Palestra sobre Brucelose e Tuberculose é realizada no Sindicato Rural de Bom Jardim da Serra

: Departamento Regional de São Joaquim

Foi realizada nesta segunda-feira,14, uma palestra sobre brucelose e tuberculose no Sindicato Rural do município de Bom Jardim da Serra. A palestra foi direcionada para produtores rurais e abordou as zoonoses, tratando também sobre rastreabilidade de bovinos e bubalinos e sobre Guias de Trânsito Animal (GTA). 

O  evento contou com a presença  de Heloisa Alves Melo, médica veterinária da unidade veterinária local da Cidasc de Bom Jardim da Serra, do auxiliar agropecuário da Cidasc José Vieira Machado. A palestra também foi prestigiada pelo presidente do Sindicato Rural,Delamar Augusto Macedo,  por produtores rurais, médicos veterinários e por representantes de entidades financeiras e do agronegócio. 

Foto: Departamento Regional de São Joaquim

Para Heloisa Alves Melo, a palestra foi importante para sensibilizar os produtores para a importância do controle da brucelose e tuberculose nos rebanhos, visando manter a sanidade animal e também a saúde humana.

A brucelose e a tuberculose são zoonoses, então podem ser transmitidas tanto para animais quanto para seres humanos e podem ser fatais. A transmissão pode acontecer através do consumo do leite ou qualquer derivado vindo de um animal infectado. Por isso, é importante que os produtores estejam atentos aos sinais das doenças e que adotem as medidas sanitárias adequadas para a prevenção delas. 

Também é importante que o produtor possua a certificação de propriedade livre de brucelose e tuberculose. Através dela, o produtor mantém a sua saúde, a da sua família e também a do consumidor, que tem a garantia de que está consumindo um produto que foi feito seguindo as boas práticas agropecuárias e as medidas sanitárias adequadas

Para adquirir a certificação de Propriedade Livre de Tuberculose e Brucelose, o produtor deve entrar em contato com o escritório da Cidasc de seu município, juntamente de um médico veterinário habilitado. Por meio da Cidasc,o produtor consegue  acesso a uma lista dos nomes e contatos de médicos veterinários habilitados para auxiliar o produtor rural. Deve então preencher um requerimento para que possa ser realizada uma vistoria oficial por um médico veterinário oficial da companhia, que emite seu parecer sobre o início do processo de certificação.

O rebanho, que deve estar brincado, é submetido a dois exames de diagnóstico, realizados com 6 a 12 meses de intervalo até que sejam obtidos dois resultados negativos consecutivos. A  certificação deve ser renovada anualmente, com os exames realizados antes da data de vencimento do certificado.

Por Assessoria de Comunicação – Cidasc

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.