhã em diante).

 

Temperatura muito baixa ao amanhecer e noite para época do ano e amena de tarde.  Mínimas 5/11°C na maior parte do Estado, entre 8/13°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre 0/3°C em pontos do topo da serra com geada no fim da noite.  Máximas entre 17/21°C na maior parte de SC e 10/13°C no topo da serra/+ de 1300 m e 19/22°C nas praias, 22/25°C em algumas cidades no extremo oeste. Nos pontos mais altos da serra, acima dos 1500/1600 m, possível geada negra (vento muito gelado com danos nas plantas ao amanhecer/meio da manhã). Na maioria das cidades a mínima ocorrerá no fim da noite.

 

Vento de sudoeste a sul/sudeste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 60/80 Km, períodos de fraco. Ondas com picos acima dos 2,0/2,5 m nas praias de mar grosso/ressaca, acima ou em torno dos 4,5/5,5 m bem no alto mar. Ruim para navegação no alto mar. Vento mais de sudoeste a sul/sudeste com rajadas ocasionais acima dos 30/50 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições;  boa. O vento pode incomodar. Algum risco de manhã no centro leste de SC.

 

Litoral Sul, Criciúma, Tubarão, Urussanga, Araranguá.

Nordeste, Mafra, Rio do Sul, Joinville, Itajaí.

Planalto sul, Lages, Curitibanos, Campos Novos, S.Joaquim.

Meio oeste/centro, Fraiburgo, Lebon Régis, Videira, Caçador, Joaçaba.

Oeste/extremo oeste, Chapecó, Concórdia, São Miguel do Oeste, Xanxerê, Itapiranga.

 

Temporal; chuva intensa, granizo e ventania de curta duração.

Temperatura em alguns MUNICÍPIOS/SC.

 

 

*Chapecó; 8/10°C a 20/22°C.

Itapiranga; 9/11°C a 23/25°C.

*Fraibugo; 5/7°C a 16/18°C.

*S.Joaquim  1/3°C a 11/13°C.G/noite.

*Urupema; 1/3°C a 11/13°C G/noite.

*Bom Jardim; 1/3°C a 11/13°C G/noite.

*Lages; 5/7°C a 16/18°C.

*Campo Novos; 5/7°C a 17/19°C.

Mafra; 6/8°C a 18/20°C.

Itaiópolis; 6/8°C a 18/20°C.

Ituporanga; 8/10°C a 19/21°C.

Rio do Sul; 9/11°C a 20/22°C.

Blumenau;  11/13°C a 22/24°C.

Joinville;  12/14°C a 22/24°C.

Itajaí; 12/14°C a 20/22°C.

Jaraguá do Sul; 11/13°C a 22/24°C.

Florianópolis; 12/14°C a 19/21°C.

*Rancho Queimado; 8/10°C a 17/19°C.

Criciúma; 10/12°C a 20/22°C.

Araranguá; 11/13°C a 18/20°C.

Jacinto Machado;  10/12°C a 19/21°C.

G; Geada.

*Na maioria das cidades a mínima (maior partes das vezes) ficará nas baixadas e fundo de vales, em geral nos topos será de 3 a 7°C mais quente, somente em noites de céu limpo com pouco ou nenhum vento.

 

SÁBADO; Massa de ar polar, forte, sobre SC. Alterna céu claro a sol e nuvens.  

Temperatura muito baixa ao amanhecer para época do ano e amena de tarde.  Mínimas 4/9°C na maior parte do Estado, entre 6/12°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre -2/1°C em pontos do topo da serra com geada intensa nas baixadas.  Máximas entre 19/26°C na maior parte de SC e 16/19°C no topo da serra/+ de 1300 m e 19/22°C nas praias, 26/29°C em algumas cidades no extremo oeste. Risco de geada em algumas áreas de lavoura de soja/feijão e pomares do oeste aos planaltos acima dos 800/1000 m (mais nas baixadas), maior chance de danos no topo da serra.

