in

Projeto: “O Prazer da Leitura”

Dia 23 de Abril é o Dia Mundial do Livro e, para comemorar esta data, selecionamos o Projeto: “O Prazer da Leitura”, idealizado e executado há 7 anos pelo professor Adelar Ribeiro Amorim, na Escola de Educação Básica Manoel Pereira de Medeiros, em Urupema.

58382224_797668513951424_691030679961468928_n
Cartaz na porta da Biblioteca Monteiro Lobato, elaborado pela professora Fabiana Steffen Fabre

 

As histórias estão presentes em nossa cultura há muito tempo e o hábito de contá-las e ouvi-las tem inúmeros significados. Está relacionado ao trabalho afetivo, à construção da identidade, ao desenvolvimento da imaginação, à capacidade de ouvir o outro e a capacidade de se expressar. Além disso, a leitura de histórias aproxima a criança do mundo letrado e colabora para a democratização de um dos nossos mais valiosos patrimônios culturais: a escrita.

Com o objetivo primeiro de desenvolver nos alunos a proficiência em leitura e escrita, proporcionando aos educandos recursos para o desenvolvimento de habilidades que levam a aquisição da leitura/escrita tendo como linha norteadora os princípios da ludicidade, o Professor Adelar, Tio Delas, iniciou em 2013 o Projeto: “O Prazer da Leitura”, onde apresenta autores, compositores e fotos dos lugares que visita. Os 150 alunos do 6º ano ao 3ªº, tem 1 aula por semana dedicada exclusivamente a leitura, interpretação e apresentação dos livros lidos. Tudo tem um embasamento cultural e pedagógico que é aproveitado nas aulas de Língua Portuguesa, Produção de Textos e Língua Inglesa.

 

Nos dias de hoje, em que as crianças, jovens e adultos ficam extremamente envolvidos pelos celulares, redes sociais e jogos, é de extrema importância resgatarmos comportamentos que façam diferença no desenvolvimento intelectual. Um destes comportamentos é, certamente, a comunicação e o compartilhamento de vivências. Uma forma poderosa de aproximar-se do aluno é através de histórias. Quando contamos histórias, vivências e lembranças, nós podemos ver, pensar, questionar, entender e rir juntos. Como conseqüência, desenvolvemos uma relação mais próxima com nossos alunos. Esta relação irá ajudá-lo sentir-se mais seguro e capaz e auxiliará no desenvolvimento de uma auto-estima saudável.

O prazer de ler é resultado de estímulos constantes, que aos poucos se torna uma questão de gosto, de escolha pessoal, de atitude.

58441614_2221264224853910_1221783917854457856_n

Para chegar a essa escolha é necessário ter acesso ao livro, depois vem o entendimento de que se trata de uma janela por onde acessamos séculos de conhecimento, é viajar sem sair do lugar, é o mundo na ponta dos dedos que se descortina em um virar de página.

Ler, entender, refletir, escrever, transformar. O livro é o passaporte para o autoconhecimento, para aprender a ler o mundo, viabiliza conquistas individuais e coletivas, inspira transformações, dá voz às ideias.

Investir em ações que promovem o livro é investir na formação de cidadãos, é contribuir para a construção de um país mais justo. Não há como discordar de Monteiro Lobato: “Um país se faz com homens e livros”.

Em Julho de 2018, ao lado de Maria Lúcia, dona do verdadeiro Sítio do Pica Pau Amarelo, local que serviu de inspiração para Monteiro Lobato escrever sua obra mais famosa.

Sítio do Picapau Amarelo é uma série de 23 volumes de literatura fantástica. O conceito foi introduzido de um livro anterior de Lobato, A Menina do Narizinho Arrebitado (1920), a história sendo mais tarde republicada como o primeiro capítulo de Reinações de Narizinho (1931), que é o livro que serve de propulsor à série de Sítio do Picapau Amarelo. Precedentemente, Lobato já havia publicado os volumes O Saci (1921), Fábulas (1922), As aventuras de Hans Staden (1927) e Peter Pan (1930).

O cenário principal é um sítio, batizado com o nome de Picapau Amarelo, de onde vem o título da série, onde mora Dona Benta, uma velha de mais de sessenta anos que vive em companhia de sua neta Lúcia, ou Narizinho como todos dizem e a empregada, Tia Nastácia. Narizinho tem como amiga inseparável uma boneca de pano velho chamada Emília, feita por Tia Nastácia. Em um dos capítulos de Reinações de Narizinho, Emília começa a falar graças á pílula falante do Doutor Caramujo, um médico afamado do Reino das águas claras, um palácio que fica no fundo do ribeirão do sítio. Durante as férias escolares, Pedrinho, primo de Narizinho, passa uma temporada de aventuras no Sítio. Juntos, eles desfrutam de aventuras explorando fantasia, descoberta e aprendizagem. Em várias ocasiões eles deixam o sítio para explorar outros mundos, como a Terra do Nunca, a mitológica da Grécia Antiga, um mundo subaquático conhecido como Reino das Águas Claras, e o espaço exterior.

 

Incentivar o prazer de ler é traçar um futuro diferente e melhor para cada um de nós!

57604416_2079233108860279_2079071832656314368_n
Para o Professor Adelar, ler significa refletir, trocar opiniões, exercer desde cedo a cidadania. Além de prazeroso, ler é um caminho que ajuda a melhorar a intelectualidade, aprimora o conhecimento geral e oferece subsídios para refletir sobre o mundo.

 

O projeto conta com livros próprios, doações, acervo da Biblioteca da escola e livros trazidos pelos alunos. Os temas variam entre história, literatura, autoajuda, biografias etc.

 

Seja por prazer, seja para estudar ou para se informar, a prática da leitura aprimora o vocabulário e dinamiza o raciocínio e a interpretação. Um ato de grande importância para a aprendizagem do ser humano, a leitura, além de favorecer o aprendizado de conteúdos específicos, aprimora a escrita. O projeto incentiva os alunos a buscarem seus temas preferidos e desperta a escolha consciente da profissão nas turmas pré-vestibular.

A leitura precisa ser prazerosa e, para isto, todo o espaço escolar é aproveitado para apreciar incríveis momentos de leitura.

 

Gostou do projeto? Gostaria de contribuir? Você pode doar livros, jornais e revistas nos seguintes locais:

  • E.E.B. Manoel Pereira de Medeiros, em Urupema.
  • Rua Vidal Cândido da Silva, nº 111, Bairro Bela Vista, em São Joaquim
  • No prédio onde funcionava a ADR, no setor de Educação.

 

IMG_12266_1_high

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acidente entre ônibus da Catarinense e carreta deixa vitimas fatais e feridos na BR-470

Por um pouco de limites – Lya Luft