in

Cavalgada – Veterinário da Cidasc explica quais as exigências para que os cavalos participem de eventos

Como forma de prevenção de doenças, como anemia infecciosa, mormo e influenza, os cavalos tem que passar por exames antes dos eventos. Então aqui vamos tentar orientar em especial as Cavalarianas de várias lugares que já se preparam para participar da primeira Cavalgada Feminina de São Joaquim, que acontecerá, dia 6 de outubro, então, conversamos com o médico veterinário do Departamento Regional da Cidasc de São Joaquim, Cassiano Cardoso Fabre, e também o médico veterinário responsável por fiscalizar os  exames de sanidade em cavalos pela cavalgada, Cleberson Camargo Goularte, esclarecem algumas duvidas sobre as regras para participar de cavalgadas, rodeios e outros eventos, são exigidos alguns documentos que irão certificar que o animal é saudável e está com tudo em dia. Segundo eles que uma das exigências são os exames de sangue negativos para duas doenças: anemia infecciosa equina e mormo. Outro documento necessário é a carteira de vacinação contra a influenza equina. Esses exames são necessários para retirar a Guia de Trânsito Animal – GTA, junto a Cidasc. Se o animal não tiver a vacina, ambos veterinários responsáveis  afirmam que é necessário ter um atestado sanitário de não ocorrência para a doença, que deve ser emitido antes do evento.

Acompanhe as informações que o Médico veterinário do Departamento Regional da Cidasc de São Joaquim, Cassiano Cardoso Fabre, esclarece:

Realmente está sendo muito mais cobrado porque agora é obrigatório constar para fazer o cadastro do evento, na secretaria da agricultura do estado, além dos outros documentos que precisam é obrigatório ter o regimento interno do evento e nele deve constar a assinatura do veterinário responsável e pelo promotor do evento que será cobrado o GTA , exames de anemia, mormo, vacina da influenza, que os animais tem que ser conferidos na chegada do evento. Os animais não podem ficar em torno do evento e quem chegar e não puder entrar, obrigatoriamente tem que voltar a propriedade de origem, então como agora se tem a assinatura do promotor do evento, eles assim também se sentem responsáveis por cobrar dos participantes á seguir as normas ou seja, estão conscientes que é de responsabilidade deles também, não permitir ninguém a participar sem os exames, porque o grande problema é que muita gente ainda não sabe qual a função da GTA, que é a guia de trânsito animal, pra que elas nos servem no caso de equinos para a Cidasc? Para que possamos fazer uma rastreabilidade um rastreio de onde passou o animal que vem a dar positivo o exame para anemia ou Morno, então nos temos condições de saber em quais eventos eles andaram. Caso os eventos forem feitos de qualquer forma sem a exigência do GTA, vai entrar animais com exames e outros sem sem GTA, o animal que vem de uma série de exames negativos e ele apresentar um exame positivo, ele tem que ter sido contaminado por algum outro animal com o qual ele teve contato. Se nos não tiver a forma de chegar a este animal, perdemos toda rastreabilidade e vamos ter um animal positivo que vai estar contaminando outros animais que vêem de uma série de exames, uma série de cuidados sempre com exames negativas e aparece positivo de uma hora para outra, este animal tem que ser sacrificado e na verdade a origem do foco que seria aquele animal que foi lá  sem exames, sem GTA, sem nada ele vai continuar sempre tendo contato e transmitindo para outros animais que vão fazer os exames e acabamos não conseguindo chegar neste animal. Um dos problemas hoje no estado que se diz que nossa prevalência é tão baixa, porque quase não temos exames de animais positivos é justamente por isto, porque sempre os mesmos animais são os que estão fazendo exames e raramente acontece de um destes animais que vêem de uma série de exames negativos aparece positivo só porque não conseguimos achar a origem do animal que está transmitindo para ele, então está é a grande importância de termos a certeza de que todos animais que estão dentro do evento estão participando ou seja, “evento” se considera qualquer aglomeração de equinos que venham de propriedades de locais diferentes e se aglomeram, convivem entre eles durante um determinado tempo seja rodeio seja cavalgada seja exposição, então esse controle precisamos ter, todos animais que chegarem lá, sabemos que eles têm os exames negativos e sabe por onde eles passaram. Porque se por ventura alguns destes animais venha a dar positivo agente consegue fazer o contato com outros proprietários os quais aquele animal teve contato e esclarecer: este animal apareceu positivo estamos fazendo a rastreabilidade do foco é precisa ser feito os exames para ver se ele não transmitiu para algum destes animais, o qual teve contato, mas, o evento tendo 100% dos animais, o exame negativo não é um problema que ele vá estar transmitindo, porque este cavalo que consideramos positivo que esta transmitindo para outros, e o dia que ele for fazer o exame que ele nunca tinha feito, então, ele vai confirmar a doença antes de chegar o evento e evitar que transmita para outros animais.

