in

Santa Catarina recebe 1ª Missão Técnica ATeG do Senar

Santa Catarina recebeu nessa semana a 1ª Missão Técnica ATeG do Senar com a visita de um grupo de superintendentes e especialistas de nove estados brasileiros que contam com o Programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG). As visitas e reuniões ocorreram em Florianópolis e São Joaquim. O presidente do Sistema Faesc/Senar José Zeferino Pedrozo recebeu a comitiva na capital catarinense que apresentou o desenvolvimento da ATeG no Estado.

Em São Joaquim a comitiva visitou a sede do Sindicato Rural onde os participantes foram presenteados com a melhor maçã da América latina (produzida em solo joaquinense), almoçaram na Vinícola Leoni de Venezia e, posteriormente, fizeram visita técnica nas Fazendas Serrinha do Pecuarista Wilson Castello Branco e Água Branca do produtor Paulo Borges Duarte.

Equipe visitou propriedades rurais da Serra Catarinense

Acompanharam as estruturas de manejo desenvolvidas por meio da metodologia ATeG, estratégias de trabalho, projetos, resultados alcançados, desafios e inovações obtidas. O coordenador do ATeG em Bovinocultura de Corte e presidente do Sindicato Rural de São Joaquim Antônio Marcos Pagani de Souza salientou que foi uma honra para Santa Catarina ser o primeiro Estado a receber a missão técnica do Senar.

Produtor rural Wilson Castello Branco

“Para nós, catarinenses, é motivo de alegria receber a primeira missão. Demonstramos o potencial das propriedades, a evolução alcançada com dois anos de programa, o ganho de quilo de animais por hectare. A ATeG proporcionou aumento de renda às propriedades, melhoria genética e padrão racial”, destacou.

Comitiva foi recepcionada no Sindicato Rural de São Joaquim pelo presidente e coordenador estadual do programa ATeG em Bovinocultura de Corte Antônio Marcos Pagani de Souza

Segundo Pagani, os resultados do programa são positivos em todos os 28 grupos atendidos em 27 sindicatos Rurais do Estado e 75 municípios, beneficiando 840 produtores rurais. “Recentemente realizamos o Primeiro Dia de Campo do Programa de Desenvolvimento da Bovinocultura de Corte de Santa Catarina, em Bom Retiro, com a presença de aproximadamente 800 produtores. Isso demonstra a consolidação do programa com elevado grau de satisfação dos produtores”.

O coordenador estadual reforçou também a importante parceria com o Sebrae/SC no desenvolvimento da bovinocultura no Estado com a inseminação artificial por meio do protocolo IATF. Em dois anos serão inseminadas 50 mil matrizes: 18 mil fêmeas em 2017/2018 e 32 mil fêmeas em 2018/2019. “No primeiro ano de inseminação tivemos resultado de 69% de prenhez positiva. A média catarinense é em torno de 40% a 45%, então isso já deu um ganho muito grande para os produtores rurais de Santa Catarina”, complementou.

Superintendente Adjunto do SENAR Goiás Dirceu Borges

O superintendente adjunto do SENAR em Goiás Dirceu Borges reforçou a importância da missão a e a análise em Santa Catarina para o desenvolvimento da ATeG em outros Estados e regiões. “É muito interessante essa troca de experiências entre diferentes regionais. Conhecemos a realidade de Santa Catarina. Isso agrega e faz a diferença, são planejamentos desenvolvidos em Santa Catarina e que pode ser implantado em Goiás e vice-versa. Essa integração e é muito importante para que possamos atingir o objetivo de mudar a realidade e fazer diferença na vida dos produtores rurais”.

O pecuarista Wilson Castello Branco declarou que a ATeG melhorou muito a sua produção desde o índice de prenhez e natalidade até o ganho de peso na hora do abate. “Comecei na pecuária desde cedo. Há 66 anos, meu pai já era produtor e dei continuidade e atuo como veterinário há 42 anos.  O programa ATeG foi a melhor orientação que tive em pecuária de corte, principalmente no setor de manejo e alimentação de bovinos. A iniciativa tem dado certo e em pouco mais de um ano já aumentamos o índice de prenhez, o de natalidade e, consequentemente, os animais abatidos”, revelou o produtor.

O superintendente do SENAR/SC, Gilmar Antônio Zanluchi avaliou o trabalho desempenhado por Santa Catarina: “Estamos positivamente surpresos com o engajamento que existem entre os produtores rurais. A intenção do Sistema Faesc/Senar é, cada vez mais, atender a necessidade do produtor rural em produzir com qualidade, quantidade e regularidade no melhoramento genético, implantação das pastagens, IATF e outras práticas. Além disso, destacando a gestão de qualidade com a tomada de decisões assertivas”.

Zanluchi reforçou a satisfação em ser o primeiro Estado a receber a missão do Senar. “Foi um dia maravilhoso e de grande proveito. Uma honra receber os colegas superintendentes e técnicos de outras regionais do País para uma troca de informações e experiências tão rica”.

Diretor de Assistência Técnica e Gerencial do Senar Matheus Ferreira

O diretor de Assistência Técnica e Gerencial do Senar Matheus Ferreira destacou a importância do programa e o desenvolvimento que traz para os produtores por meio de melhores práticas. “A avaliação está sendo muito positiva. Santa Catarina vem executando o programa em diferentes cadeias produtivas há dois anos com resultados muito expressivos. Estamos alcançando os objetivos de aumento de produtividade e renda dos produtores rurais que são os por meio da metodologia ATeG do SENAR. O trabalho em Santa Catarina tem dado muito certo e a intenção é levar essas experiências positivas para os demais Estados do Brasil”, finalizou.

Equipe que formou a primeira missão técnica da ATeG do Senar

Em Florianópolis comitiva foi recebida pelo presidente do Sistema Faesc/Senar, José Zeferino Pedrozo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Moisés divulga nomes da equipe de transição no Governo de Santa Catarina

Confira as imagens do School Party