Após 86 dias de colapso, AM zera fila de UTI e cede leitos a outros estados

Oitenta e seis dias após iniciar uma fila de espera para leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas informou na quarta-feira 23, que não há pacientes com covid-19 aguardando vaga em unidades de saúde em Manaus.

No interior, diz a pasta, hoje pela manhã havia sete pedidos de transferência de emergência. “Essa quantidade não é considerada fila, tendo em vista que há vagas e as remoções dependem apenas das condições clínicas dos pacientes e da logística de transporte”, explicou a secretaria ao UOL.

A fila de espera no estado teve início no dia 6 de janeiro e chegou a ter mais de 500 pacientes aguardando uma vaga durante o colapso que atingiu o sistema de saúde.

A queda foi alcançada após um rígido plano de isolamento social, que chegou a proibir a circulação de pessoas durante alguns dias.

Segundo boletim de hoje, a taxa de ocupação de UTIs no estado está em 75%, a menor entre as unidades da federação.

Com isso, o estado começa a retribuir o apoio que teve de outras localidades em seu momento mais crítico.

“As taxas de ocupação de leitos de UTI têm ficado abaixo de 80%, o que possibilitou a disponibilidade de 11 leitos de UTI e 16 leitos clínicos para pacientes de Rondônia e do Acre, na semana passada”, afirma a pasta.

“Nesta terça-feira foram ofertados mais seis leitos de UTI e 18 leitos clínicos para os dois estados, por meio da ‘Operação Gratidão’, realizada pelo governo do Amazonas em parceria com os Ministérios da Saúde e da Defesa”, finaliza.

Com informações Uol

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.