 

Vento de sudoeste/sul a sudeste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km, períodos de fraco. Ondas com picos acima dos 1,5/2,0 m nas praias de mar grosso/ressaca, acima ou em torno dos 3,5/4,0 m no alto mar. Ruim para barcos pequenos e médios no alto mar. Vento mais de sul/sudeste a leste com rajadas ocasionais acima dos 15/35 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições;  boa.

 

DOMINGO; Massa de ar polar saindo de SC. Céu claro a sol e nuvens.

 

Temperatura muito baixa ao amanhecer para época do ano e sobe rápido de tarde.  Mínimas 6/14°C na maior parte do Estado, entre 6/12°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre 1/4°C em pontos do topo da serra com geada bem isolada.  Máximas entre 23/28°C na maior parte de SC e 19/22°C no topo da serra/+ de 1300 m e 21/24°C nas praias, 28/31°C em algumas cidades no extremo oeste.

 

Vento de leste/nordeste a nordeste/leste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km, períodos de fraco a calmo. Ondas com picos acima dos 1,0 m nas praias de mar grosso, acima ou em torno dos 2,5 m no alto mar. Vento mais de nordeste/noroeste a sudoeste/nordeste com rajadas ocasionais acima dos 10/30 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições;  boa.

 

SEGUNDA-FEIRA; Massa de ar quente entrando em SC e frente fria no sul do RS. Alterna céu claro a sol e nuvens a períodos de muitas nuvens a nublado.

 

Temperatura em forte elevação de tarde.  Mínimas 10/17°C na maior parte do Estado, entre 9/14°C maior parte do litoral e boa parte do vale do Itajaí e entre 5/8°C em pontos do topo da serra.  Máximas entre 26/31°C na maior parte de SC e 21/24°C no topo da serra/+ de 1300 m e 23/26°C nas praias, 31/34°C em algumas cidades no extremo oeste, litoral e baixo vale do Itajaí.

 

Vento de noroeste a nordeste no litoral e áreas próximas, rajadas ocasionais acima dos 25/45 Km, períodos de fraco. Ondas com picos acima dos 0,5/1,0 m nas praias de mar grosso, acima ou em torno dos 2,5 m no alto mar. Vento mais de nordeste/noroeste a noroeste/oeste com rajadas ocasionais acima dos 20/40 Km. Nas atividades ao ar livre, lavouras e pomares, colheita e tratamento, condições;  boa.

 

 

OBS: Dentro do possível vamos atualizando a projeção de chuva e temperatura para os próximos 45 dias (17 de novembro a 1 de janeiro) para SC;

Precipitação; mais irregular, podendo passar dos 7/12 dias seguidos completamente secos em um ou mais intervalos em novembro/dezembro, onde o risco de estiagem é maior (acima dos 12/15 dias com pouca a nenhuma chuva em vários pontos de SC).

Neste período (45 dias) o sol aparece na maioria dos dias. Predomínio maior do sol e nuvens a intervalos de nublado, vários dias seguidos poderão ser ensolarados. Neste período, 17 de novembro a 1 de janeiro, acumulados entre 180/230 mm no Estado como um todo (alguns pontos bem acima ou bem abaixo deste valor), chuva em torno ou abaixo da média, irregular. Maior parte desta chuva já virá de frentes frias e instabilidades vinda do Paraguai/Argentina. Risco de temporais, alguns bem fortes.  

Eventos fortes e curtos de chuva e temporais podem acontecer em novembro/dezembro (característico da primavera, tende a ser mais forte neste ano, mas em menor número).

Tivemos, até agora, topo da serra, o nono inverno/clima (maio a agosto) mais frio registrado em 62 anos de dados e com certeza está entre os 15/20 invernos mais frios em 100 anos na maior parte de SC.

