Seca revela fósseis de 280 milhões de anos no norte de Santa Catarina

Rochas foram encontradas no leito do Rio Negro, em Três Barras – Foto: UnC/Divulgação/ND

Devido à seca, equipe localizou novas rochas e encontrou fóssil de réptil que viveu antes dos dinossauros, na região de Três Barras.
Pesquisadores da UnC (Universidade do Contestado), no Norte de Santa Catarina, identificaram uma rocha com fósseis de uma espécie de réptil marinho, conhecido como Mesossauro. A descoberta foi realizada no leito do Rio Negro, na cidade de Três Barras.


Além disso, a equipe do Cenpaleo (Centro Paleontológico) da UnC, recolheu outras amostras para análise. Segundo os pesquisadores, foi possível identificar o fóssil devido à seca que assola o Estado e fez aparecer rochas ao redor do leito.


Conforme o coordenador do Cenpaleo, Dr. Luiz Carlos Weinschütz, a seca trouxe um novo local de ocorrência dos fósseis de répteis que viveram na região há mais de 280 milhões de anos.
Apesar de estarmos vivenciando este período de seca, essa é uma importante descoberta científica para a região”, completou o pesquisador.

Mesossauros viveram há cerca de 280 milhões de anos – Foto: UnC/Divulgação/ND

Mesmo com a semelhança entre os nomes, os mesossauros viveram bem antes dos dinossauros – 230 a 65 bilhões de anos. Quando estes répteis estavam vivos, a América do Sul ainda estava ligada à África, Antártica, Índia e Austrália, formando o continente Gondwana (Parte Sul da Pangeia).

Além do hábito aquático, eles mediam cerca de um metro e viviam em grandes lagos de água salobra e salgada. Então, estima-se que a sua alimentação era baseada em pequenos crustáceos. Dessa forma, a rocha onde estão estes fósseis é definida como um folhelho oleígeno, popularmente chamado de xisto betuminoso.

Com informações ND MAIS

1 COMENTÁRIO

  1. Um grande abracitos é muito bom é muito maravilloso qué bom qué está criança teve o prazer de ganhar um abracitos de sua maravillosa profesora eu gostei muito de ler está historia foi muito bom muito bom

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.