Terão que usar tornozeleira eletrônica as pessoas que recolheram dinheiro do assalto em Criciúma

Foto: Reprodução Redes Sociais

Um dilema para os moradores de Criciuma que juntaram dinheiro na rua após o assalto ao banco. Alegria que se tormou um pesadelo. Mesmo com as Investigação que apontaram que as quatro pessoas não tinham relação com o assalto ao banco e os ladrões estarem ainda solto. As quatro pessoas que foram presas ao recolher o dinheiro deixado nas ruas após o assalto ao Banco do Brasil, em Criciúma, serão monitoradas e vão usar tornozeleira eletrônica. A medida foi decretada pelo judiciário da comarca de Criciúma como condição para que as pessoas respondam ao processo em liberdade.

As prisões foram feitas em flagrante pela Polícia Militar logo após o grande assalto que sitiou o centro de Criciúma na madrugada de terça-feira (1º). Na fuga, os assaltantes deixaram uma quantia de dinheiro espalhada pelas ruas da cidade, e os quatro moradores foram presos enquanto recolhiam as notas do chão. A PM apreendeu cerca de R$ 810 mil com eles. O ato das pessoas pode ser enquadrado em crimes de apropriação indevida.

Com informações NSC

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.