Novembro e dezembro com tendência a ser normal a abaixo da média na temperatura em SC, ou seja, fim de primavera e começo de verão mais frio que o normal (primavera avançando no verão). Tem chance de frio forte em alguns dias tanto em novembro como dezembro, poucos dias seguidos com calor intenso nestes 45 dias. Geada com potencial de danos ainda podem ocorrer em novembro e dezembro nas áreas próximas ou acima dos 900/1000 m. Muita atenção com doenças relacionadas os frio (mais no feijão/soja).

  

 

 

RESUMO PARA O FIM DA PRIMAVERA/VERÃO 2016/2017.

Depois de um outubro com boa chuva em SC, a maioria das estações deve fechar perto ou acima da média e muitas bem acima do esperado, porém a maior parte da chuva ficou na segunda quinzena. Em termos de temperatura de normal a frio terminará outubro, ou seja, confirmando o que falamos a tempo (desde maio), comportamento de La-nina em SC, chuva bem irregular e frio frequente com primavera fria.
Seguirá assim o fim da primavera (novembro) e começo do verão (dezembro em diante); primavera fria, chuva irregular e avançando no verão climático (fins de novembro/meados de dezembro), verão com chuva irregular (risco maior de temporais mais fortes e em menor número que o normal na primavera/verão) temperatura normal a um pouco abaixo da média, mais dias com madrugadas agradáveis e algumas tardes bem quentes, extremos mais acentuados, começando mais tarde, verão frio no topo da serra.

Aumenta o risco de períodos de pouca chuva a estiagem entre novembro a março.

Risco de geada nas áreas acima dos 900/1100 m em novembro a meados de dezembro e no topo da serra durante o verão.

Seguirá com comportamento de La-nina até o fim da safra 2016/2017.

 

Dados de hoje.

Extremas de SC registrados ontem. 16/11/2016 e mínimas de hoje, 17/11/2016.

 

MÁXIMA, ONTEM; 20,8°C/ 30,7°C EM BLUMENAU/FURB.

MÁXIMA, HOJE; –°C/ –°C EM –/–.

MÍNIMA ONTEM;  8,0°C/ 15,3°C BOM JARDIM/M.IGREJA/INMET.

HOJE; 10,7°C/ –°C BOM JARDIM/M.IGREJA/INMET.

CAPITAL/INMET ONTEM; 20,2°C/ 26,8°C.

CAPITAL HOJE; 19,3°C/ –°C /INMET.

CAPITAL HOJE; 19,7°C/ –°C /EPAGRI/ITACORUBÍ.

CAPITAL/NORTE DA ILHA HOJE; 19,0°C/ –°C /EPAGRI.

CLIMATERRA/SÃO JOAQUIM ONTEM;  12,0°C/ 19,0°C.

SÃO JOAQUIM/INMET/ONTEM; 11,4°C/ 19,1°C.

SÃO. J./CRUZEIRO/FERNANDO KEISER/ONTEM; 11,6°C/ 18,2°C.

CLIMATERRA/SÃO JOAQUIM HOJE; 12,6°C/ –°C.

SÃO JOAQUIM/INMET; 12,3°C/ –°C.

SÃO. J./CRUZEIRO/FERNANDO KEISER/ONTEM; 12,2°C/ –°C.

* GEADA FORA DA ESTAÇÃO.

 

HORAS DE FRIO ABAIXO DE 7,3°C EM ALGUMAS ESTAÇÕES DA SERRA E CENTRO DE SC.

ACUMULADO (HORAS) ATÉ O DIA 30/9/2016.

