Projeto Doadores de Carinho para crianças do abrigo institucional de São Joaquim

Dengo, mimo, afago, cafuné, abraço, sorriso, Contação de histórias, hora de brincadeiras são bons e, se sobrar, é até melhor. É de graça e não tem contraindicação. Todo mundo ama, mas nem todo mundo tem com frequência, momentos de carinho em sua rotina.

Pensando nas crianças e adolescentes do abrigo institucional de São Joaquim criamos a campanha “Doadores de carinho”. Um trabalho que não requer cursos, graduações e especializações, apenas muito amor e boa vontade.

As Psicologas Nara T. Gianello e Manu Mariotti desenvolveram ao projeto para crianças do abrigo institucional de São Joaquim

 

Qualquer pessoa pode participar do projeto. Basta querer interagir e fazer um dia diferente para nossas crianças e adolescentes, de acordo com a disponibilidade e o tempo de cada um.

A ideia desse projeto é que as pessoas interessadas em participar possam proporcionar um dia diferente para os abrigados, através de brincadeiras, leituras, conversas, atividades, jogos, carinho, atenção. Enfim o que cada pessoa se sentir bem em fazer.

Ser voluntario é doar amor. Existem inúmeros tipos de ações voluntárias e, cada vez mais, frentes de doação se espalham pelo mundo. Na contemporaneidade o ato voluntário ganhou destaque nos currículos profissionais, pois estas ações somam a competência dos trabalhadores, sua disponibilidade, desprendimento e cooperação, pontos importantes em todas as profissões.

Tudo aquilo que se faz por vontade própria e acrescido de amor, fica bem feito.

Nosso projeto é amplo, como ampla são as necessidades de todo ser humano. Ele está ancorado em diferentes ações, o que abre leque a um maior número de voluntários, pois necessita de diferentes competências.

Crianças a nossa volta, irmãos, filhos, sobrinhos, vizinhos, alunos tem uma vida saudável, com bons alimentos, com brinquedos, muita atenção e carinho. Somos uníssonos em acreditar que toda criança precisa deste conjunto de fatores para crescer saudável e confiante em si e no mundo.

As crianças do Abrigo tiveram, no seio de seu lar, em algum momento da infância um ou mais direitos tolhidos.  Como pessoas temos o dever social de mudar de alguma forma esta realidade. Entretanto, poucos espalhados pelo mundo, se sentem responsáveis.

 

OBJETIVO PRINCIPAL

 

Este projeto tem por objetivo reunir pessoas e talentos distintos em um bem maior, fazer do ABRIGO um LAR onde haja amor, cumplicidade, atenção, afeto e vontade de mudar para melhor a vida de crianças e jovens.

 

AS AÇÕES: FRENTES DE TRABALHO

 

Apoio Pedagógico

 

Temos algumas crianças com dificuldades de aprendizagem, outras um pouco desinteressadas pelo ato de estudar. Dessa forma, aqui precisamos de voluntários com afinidades nas atividades de alfabetização e letramento para atuarem com as crianças sanando suas dificuldades escolares. E, para os adolescentes, precisamos especialmente de jovens com boas técnicas para estudar e memorizar (destas que se aprendem no Terceirão), para atuarem como motivadores e como exemplos de que vale a pena ser um bom aluno.

 

Hora da Recreação

 

Buscar uma convivência harmoniosa e lúdica com seus pares é o objetivo desta frente de trabalho. Para tal performance busca-se parceria de voluntários que se prontifiquem a oferecer atividades recreativas, culturais, esportivas e lazer. Aqui são bem-vindos amantes de teatro, dança, música, profissionais de Educação Física, artistas plásticos, Instrutores de Yoga, etc.

 

Hora da Leitura

 

Ninguém ama aquilo que não conhece. O gosto pela leitura, pelos livros e histórias normalmente se dá através de exemplos. E, por isso, aqui se fazem necessários voluntários apaixonados por histórias para promover momentos de Contação de histórias, de forma lúdica, criativa e afetuosa. Pode ser utilizado fantoches, dedoches, música, enfim o que sua criatividade permitir.

Esta frente de trabalho contribuirá para melhorar o desenvolvimento da oralidade e escrita, além da promoção de crescimento pessoal (autoconhecimento), pois sabe-se que os Contos de Fadas, além de outras modalidades da literatura, tem papel primordial no desenvolvimento do ser humano.

 

Minha Festinha de Aniversário

 

O dia do aniversário de uma criança é sempre dia de alegria, de expectativa, de diversão. Entretanto, para nossos abrigados nem sempre há a realização destes momentos. Por isso, o objetivo desta frente de trabalho é proporcionar um aniversário especial levando não só o aniversariante, mas todas as demais crianças celebrarem a sua vida, com momentos lúdicos, de confraternização e convívio comunitário

Para os voluntários que se proporem em atuar aqui, cabe planejar, sempre em consonância com a equipe técnica, organizar, buscar recursos e fazer acontecer a festinha.

 

Hora de Brincar

 

Criança quer brincar! E sabemos, as brincadeiras propiciam o desenvolvimento amplo: psicomotor, autonomia, contato com o lúdico/simbólico, crescimento pessoal, cooperatividade e liberdade geral.

A brincadeira livre é essencial e inerente a criança, mas às orientadas tem um papel também importante. Sendo assim, nesta frente de trabalho os voluntários devem estar dispostos a interagir e propiciar momentos alegres e saudáveis, onde as crianças possam usar objetos comuns como brinquedos (latas como tambor, por exemplo), jogos, brincadeiras de faz de conta, para desenvolverem a criatividade. Também atividades infantis na área externa como pular corda, jogar bolinhas de gude.

 

Hoje é Dia de Visita

 

O contato com a família e com pessoas do convívio fora do abrigo é talvez, o momento mais esperado pelas crianças. Mas algumas delas não podem receber visitas dos familiares por determinação judicial e, nestes dias, ficam ainda mais tristes.

Ter alguém especial para visita-los é muito importante. Nesta frente de trabalho há a grande necessidade de responsabilidade e disponibilidade em criar um vínculo afetivo com o abrigado, lembrando que não podemos decepcioná-lo, que não podemos cometer erros que eles já conheceram no lar.

O papel do voluntário é importantíssimo: comparecer nos dias de visitas e oferecer-lhe momento de afeto, carinho e atenção, favorecendo sua autoestima, além de ser-lhe exemplo agradável de amor, carinho e respeito.

Aqui há de se aceitar as rigorosas normas de conduta e postura do voluntario frente ao abrigado escolhido como seu protegido.


Imagem da capa – Ilustrativa

 

Está esperando o quê? Você já doou afeto hoje?

Se você se encaixa nestes perfis, vem somar com a gente.

 

Para mais informações entre em contato Com Nara T. Gianello

Cel (49) 99133.5820 ou pelo e-mail narinhagianello@hotmail.com

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.