Departamento Regional de Chapecó localiza novo abrigo de morcegos hematófagos

Foto: Ivan Ulsenheimer

A equipe de controle da raiva dos herbívoros do Departamento Regional da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) de Chapecó realizou, no dia 9 de agosto, um atendimento a notificação  de mordeduras por morcegos hematófagos em dois equinos e um suíno na região de Rodeio de Erval.

Os médicos veterinários Fabio Varoni Pereira e Ivan Niederle Ulsenheimer e o  técnico agrícola Gledson Ferreira de Ramos localizaram o abrigo nas imediações da propriedade, em ponto de difícil acesso. Foi realizada a ação de controle populacional dos morcegos, com a aplicação de redes de neblina no entorno dos currais. Na ação, foram capturados 23 morcegos da espécie Desmodus rotundus no abrigo, algo inédito na localidade, e um morcego não hematófago nos currais, que foi libertado. 

Foto: Ivan Ulsenheimer

“De fato não é habitual para nós, na região, realizarmos capturas com um número tão alto de morcegos. Os abrigos que temos cadastrados são todos temporários, onde realizamos capturas, porém de poucos indivíduos, justamente porque eles usam estes espaços de forma temporária para a alimentação”, explica Ivan Ulsenheimer. O médico veterinário diz ainda que ações como esta, em Rodeio do Erval, só podem ser realizadas porque há um trabalho de educação sanitária  prévio, feito pela Unidade de Veterinária local junto aos produtores. Havia muitas notificações na região, mas só com o trabalho conjunto com os proprietários é possível encontrar certos abrigos e chegar ao resultado pretendido, que é diminuir o número de notificações de mordeduras. A localização e o controle dos morcegos hematófagos são medidas necessárias para prevenir a ocorrência da raiva.

O morcego hematófago da espécie Desmodus Rotundus é responsável pela transmissão da raiva para herbívoros. As espécies de morcegos hematófagos e não hematófagos são protegidos por lei e seu manejo e controle caracteriza crime ambiental. Por isso, somente profissionais capacitados, do serviço veterinário oficial, podem intervir em colônias de morcegos em área de risco para a raiva, porque são capazes de diferenciar as espécies de morcegos em um abrigo.

O animal doente elimina o vírus da raiva pela saliva, por isso não devemos colocar a mão na boca de cavalos ou bovinos que estejam com dificuldade de locomoção e/ou salivação intensa. Usualmente, a doença é transmitida através da mordida do animal infectado, mas o simples contato entre saliva e feridas abertas, mucosas e arranhões também propaga o vírus.

Para ajudar no controle da raiva

– Vacine seu rebanho contra a raiva;

– Informe ao escritório da Cidasc mais próximo sempre que seus animais ficarem doentes e apresentarem dificuldade para caminhar, se alimentar, e/ou agressividade

– Caso seus animais tenham marcas de mordedura causada pelo morcego hematófago, comunique a Cidasc, mesmo que não estejam doentes;

– Avise ao médico veterinário da Cidasc se souber de algum local que possa abrigar morcegos hematófagos, tais como, cavernas, grutas, ocos de árvore, túneis, bueiros, passagem sob rodovias, cisternas e poços, casas e construções abandonadas.

ATENÇÃO! Nunca tente capturar um morcego, chame um profissional capacitado para que seja removido adequadamente.

Por Denise De Rocchi
Assessoria de Comunicação – Cidasc

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.