1618 M.Igreja/ B.Jardim/Inmet, (2015; 1113 h/até o dia 30/9)

1531 Urupema/Epagri (2015; 712 h/até o dia 30/9)

1497 M.Torres/Urupema/Epagri (2015; 923 h/até o dia 30/9)

1464 Urubici/Mundo Novo/Epagri (2015; — h/até o dia 30/9)

1443 B.Jardim/Epagri (2015; 715 h/até o dia 30/9)

1385 Cruzeiro/S.Joaquim/Climaterra. (2015; 716 h/até o dia 30/9)

1233 Climaterra/cidade de S.Joaquim (2015; 554 h/até o dia 30/9)

1072 S.Joaquim/automática/Inmet (2015; 504 h/até o dia 30/9)

1041 Santa Isabel/S.Joaquim/Epagri (2015; 547 h/até o dia 30/9)

749 Fraiburgo/Liberata/Epagri (2015; 261 h/até o dia 30/9)

675 Lages/automática/Inmet (2015; 217 h/até o dia 30/9)

276 Criciúma/SATC (2015; 62 h/até o dia 30/9)

188 Florianópolis/Carijós/Epagri (2015; 10 h/até o dia 30/9)

53 Florianópolis/automática/Inmet (2015; 3 h/até o dia 30/9)

 

OBS; EM 2013 FORAM 123 DIAS COM GEADA NA REGIÃO DE S.JOAQUIM, NOVO RECORDE (103 DIAS EM 1999 O ANTERIOR) E 40 DIAS ACIMA DA MÉDIA (83 DIAS/ANO). FORAM 12 DIAS COM NEVE.EM 2016 IGUALAMOS O RECORDE DE DIAS COM GEADA NO TOPO DA SERRA.

EM 2016; 123 DIAS COM GEADA NO TOPO DA SERRA (85 DIAS SÓ NO PÁTIO DA CLIMATERRA), 8 DIAS COM NEVE E 7 COM SINCELO.  JÁ COM 69 DIAS COM MÍNIMAS NEGATIVAS NO TOPO DA SERRA E 70 DIAS EM SC. NA CLIMATERRA JÁ TEMOS 25 DIAS COM MÍNIMA NEGATIVA, RECORDE ERA EM 2013/2000 COM 22 DIAS.

.

 

SÃO JOAQUIM;

 NA SEXTA-FEIRA/H.VERÃO;

NASCER DO SOL; 06h: 17.

PÔR DO SOL; 19h: 52.

 

 

INVERNO E COMEÇO DA PRIMAVERA 2016.

OUTONO DE 2016

Tivemos um outono atípico, começou mais cedo, já em março, sofreu um forte bloqueio em abril onde o calor predominou quase que totalmente, tanto que abril terminou em SC como o mais quente ou o segundo mais quente em mais de 100 anos! Em termos de média mensal em Florianópolis foi o mais quente em 115 anos (1911/2016), ganhou de 1941, São Joaquim teve o segundo abril mais quente, perdeu para 1973, em Itapiranga (dados do Sr.Wolfgang) foi o quarto mais quente em 81 anos e assim vai pelas diversas estações de SC, ou mais quente ou o segundo mais quente, tamanho foi a intensidade do bloqueio gerando uma fortíssima onda de calor que quebrou recordes de máxima em várias estações ou ficou entre as 3 maiores máximas em abri, recordes de mínimas altas também foram observados. No final de abril uma fortíssima onda de frio quebrou o bloqueio e atingiu com força poucas vezes vista SC nesta época, veio o outro lado da moeda, frio intenso por 5 dias seguidos em abril e começo de maio, geada ampla e forte em muitas cidades, recordes de mínima, de máxima baixa ou valores entre os três mais baixos em décadas, literalmente foi um abril inusitado em termos de clima. Simplesmente passamos de um verão para o fim do outono/começo de inverno clima em SC de maneira muito brusca poucas vezes vista. Em termos de chuva o outono foi acima da média e na temperatura bem acima da média em abril e bem ameno em março, começou cedo e terminou cedo, foi muito curto o outono em 2016.

Os extremos deste outono ficaram em; 37,7°C em Joinville/Defesa Civil recorde para abri na cidade (muitas estações tiveram máximas entre 36/37°C, também recordes de abril) e -4,0°C em Urupema/Epagri/recorde da estação em abril.

