Gastos com apagão no Amapá serão bancados por consumidores de todo o Brasil

Foto Divulgação central elétrica Amapá

Parte dos gastos provocados com o apagão no Amapá serão bancados por consumidores de todo o Brasil após um incêndio na subestação na capital Macapá interromper o fornecimento de energia em grande parte do estado. O montante será usado para contratação emergencial de usinas térmicas para restabelecimento do serviço no estado depois do desligamento da linha de transmissão e das usinas que abastecem a região.

Os custos serão embutidos na conta de luz por meio do Encargo de Serviços do Sistema (ESS), que serve para manter a estabilidade do sistema elétrico. Entre os consumidores estão aqueles atendidos pelas distribuidoras, como os residenciais, e pelos que operam no chamado mercado livre, como indústrias. O saldo dependerá da quantidade de energia, do tempo que esse acionamento será necessário e do custo do combustível que será usado pelas usinas.

A medida está prevista na portaria publicada pelo Ministério de Minas e Energia na última sexta-feira (6). O ministério autorizou a empresa a contratar “de forma célere, excepcional e temporária” até 150 MW por até seis meses ou quando houver reconhecimento de condição satisfatória de atendimento ao estado. O Tribunal de Contas da União (TCU) vai apurar se houve algum tipo de omissão do poder público no incidente que levou ao apagão no Amapá.

Com informações Gazeta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.