in

O perfil do viajante brasileiro no 1º semestre deste ano

Por Jeff Severino

A agência Almundo acaba de realizar um levantamento que destaca o perfil do viajante brasileiro no primeiro semestre de 2019. A pesquisa revela que o consumidor digital é predominantemente feminino (60%). Além de compra passagens com 109 dias de antecedência e estar na faixa etária de 25 a 34 anos. O estudo analisou que a maioria das compras são realizadas por meio do desktop (59%), enquanto mobile representa 41%. De acordo com Luciano Barreto, Country Manager da Almundo, apesar da ascensão do mobile estar cada vez mais significativa, muitos viajantes ainda têm receio de realizar transações via celular.

Ainda segundo o levantamento, o ticket médio total no período foi de R$ 2,7 mil. Com Santiago, Buenos Aires, Miami, Lisboa e Nova York sendo os destinos internacionais mais procurados. Dos nacionais, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza e Recife foram os mais populares. Segundo Barreto, houve um crescimento em relação às vendas para Santiago de 2018 para 2019. Um dos motivos foi a companhia aérea Sky, low cost que opera voos diretos da capital chilena para São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. Com previsão para iniciar rotas para Florianópolis. Além disso, em 2019, Orlando deixou de aparecer entre os destinos do Top 5.

No primeiro semestre de 2018, a antecedência de compra foi de 82 dias. Comparado a este ano, houve um aumento de mais de 25 dias, o que mostra que os brasileiros estão planejando as suas viagens com cada vez mais antecedência. A predominância de compras em viagens este ano é exatamente a mesma que no anos passado (feminina e com faixa etária de 25 a 34 anos). Contudo, as compras de passagens aéreas via desktop somavam 68%, enquanto mobile 32%.

Em 2019, o desktop ainda é predominante, porém houve aumento significativo no número de acessos via dispositivos móveis, de quase 10%.

que fica claro, conferindo principalmente as mídias sociais, o índice de reclamações a respeito da Aerolineas Argentinas é imenso pois obriga todos os voos que saem do Brasil pousarem em Ezeiza, obrigando o turista brasileiro que deseja seguir viagem para outro destino, trocar de aeroporto que fica do outro lado da cidade (Aeroparque Jorge Newbery). O brasileiro fica sem conectividade imediata e é mais uma vez obrigado a pernoitar em Buenos Aires, gastando com alimentação, transfer, hotel… Uma viagem que anteriormente poderia levar no máximo 12 horas entre conexões e voos (Florianópolis/Ushuaia) chega a levar 27 horas. Isso sem contar o preço do bilhete aéreo. Por isso Santiago se tornou o destino top dos brasileiros com voos diretos e ponto a ponto. Alem disso, a companhia aérea constantemente passa por greves acabando com qualquer possibilidade de férias do turista brasileiro. Essa política é catastrófica para o país vizinho que tanto precisa de turistas com a atual crise que estão passando.

Por sorte, primeira companhia aérea de baixo custo da Argentina, a Flybondi, iniciou as operações em janeiro. Por conta das limitações operacionais no Aeroparque (Aeroporto Jorge Newbery), que fica dentro da cidade, a companhia passou a operar voos em Buenos Aires utilizando o Aeroporto de El Palomar, até então apenas uma base aérea militar. A Flybondi planeja operar voos internacionais, inclusive para o Brasil, mas somente após a conclusão da ampliação e reforma de El Palomar, que em breve estará pronta. Localizado no bairro de Palermo, o Aeroparque  tem como grande vantagem estar no meio da cidade, permitindo que se chegue a qualquer bairro de Buenos Aires com facilidade. Apesar de ser maior e ter mais estrutura, Ezeiza está mais longe: a cerca de 30 km do centro da cidade.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ACD Cruzeiro empata fora de casa na primeira rodada do Campeonato Regional de Futebol de Campo

Visando a safra 2019/2020 Epagri e AMAP efetuam Ciclos de Atualização Técnica sobre a Cultura da Macieira