Clima prejudica safra da tainha no Sul de Santa Catarina

Foto: Thiago Hockmüller/Arquivo Engeplus

A expectativa para a safra da tainha em 2022 era alta no início de maio, porém pouco mais de um mês depois, a frustração toma conta da Colônia Z-33 de Balneário Rincão. Ao todo, cerca de 60 toneladas do peixe foram capturadas de Laguna a Passo de Torres. 

Segundo o presidente da Colônia Z-33, Rogério Feliciano Cardoso, o clima atrapalhou os pescadores. “Tenho 54 anos e nunca tive uma expectativa tão alta em relação a safra da tainha e me frustrei, pois foi muito abaixo do esperado. O tornado que atingiu o Estado fez com que não pudéssemos pescar. O clima ruim durante as últimas semanas também atrapalhou. Foi bem decepcionante, pois os cardumes existiam, mas não capturamos”, explica. “As licenças também atrapalharam, mas não foi apenas isso, não. O clima foi o maior responsável”, completa. 

Cardoso ainda destaca que apesar da safra não ter encerrado, os pescadores já não estão mais pescando tainha. “Hoje estamos focados na pesca da papa-terra e da pescada-amarela”, pontua. O objetivo do presidente era pescar cerca de 400 toneladas de tainha no Sul de Santa Catarina, sendo que estima-se que 2,5 mil famílias dependem da pesca na região Sul de Santa Catarina.

Fonte: Engeplus

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.