TEMPESTADE CARI.

A formação de um ciclone subtropical na costa do Estado de São Paulo desde o último domingo, favoreceu a ocorrência de grandes acumulados de chuva em muitas cidades do sul e sudeste do país, especialmente em cidades paulistas e catarinenses. Em São Paulo a influência deste sistema ocorreu de maneira indireta, devido a circulação dos ventos associada a formação do ciclone, que canalizou a umidade da região amazônica sobre o Estado de São Paulo, provocando chuva intensa e constante. Entre 7h do domingo e 7h de terça-feira (72 horas) choveu 124 mm em Ilha Bela, 149 mm em Cardoso, 175 mm em Cândido Mota, 180 mm em Araçatuba e 199 mm em Valparaíso, segundo dados do CIIAGRO (Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas). Em Santa Catarina, entre a Grande Fpolis e litoral sul e o norte do litoral norte do RS, onde o ciclone influenciou diretamente o tempo nos últimos dias, os acumulados de chuva entre a segunda e a quarta-feira ficaram entre 100 e 200 mm em algumas estações.

O sistema se encontra atualmente classificado como Tempestade Subtropical (quando há uma organização circular definitiva, chuvas fortes e ventos entre 63 e 118 km/h), e batizado com o nome Cari. Ciclones tropicais e subtropicais não são comuns no Atlântico Sul, mas Cari já é o segundo a se formar apenas neste ano de 2015. Em fevereiro houve a formação do ciclone Bapo. Felizmente, os ciclones tropicais e subtropicais dos últimos anos não provocaram tantos estragos como o Catarina em 2004, que foi oficialmente o primeiro furacão a atingir terras brasileiras. Ainda assim, a frequência com que estes sistemas tem se formado nos últimos 5 anos preocupa, especialmente porque ocorrem numa área densamente povoada, desde o litoral de São Paulo até o litoral do Rio Grande do Sul, passando por Paraná e Santa Catarina.

Nesta quinta-feira o sistema se afasta ainda mais do continente, ao mesmo tempo em que perde intensidade. Mas a organização de um canal de umidade entre o sudeste e o centro-oeste do país, aliado ao calor, deve favorecer a ocorrência de pancadas de chuva, que podem ser fortes, principalmente no estado de São Paulo. No Paraná, em Santa Catarina e na metade norte do Rio Grande do Sul também há previsão de pancadas isoladas nos próximos dias.

Bruno Maon Fernandes
Meteorologista/Climaterra

2 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia Bruno e equipe da Climaterra. Grata pelos esclarecimentos sobre o Cari. Moro em Araranguá e desde o Catarina acompanho tudo que tem relação com eventos climáticos, então to sempre ligada na Previsão do Tempo. Prefiro não ser mais surpreendida. Um abraço. Edna Macedo – Araranguá/SC.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.