‘Dona Redonda’, a ovelha que não para de ter quadrigêmeos

Foto Reprodução/Whatsapp

Um caso considerado raro, uma ovelha deu luz à quadrigêmeos no Rio Grande do Sul. A ovelha deu cria de 23 filhotes nesse meio tempo tendo apenas um caso onde acabou tendo parto de trigêmeos.

Porém, em um caso considerado mais especial ainda, uma ovelha, chamada de “Dona Redonda” tem dado cria desde 2017 apenas de cordeiros quadrigêmeos.

Foto Reprodução/Whatsapp

A ovelha em questão é da raça Santa Inês. Segundo o Instituto de Zootecnia de São Paulo, é um animal desprovido de lã, de elevada estatura, pernas compridas, orelhas longas com peso entre 50 e 60 kg para as fêmeas e machos ao redor de 100 kg.

O caso

Segundo Ari Paulo Limberger, proprietário da fazenda, em Dois Irmãos das Missões(RS) a ovelha já está na propriedade a mais de sete anos e em seis gestações, teve incríveis 23 cordeiros.

De acordo com o produtor a primeira vez que viu isso acontecendo, foi uma grande surpresa para ele, tendo que registrar através de uma foto o caso. O produtor disse que nem imaginava ser um caso raro.

“Da primeira a quarta gestação foram sempre de quatro filhotes, a quinta gestação foram três e a sexta gestação foi de quatro filhotes novamente” disse Limberger que se surpreende até hoje com o caso pois nunca havia visto algo desse tipo.

Após isso, nas próximas ocorrências, o produtor continuou com muita expectativa em relação a ovelha, pois queria ver se o caso aconteceria mais vezes. “Nas próximas vezes, sempre há uma expectativa e também muito zelo, pois sempre é necessário estar atento. Como já conhecemos a “forma”como ela fica a cada gestação, sabemos que nunca é apenas um ovino que ela está gestando”

Limberger ainda conta que deixa o animal separada das demais ovelhas, assim como faz com todas que estão prestes a parir. Então deixa de prontidão medicamentos necessários, devido à exaustão após os partos, ainda mais sucessivos e de quatro cordeiros.

“Aí começa a força tarefa, porque ela não consegue amamentar quatro filhotes e começam as mamadeiras.” conta Limberger, sobre o pós parto.

“Aí começa a força tarefa, porque ela não consegue amamentar quatro filhotes e começam as mamadeiras.” conta Limberger, sobre o pós parto.

Apesar do caso raro e de muitas crias, a ovelha nunca apresentou complicações, tendo perdido apenas um dos cordeiros em um dos partos. O animal, contudo, já tinha saído morto.

Nome da ovelha

O mais curioso de todo o caso é que após as várias gestações o nome dado a ovelha foi de Dona Redonda. “Isso se deve pelo fato dela ficar uma bolinha a cada gravidez pela quantidade de filhotes.” diz o produtor rural.

Ovelha: Por que o caso é raro?

De acordo com o pesquisador da Embrapa Caprinos e Ovinos Kleibe de Moraes Silva, o caso recorrente de partos múltiplos (principalmente quádruplos) não é um fato comum.

“O aparecimento de partos múltiplos em ovinos é comum, principalmente duplos. Partos triplos e, principalmente quádruplos, são menos comuns, principalmente quando não há indução de ovulação com monta natural. No rebanho de ovinos Santa Inês aqui na Embrapa Caprinos e Ovinos a prolificidade média anual tem variado de 1,17 a 1,43. Outras raças, consideradas as mais prolíficas, como a Romanov (Rússia) e a Finnshep (Finlândia), a prolificidade pode chegar a 2,86 e 2,8.”, diz Silva.

O pesquisador ainda diz que vários fatores podem influenciar na prolificidade das ovelhas. Entre os fatores, estão a raça, o estado nutricional, a idade e a ordem do parto da matriz.

“Em relação a raça, o que pode ter acontecido é que ela, provavelmente, passou por algum processo de seleção em que a característica prolificidade foi bastante valorizada. Quanto ao estado nutricional, as fêmeas bem alimentadas (escores de condição corporal entre 3 a 4) têm melhores concom dições de ovular e de nutrir os embriões formados“, diz Silva.

O pesquisador finaliza dizendo que a idade da matriz influencia bastante para que um caso assim ocorra. “As fêmeas adultas têm seu aparelho reprodutor fisiologicamente mais amadurecido e dessa maneira, apresenta melhores condições de ovulação, nutrição e manutenção dos embriões” destaca.

Com informações: Canal Rural

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.