in

Dona Clotilde & Seu Madruga: Amor ou Ilusão?

“Depois de muitos anos assistindo a Chaves, percebi que Dona Clotilde está aí há décadas nos ensinando a como não persistir em algo que a gente já sabe que não vai acontecer. Não importaram quantos bolos, frangos assados e águas de colônia foram entregues, não importaram os cuidados, a dedicação exclusiva, o sentimento oferecido e implorado, Dona Clotilde nunca deixou de ser coadjuvante na sua própria história de amor.

A Bruxa do 71 é o retrato de nossas ligações não atendidas, de nossos convites ignorados, de nossas mensagens visualizadas e não respondidas. Somos nós esperando aqueles amores que a gente costura sozinhos rolando a noite na cama, deixando nosso sono sufocado junto a nossa paz de espírito no travesseiro. Quantos amores deixamos de viver enquanto insistimos em bater cheios de mimos na porta errada, sabendo que o Impossível é que vai nos atender? Talvez ela pudesse ter se casado com o Sr. Barriga, roubado o professor Girafales, ou até aprendido a como é bom viver sozinha…morando em Acapulco.

É muito arriscado o caminho que a gente segue na direção contrária do nosso destino. É muito doloroso insistir em estradas erradas, quando é o coração que caminha descalço no asfalto. Nem sempre persistir significa insistência, nem sempre amar significa confiar sempre que vai dar certo lá adiante. Desista do que é preciso. Recalcule o que não faz questão de entrar na sua rota. Jogue para o alto o que está querendo voar por ai, sozinho. Você não precisa do que te diz “não”, a gente nem sabe muito bem o que fazer com as coisas que não se encaixam.

Ah, meus caros, amor não é uma coisa para viver controlando a porta, amor é liberdade de ir e vir, é tranquilidade de saber que o outro quer entrar e ficar. Não caia nessa de que tem que sofrer para ter, que tem que suar para conquistar. Ame alguém que você não tenha que puxar pelos braços. Ame alguém que esteja, que saiba se deixar ocupar, que você não precise matar um leão para conseguir um abraço. Não ame o que te cansa para ter, você precisará muito ainda do seu fôlego, vai por mim, não o desperdice no que já está fracassado.

Pesquisando pela internet descobri que há apenas um episódio que exibe cenas de casamento entre a Dona Clotilde e o seu amado. Mas era sonho. Na verdade, Dona Clotilde nunca se casou com o Seu Madruga. Só era ilusão. A gente precisa de um amor que corresponda nossos planos, que responda o que plantamos. A gente precisa muito mais do que sonho. A gente precisa viver um amor acordado.”

Texto de Helena Rapozzo

 

Nesse dia cheio de casais lindos e felizes na timeline, em que parece que estar solteira(o) é a pior coisa do mundo, o meu parabéns é pra você que conseguiu se despir das cobranças sociais, teve coragem de se libertar de um relacionamento que te machucava, e está passando o dia de hoje com SEU AMOR. PRÓPRIO.

Portanto, hoje e em todos os amanhãs que virão, que você possa comemorar o Amor; o amor próprio, o amor puro, o amor que não maltrata, o amor em que há respeito e compreensão, o amor amigo, o amor companheiro, o amor em todas as suas formas e formações. O amor em toda a sua intensidade. Uma feliz vida de Amor e que, acima de tudo, o respeito impere em sua vida e você possa viver com intensidade e paz.

 

divider-2461548_1280.png

Ler é nossa paixão!
Escrever sobre livros é uma realização.

Essa é uma parceria de Bia Chiodeli, do São Joaquim Online, com Cintia Marinho, Instabooker, Licenciada e Bacharel em Ciências Biológicas, IG: @cici_books

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Criminoso confessa ter assassinado homem a pauladas e golpes de faca em Bom Jardim da Serra

Público tem conforto e comodidade em áreas especiais da Festa do Pinhão