Emoção na Festa do Pinhão com a despedida de Skank, a animação de Alexandre Pires e o romantismo de Dilsinho

Divulgação

Sexta-feira foi de despedida em grande estilo na Festa do Pinhão uma noite emocionante em que Lages se despediu de uma das mais consagradas bandas do cenário musical brasileiro que é o Skank, que dará uma pausa na carreira após 30 anos na estrada, mas também teve também muita animação e molejo com o melhor baile anos 90 do país com Alexandre Pires e o seu “Baile do Nego Véio” e ainda contou com todo o romantismo de um dos destaques do pagode da atualidade, o carioca Dilsinho. 

A chuva que atingiu Lages durante boa parte do dia, até deu uma pequena trégua no início da noite, mas foi só o Skank subir ao palco por volta das 21h30 que os primeiros pingos começaram a cair, e durante a apresentação da turnê de despedida que contou com sucessos dos 30 anos de carreira como “Dois rios”, “É uma partida de futebol”, “Esmola”, “Pacato Cidadão”, “Uma canção é pra isso”, “Saideira”, “Ainda gosto dela”, “Amores imperfeitos”, “Ela me deixou”, “Jackie Tequila”, “Vou deixar”, “Garota nacional”, “Algo parecido”, “Vamos fugir”, “Tão seu”, entre outras. 

Um dos destaques foi o canto de parabéns de todo o público para o baterista da banda, Haroldo Ferreti que é casado com uma lageana, e que estava fazendo aniversário justamente nesta sexta-feira. “Uma das felizes coincidências da vida”, disse o vocalista Samuel Rosa, ao destacar a importância de Lages na carreira da banda.

Não parecia ser possível superar o que foi a apresentação de Alexandre Pires em 2019 na Festa do Pinhão quando ele apresentou pela primeira vez na cidade o projeto “Baile do Nego Véio”, mas três anos depois, ele retornou com o baile ainda melhor e fez espantar o frio da noite gelada de sexta-feira (17) e início de madrugada de sábado com muita animação, simpatia, carisma, e claro, samba no pé, em uma apresentação com mais de duas horas de duração e o melhor dos hits da década de 1990. 

No repertório hits de diversos gêneros que fizeram história na música brasileira como pagode, axé music, forró, pop, entre outras, por exemplo, “Eu menti”, “Domingo”, “Mineirinho”, “Sai da Minha Aba”, “Cilada”, “Rindo à Toa”, “Temporal”, “Essa Tal Liberdade”, “Uma brasileira”, “Primeiro amor”, “Lá vem o Negão”, “Adoro Amar Você”, “Quero te encontrar”, “Só Love”, “Vergonha na cara”, e muitas outras. 

Fora as músicas, Alexandre Pires também deu um show de figurinos, o cantor ao menos quatro vezes fez troca de roupas, mas não foi o único, pois os backing vocals que o acompanham também fizeram trocas de figurino e deixando a apresentação ainda mais especial

Já era por volta de 02h deste sábado (18), quando um dos expoentes da nova geração do pagode subiu ao palco da Festa Nacional do Pinhão, trata-se do carioca Dilsinho que em sua primeira apresentação em Lages colocou os corações apaixonados para cantar ao som de muito pagode com um repertório cheio de sucessos como “Péssimo Negócio”, “Refém”, “12 Horas”, “Pouco a Pouco”, “Porre”, “Deixa pra amanhã”, “Libera Ela”, “Onze e pouquinho”, “Cansei de farra”, “Baby me Atende”, “Sogra”, e muitas outras em uma apresentação de mais de 01h20. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.