 esclarecimento do médico veterinário do Departamento Regional da Cidasc de São Joaquim, Cassiano Cardoso Fabre

A fiscalização será feita pelo responsável técnico do evento,Cleberson Camargo Goularte. Ele será o responsável pelo recebimento dos animais e a conferência dos documentos e se tiver alguma inconformidade, ele aciona a Cidasc. Ele saliente que para iniciar a primeira coisa que tem que fazer é contratar um médico veterinário, sendo qualquer médico veterinário, faz exames nos cavalos, vai chegar este exame o médico veterinário irá cadastrar e entrega para p proprietário do animal, depois de fazer isto, no dia do evento, antes tira a GTA para a cavalgada. Vamos exigir no dia quem não tiver exame, sendo que o relatório ele tem que entregar a Cidasc, se ninguém fazer o exame, o evento será barrado e não acontecerá e os responsáveis se incomodarão, então quem quer participar, a primeira coisa a fazer é procurar o médico veterinário para realizar os exames nos cavalos, e depois disso é só tirar a GTA que já estará cadastrado e como veterinário darei o GTA de retorno, esclarece Clberson em entrevista;

Fatores de risco é o proprietário do animal receber multa de R$: 500 e vai duplicando, reicidir vai para R$1000 além do médico responsável levar advertência e ate perder a liberação de fazer RT.

Confira quais os documentos necessários:

– Comprovação do exame de sangue negativo para anemia infecciosa equina;

– Comprovação do exame de sangue negativo para mormo;

– Guia de Trânsito Animal – GTA;

Valores:

CUSTO EXAME ANEMIA E MORMO  R$150

CUSTO VACINA INFLUENZA 1 VACINA RS: R$50 , 2 VACINA R$80.

As pessoas que forem participar da cavalgada montados em equinos, deverão apresentar os seguintes exames: mormo, anemia, vacina contra gripe e deverá apresentar a Guia de Transporte Animal (GTA).

“É importante e imprescindível estar com todos os exames em dia nos eventos que tem aglomeração de animais para evitar a transmissão para outros animais.

Cavalgada resgata e fortalece as origens do tropeirismo … Com o objetivo de fortalecer os costumes e tradições.Participar consciente que seu animal esteja protegido é garantia de sucesso.  

Fonte: https://www.diaadiadovale.com.br/noticia/19/128/Indea-orienta-quanto-a-participacao-de-animais-na-Cavalgada-em-Dom-Aquino/
© DIAADIADOVALE.COM.BR

Fonte: https://www.diaadiadovale.com.br/noticia/19/128/Indea-orienta-quanto-a-participacao-de-animais-na-Cavalgada-em-Dom-Aquino/
© DIAADIADOVALE.COM.BR

http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/53242322/do1-2018-12-04-portaria-n-162-de-3-de-dezembro-de-2018-53242234

No site da Cidasc com a legislação de defesa onde existem todas as leis referentes a cada espécie. Na parte de eventos têm os 2 leis federais e uma estadual que a Cidasc segue, além das comunicações internas, instruções de serviços, portarias das secretárias da agricultura, tem a portaria Federal do ministério da agricultura  a PORTARIA Nº 162 de 1994, então a questão de eventos não é algo novo que a Cidasc criou agora, como Portanto a secretaria da agricultura junto ao ministério da agricultura, estão cobrando da Cidasc, que se cumpra o que sempre existiu, não existe novidade nisto, basta ter este conhecimento.

LEI Nº 10.366, de 24 de janeiro de 1997

DISPÕE SOBRE A FIXAÇÃO DA POLÍTICA DE DEFESA SANITÁRIA ANIMAL E ADOTA OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Parágrafo único. Para os efeitos desta Lei, entende-se por defesa sanitária animal o conjunto de ações básicas a serem desenvolvidas visando a proteção dos animais, a diminuição dos riscos da introdução e propagação de agentes causadores de doenças, bem como a redução das possibilidades de transmissão de doenças dos animais ao homem.

Home

http://leisestaduais.com.br/sc/lei-ordinaria-n-10366-1997-santa-catarina-dispoe-sobre-a-fixacao-da-politica-de-defesa-sanitaria-animal-e-adota-outras-providencias

https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/99858/lei-10519-02.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

PREVISÃO DO TEMPO PARA OS DIAS 24 E 25 DE AGOSTO DE 2019.

Pânico- Homem entra atirando em boate e é morto por policial de folga na Serra Catarinense