Cão border collie assume pastoreio e ameniza falta de mão de obra no campo

Ajudante de quatro patas, comandados por voz e apito, animais treinados conseguem conduzir até 200 ovinos e 70 cabeças de gado – a uma distância de 500 metros. Toca, direita, esquerda, devagar, deita, vem aqui e olha para trás. Cinco repetições dessas palavras são suficientes para o cão da raça “border collie” ser capaz de obedecer a comandos de voz do produtor e fazer sozinho o pastoreio de rebanhos ovinos e bovinos.

Considerado o cachorro mais inteligente do mundo, o animal ganhou espaço em propriedades gaúchas nos últimos anos – quando o número de pessoas ocupadas no campo chegou pela primeira vez a menos de um milhão. Com treinamento adequado, o ajudante de quatro patas consegue substituir o homem a cavalo e conduzir até 200 ovinos e 70 cabeças de gado – tendo o dono distante até 500 metros, nesse caso comandado por meio de apito.

Na mangueira, inicialmente o cachorro é conduzido por uma guia, se ambientando com os ovinos Marco Favero / Agencia RBS

Com a escassez de encontrar a mão de obra qualificada no meio rural, especialmente para trabalhar na pecuária. Os campeiros antigos estão acabando. A crescente procura pelo animal como ferramenta de trabalho levou o Banrisul a fazer análise para incluir a aquisição do cão no crédito agrícola.

O treinamento de um border collie para tomar conta do serviço no campo pode levar de seis a sete meses. Após o primeiro ano de vida, o cachorro já pode começar a ser preparado para a lida diária.

Cachorro controla os animais pelo olhar, com o rabo abaixado e quase rastejando, Imagem Marco Favero / Agencia RBS

Após as aulas teóricas, os alunos são levados a uma mangueira, onde o cachorro é conduzido inicialmente por uma guia, em um processo de sensibilização com o rebanho. À medida em que se acostuma com o ambiente, começam a ser introduzidos os primeiros comandos de voz.

Passada essa parte, em que o cão é treinado próximo do produtor, vem a fase final: o uso do apito a uma distância de até 500 metros. Cada silvo, com sons variados, representam uma ação. Ao final do treinamento, o cachorro controla os animais pelo olhar, com o rabo abaixado e quase rastejando.

Origem e custo

  1. O border collie surgiu nas regiões da Inglaterra e da Escócia, onde era necessário que cães subissem montanhas, onde os cavalos não conseguiam chegar, para trazer o rebanho de ovinos de volta.
  2. Os primeiros exemplares chegaram ao Brasil há cerca de 20 anos.
  3. Embora a aptidão natural da raça seja para o pastoreio de ovinos, pode também ser adaptada para o trabalho com gado.
  4. Um filhote custa em média R$ 2 mil. Um animal já treinado varia de R$ 5 mil a R$ 15 mil, dependendo da linhagem.

Fonte gauchazh. – Foto Agencia RBS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.