 

 

Nas tendências de clima sempre tratamos estações pelo clima e não pelo calendário, pois em SC elas começam bem diferente do calendário, exemplo, quando se anuncia na mídia que começou o inverno, na prática, 21/22 de junho, já estamos quase meio da estação, pois em junho/julho estamos no auge do frio em SC. Espero que no futuro a geografia, agronomia, meteorologia, climatologia um dia mudem esta forma de ver, separando de vez estação astronômica da climática, dentro do nosso país tem regiões que é um eterno verão e não tem nem cabimento dizer que começou o inverno nestas áreas. É uma boa tese de mestrado ou conclusão de curso, fica a dica!

 

INVERNO/COMEÇO DA PRIMAVERA

O inverno/clima em 2016 começou bem cedo, dia 26 de abril no topo da serra e meados de maio em SC como um todo, por sinal na região de S.Joaquim é o começo de inverno mais frio desde 1988, do dia 26 de abril ao dia 26 de maio a média está -3,2°C, valores mais baixos que no auge do inverno, junho/julho e creio que a analogia vale para boa parte de SC.

No geral o inverno de 2016 deve ser abaixo da média e com frio mais constante que o normal, alguns períodos curtos de calor devem ocorrer e uma pequena chance de um período maior que 15 dias de calor bem acima do normal, mas no geral, maio a setembro o frio será dominante, entras frequentes de massas polares, risco alto de 2 a 4 massas polares bem intensas e, possivelmente, uma muito extremada entre junho a setembro. Os extremos serão mais acentuados que o normal (frio/calor)

Em 2016 estamos indo para La-nina e boa parte do inverno estará sob sua influência, além do Atlântico sul mais frio que nos anos anteriores, teremos um inverno mais longo e que deverá avançar dentro da primavera que tenderá ser mais fria que o normal em SC. Este quadro irá favorecer a ocorrência de geadas mais intensas entre a segunda quinzena de agosto/setembro nas áreas não tão frias e entre outubro e novembro nas áreas mais altas, acima dos 900/1100 m, serão geadas com potencial de danos.

Temperatura mínima entre -3/5°C nas áreas acima dos 500/600 m e entre 0/7°C no litoral e áreas baixas serão frequentes ao longo do inverno nas entradas de ar polar fraco a moderado e nas polares fortes a intensas entre -7 a 0°C em boa parte de SC e -3/5°C no litoral e baixo vale do Itajaí (2 a 4 vezes poderá ter ao longo do inverno), pontualmente, topo da serra entre -12/-8°C deverá ser a mínima do inverno, no litoral e baixo vale do Itajaí entre -3/2°C deverá ser a mínima do inverno e na maior parte das cidades (400 a 1200 m) entre -7/-1°C o extremo mínimo deste ano.

Em termos de precipitação a tendência é ficar dentro a abaixo da média e com distribuição mais irregular, ficando mais irregular na primavera, ou seja, alterna períodos de chuva, até forte, com intervalos mais longos de pouca a nenhuma chuva. Até o fim de 2016 o risco de ter um ou mais intervalos longos de pouca a nenhuma chuva/estiagem (20/25 dias ou mais) é bem maior que nos anos anteriores. As condições para neve estarão bem mais favoráveis neste ano, que já teve dois dias em abril, possivelmente poderemos ter mais 3/6 dias com ocorrência até o começo da primavera (5/8 no total em 2016).

Extremos do inverno/2016 (maio/setembro) podem ficar entre;

Máxima absoluta esperada; 32/35°C em algumas cidades do litoral, vale do Itajaí e vale do rio Uruguai (maior chance no fim do inverno). Na maioria das cidades os valores máximos esperados devem oscilar entre 26/31°C, nas cidades acima dos 900/1000 m entre 25/30°C e no topo da serra (dos 1300 m para mais) entre 22/26°C.

