No RS Reciclador encontra R$ 5,5 mil em lixão e devolve dinheiro para o dono

Reprodução/RBS TV

Um exemplo de honestidade de Gustavo Guedes, de 19 anos, que encontrou a quantia enrolada dentro de um saco plástico. Idoso agradeceu e deu R$ 500 como recompensa pelo gesto.

Um gesto do reciclador Gustavo Guedes, de 19 anos, repercutiu pela cidade de Machadinho, no Norte do estado, nesta semana. Na terça-feira (13), ele encontrou R$ 5,5 mil em notas de R$ 100 enquanto fazia a separação do material na empresa de reciclagem dos pais e devolveu o dinheiro ao dono.

A empresa de reciclagem, que presta serviços para o município há cinco anos, recolhe cerca de duas toneladas de materiais diariamente. De acordo com Gustavo, encontrar o dinheiro foi inusitado.

A empresa de reciclagem, que presta serviços para o município há cinco anos, recolhe cerca de duas toneladas de materiais diariamente. De acordo com Gustavo, encontrar o dinheiro foi inusitado.

“Cheguei para trabalhar normalmente, como todos os outros dias da semana, e por volta das 14h30 ou 15h, durante a classificação do material, abri uma sacolinha e nela tinha garrafa pet, vidro de café, carteira de cigarro e um maço de dinheiro”, conta o reciclador.

Depois de se recuperar do susto, Gustavo comunicou o pai, Kiko Guedes, o que havia encontrado. Os dois guardaram o dinheiro na esperança de que alguém se manifestasse. No mesmo dia, um idoso foi até a empresa, preocupado, afirmando ter perdido a quantia.

“Ele chegou assustado, falando que tinha perdido R$ 5,5 mil e que, de repente, poderia estar no lixo. Eu falei que nós achamos, mas disse: ‘O senhor vai ter que falar o que tinha dentro da sacolinha, né’. Ele acertou tudo que tinha, e nós devolvemos”, relata Gustavo.

O idoso não quis comentar o caso, mas, em agradecimento, recompensou Gustavo com R$ 500. Para o pai do jovem, o valor não se compara com a satisfação que ele sente pela atitude do filho.

“Isso aí não vale nada. O que mais vale pra nós é passar ali na cidade e ouvir as pessoas comentando, dando os parabéns pra gente. Isso aí não tem preço, vale muito mais que o dinheiro”, afirma Kiko.

Ele espera que a atitude do filho possa inspirar ações de honestidade e ética em outras pessoas.

É um ano político, ainda mais com a pandemia, então não adianta o cara pegar o dinheiro do outro. Tem que trabalhar e fazer as coisas certas”, afirma.

Com informações G1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.