Celebramos a vida: Um grande jogo de xadrez

Quando eu acordo de manhã no inverno a primeira coisa que faço é reclamar do frio, mesmo assim levanto e faço meu café. Quando o sinal da internet cai, no mesmo instante ligo para o responsável e com a energia elétrica acontece o mesmo. Às vezes eu reclamo insatisfeita com meu corpo, quando trocam meu pedido em um restaurante ou bar eu falo para o garçom, mostrando descontentamento e pedindo a troca.

 

Um dia desses, antes de começar a quarentena eu estava saindo do mercado e um homem de aproximadamente 30 anos me abordou, pedindo ajuda por estar sentindo fome, tentei lhe auxiliar da forma que podia. A partir deste dia comecei a refletir sobre alguns dos acontecimentos que mencionei anteriormente. Então pensei demais, enxerguei tanta coisa que foi de partir o coração.

 

Por muitos momentos eu fui egoísta deixando comida no prato, querendo emagrecer, enquanto crianças estão passando fome. Quantos sujeitos tem apenas um cobertor para passar estas noites geladas e eu reclamando por acordar e ter que sair da cama. Nenhuma das minhas intenções era ser egoísta, mas as vezes a gente tem atitudes assim e não percebe.

 

Há estudantes que não tem um computador disponível para participar das aulas online durante a pandemia, em alguns casos nem acesso à internet. Antes mesmo do surgimento do Coronavírus alguns jovens já deixavam de fazer suas matriculas para ir trabalhar e ajudar a família. Falar sobre a desigualdade social é necessário para nos fazer refletir e perceber que nem todas as pessoas tem as mesmas condições.

 

Ter um teto, comer, dormir, tomar banho, etc.. para alguns é necessidade, para outros é luxo. Ignorar a realidade em alguns momentos pode ser uma boa alternativa e causar alívio, mas ignorá-la sempre é uma forma de reproduzi-la. A desigualdade social é macro, maior do que pode-se imaginar. Vamos comemorar o que temos e quando possível partilhar o “pão”, afinal, a vida é bem como diz o provérbio italiano “no fim do jogo, o rei e o peão voltam para a mesma caixa”.

Por Edilene Antunes

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.