Mínima absoluta esperada; -12/-8°C em alguns pontos do topo da serra. Na maioria das cidades os valores mínimos esperados devem oscilar entre -7/-2°C, nas cidades do litoral e boa parte do vale do Itajaí entre -3/2°C e  nas praias e áreas próximas  entre 2/5°C.

Valores extremos já registrados durante o inverno climático, maio/setembro.

Máxima;  40,0°C Itapiranga/Sr.Wolfgang em setembro de 2003.

Mínima; -14,0°C Caçador/Inmet em junho de  1952.

 

Agricultura

Durante o decorrer do inverno o clima será favorável a todas as culturas, dormentes (fruteiras), as de ciclo anual; cebola, alho, para as pastagens de inverno, já para as pastagens nativas e culturas sensíveis a geada será um inverno mais rude com danos mais acentuados, mais no leste e vale do Itajaí. Em termos de horas de frio abaixo de 7,3°C e unidades de frio podem ser um dos melhores invernos, valões entre 100/300 horas de frio nas áreas baixas (inferior a 500 m), entre 300/700 horas entre 500 a 1100 m acima das 700/900 horas  nas áreas acima de 1200/1300 m, especialmente no topo da serra onde pode passar das 1100 horas em vários pontos. No caso do trigo o inverno tende a ser muito bom, maior problema será o fim do inverno e começo da primavera (meados de agosto a fins de setembro) quando teremos alto risco de geada com potencial de danos, até mesmo em outubro na região de Campos Novos/Fraiburgo, também vale para as áreas de trigo no RS e PR que terão risco de geada tardia para esta cultura (também inclui a cevada e aveia). No caso da cebola e alho o frio tardio poderá induzir ao florescimento/cebola e perfilhamento/alho. Evitar a semeadura do milho e feijão muito cedo, mesmo em setembro e outubro poderá ter risco de geada danosa nas principais áreas de produção de SC. Nas fruteiras de clima temperado o risco será a geada tardia entre meados de agosto a setembro nas áreas de baixa altitude  e em fins de setembro a começo de novembro nas principais áreas de frutas temperadas. Se possível retardar ao máximo a poda nas fruteiras em geral.

Também poderemos ter risco de geada com danos no milho safrinha e uma ou duas massas polares podem atingir o café no sudeste do Brasil.

Eventos extremos sempre acontecem, neste ano poderão ser mais fortes, especialmente entre agosto a outubro, transição do inverno para a primavera, será um ano favorável (mais que o normal) a tempestades severas (granizo, chuva intensa e ventania com potencial de danos). Neste sentido é importante sempre acompanhar a previsão diária.

Turismo

Neste ano o inverno já está movimentando bem a economia da serra, o frio forte antecipado e as geadas estimulam a visita a serra e o inverno no geral será muito bom para o setor hoteleiro e das pousadas, muitos dias de frio intenso e geada forte e algumas janelas para neve ao longo do inverno. A geada será frequente, muitas com forte intensidade. Já tivemos, até o dia 26 de maio, 19 dias com geada, dois dias com sincelo e dois com neve bem fraca, espera-se entre 80/100 dias de geada para 2016 no topo da serra e entre 25/60 dias nas áreas entre  600/1200 m,  no litoral e baixo vale do Itajaí poderá ter um ou dois eventos de geada mais ampla e danosa durante este inverno. No litoral poderemos ter eventos mais fortes de ressaca que também são atrativos para os turistas e surfistas, sempre com muita atenção.

Nas vendas de produtos relacionados ao inverno como roupas, eletrodomésticos e alimentos, o clima estará muito mais favorável em relação aos dois últimos invernos e mesmo em relação há anos “normais”, só não será ótimo em função do custo da energia (valores altos da conta de luz) e da crise.

 

http://twitter.com/climaterra

https://www.facebook.com/pages/Climaterra-Meteorologia-e-Agronomia/619930311412125

 

Bruno Maon Fernandes/Meteorologista.

Ronaldo Coutinho/Agrônomo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.