Menino da Serra Catarinense sonha ser Policial Militar e ganha farda

Uma carta e um sonho realizado

A Polícia Militar de Santa Catarina, é reconhecida pelo trabalho em benefício e proteção da comunidade. Mas, dessa vez, a ação foi diferente. Policiais do 6º Batalhão de Polícia Militar, Lages, realizaram o desejo de um menino de apenas 10 anos, que sonha um dia ser policial. Ele entregou uma carta pedindo de presente uma farda, um boné e um coturno da Polícia Militar. No papel escrito com a própria letra, José Lucas da Silva, revelou ter o sonho de ser tenente quando crescer.

A carta dizia:

“Querida polícia militar, eu quero tanto ter uma farda da PM, eu moro no bairro Centenário. É porque eu não tenho condições de comprar.  Eu queria tanto uma farda, com o boné e o coturno. Quando eu crescer, vou ser um tenente, com a graça de Deus”.

Na carta o menino ainda desenhou dois policiais e uma viatura.

Os policiais chegaram de surpresa na casa do menino, no bairro Centenário, em Lages, e marcaram para sempre a quarta-feira, 13 de novembro na memória dele. Os policiais chegaram na casa do garoto com o giroflex e a sirene ligados, chamando a atenção do garoto e da vizinhança. A soldado da PM, Rubia Pereira de Souza, se emocionou. “O sentimento é de gratidão. Ver que o nosso serviço é motivo de orgulho para as pessoas e, principalmente, para as crianças. Ver a alegria do José, não tem preço”.

 

O garoto conta que a ideia surgiu de um vídeo que ele assistiu no YouTube. Ele viu as pessoas escrevendo cartas, pedindo e ganhando, e acreditou que com ele poderia acontecer o mesmo. E aconteceu. A compra e entrega movimentou todo o 6º batalhão da Polícia Militar. Os PMs foram até a residência do menino fazer a entrega. “Quando eles chegaram, meu coração começou a bater bem forte, eu fiquei muito assustado, porque chegou a polícia e um monte de carro junto. Uma emoção muito grande, meu pedido sendo atendido”.

Junto com o pai, Ailton Ramos da Silva, o pequeno soldado foi de viatura conhecer as instalações da polícia, em Lages. Os olhos do pequeno, brilhavam em cada sala que entrava, na de armas, do comandante e na central de atendimento do 190 e canil. “Eu gostei muito, é a primeira vez que eu vim. Agora é estudar bastante para ser um PM”, diz José.

 

O pai conta que não sabia da existência da carta. “O José chegou em casa contando que tinha escrito uma carta e entregue para os policiais, mas eu não dei muita atenção naquele momento. Acreditei mesmo, quando os policiais chegaram aqui, na segunda-feira, para conversar comigo e combinar a surpresa”.

Ailton conta que o filho é apaixonado pela PM e que não sabe como isso começou. “Ele gosta tanto, que em casa faz o próprio colete, as armas e ainda coloca os rádios pendurados no colete”.

Por Catarinas

Fotos: Nilton Wolff 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.