in

Projeto muda percepção de estudantes sobre produção de vinhos na Serra

O projeto “Aprendizado de Saber” está mudando a percepção de alunos da rede estadual sobre a produção de vinhos na Serra Catarinense. Liderado pelo professor de História, Gil Karlos Ferri, o projeto teve mais uma etapa desenvolvida nesta terça-feira (24), com a participação dos alunos da Escola Estadual Padre Antônio Vieira, de Anita Garibaldi, que visitaram a Vinícola Thera, na localidade de Caneleira, em Bom Retiro.
No início da atividade extracurricular, os alunos tiveram a oportunidade de conversar com o filho do proprietário da Vinícola Thera, Abner Freitas, sobre o empreendimento. Idealizado para produzir vinhos finos de altitude, a Vinícola Thera conta com um projeto mais abrangente no futuro, que prevê a construção de um hotel e um condomínio residencial, todos relacionados ao cultivo das uvas viníferas e produção de vinho.

De acordo com o professor Gil Karlos Ferri, a visita representa mais uma oportunidade de conhecimento para os alunos da região. “A Serra catarinense desponta na produção de vinhos e quero que eles aprendam a reconhecer esta realidade e que possam sentir-se parte dessa história toda vez que ouvirem falar dos vinhos da região. Muitos alunos acreditavam que o acesso a uma vinícola, por exemplo, era exclusivo das classes sociais de maior poder aquisitivo”.

O projeto é desenvolvido com parceria dos proprietários das vinícolas. Além da visita aos empreendimentos, a programação incluui uma conversa com os enólogos sobre tudo o que envolve a transformação da uva em vinho, além de atividades culturais. Sem degustar a bebida, o lanche é acompanhado de suco natural de uva. “Um projeto desses é importante para abrir os horizontes dos estudantes, que podem vir a criar o gosto pelo cultivo de uvas ou até a produção de vinhos no futuro. O professor Gil Karlos Ferri está de parabéns”, destacou o secretário regional João Alberto Duarte, que acompanhou parte da visita nesta quarta-feira.
De acordo com a Epagri, os vinhedos de Santa Catarina ficam localizados nos pontos mais altos do Estado, entre 900 a 1,4 mil metros, acima do nível do mar. O primeiro empreendimento ligado à fabricação de vinhos finos se instalou em São Joaquim, na década de 1990. No ano seguinte, outros projetos foram iniciados e se sucederam, até a criação da Associação Catarinense dos Produtores de Vinhos Finos de Altitude (Acavitis), em 2005.
Atualmente, a atividade representa mais de 300 hectares em produção no Estado, nas regiões de São Joaquim, Caçador e Campos Novos. A produção média anual assegura a elaboração de uma carta de vinhos com 120 rótulos, e a algumas já conquistaram prêmios com a participação em concursos nacionais e internacionais.
Por Agência de Desenvolvimento Regional de Lages

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Em evento da cardiologia, Carmen Zanotto anuncia mais R$ 7 milhões para construção de UTI

Serra do Rio do Rastro é contemplada com recursos para obras de prevenção